terça-feira, 8 de setembro de 2009

Palavras de Cristo, Nossa Senhora e S. Ambrósio a S. Brígida (séc. XIV). Aproveitemos a mensagem para nossa própria conversão!

Livro 3 - capítulo 1.Jesus Cristo, Deus e Homem, que veio à terra para assumir uma natureza humana e salvar almas através de seu sangue, que divulgou o verdadeiro caminho de céu e abriu seus portões, ele próprio enviou-me a todos vós. Ouve, filha, tu a quem foi dado a ouvir verdades espirituais. Se este bispo se propõe a seguir o caminho estreito tomado por poucos e para ser um desses poucos, deixa-o primeiro deixar de lado a carga que o oprime e pesa-lhe para baixo - refiro-me a seus desejos mundanos - usando o mundo apenas para necessidades coerentes com o modesto sustento de um bispo. Trata-se do que esse homem bom Mateus fez quando ele foi chamado por Deus.


Deixando para trás a carga pesada do mundo, ele descobriu um fardo leve. Em segundo lugar, o bispo deve ser cingido, preparado para a viagem, para usar as palavras da escritura. Tobias estava pronto para sua viagem, quando ele descobriu o anjo lá de pé cingido. O que significa dizer que o anjo foi cingido? Isso significa que cada bispo deve ser cingido com o cinto da Justiça e Caridade Divina, pronto para seguir o mesmo caminho daquele que disse: "eu sou o bom pastor e eu entreguei minha vida por minhas ovelhas." Ele deve estar pronto para falar a verdade nas suas palavras, prontos para executar a justiça em suas acções, tanto sobre si próprio e sobre outros, não negligenciar Justiça devido às ameaças e provocações, ou amizades falsas ou receios vazios. Para bispo assim cingido, Tobias, ou seja, os justos, deverão vir, e eles o seguirão em seu caminho.


Em terceiro lugar, ele deveria comer pão e água antes de ele empreenda a sua jornada, como podemos ler sobre Elias, que, acordado de seu sono, encontrou pão e água à sua cabeceira. O que é este pão dado ao profeta, se não os bens materiais e espirituais que lhe foram concedidos? Porque o pão material foi dado a ele no deserto como uma lição. Embora Deus pudesse ter sustentado o Profeta sem comida material, ele queria que o pão material fosse preparado para ele para que as pessoas pudessem compreender que fosse vontade de Deus que eles utilizassem as dádivas de Deus moderadamente para o alívio das necessidades do corpo. Além disso, uma infusão do espírito inspirou o profeta quando ele prosseguiu por quarenta dias com a força daquele alimento. Porque, se nenhuma unção interior da graça tivesse sido inspirada em sua mente, ele teria certamente desistido durante as dificuldades e tentações daqueles quarenta dias, porque, por si mesmo ele era fraco, mas em Deus, ele teve força para concluir tal viagem.


Por conseguinte, na medida em que o homem vive de cada palavra de Deus,imploramos que o bispo tome o bocado de pão, ou seja, amar a Deus acima de tudo. Ele vai encontrar esta bocado em sua cabeça, no sentido de que sua própria razão diz-lhe que Deus é para ser amado acima de tudo e antes de todas as coisas, tanto devido à criação e redenção e também devido à sua paciência e bondade duradouras. Nós o convidamos também a beber um pouco de água, ou seja, a pensar intimamente sobre a amargura da paixão de Cristo. Quem é digno de poder meditar sobre a agonia da natureza humana de Cristo, que ele estava sofrendo no momento em que ele rezou para o cálice da sua paixão ser afastado d'Ele e quando gotas de Seu sangue estavam escorrendo para o chão? O bispo deve beber desta água juntamente com o pão de caridade e ele será fortalecido para seguir o caminho de Jesus Cristo.

Assim que o bispo partir no caminho da salvação, se ele quiser fazer mais progressos, é útil para ele dar graças a Deus com todo seu coração desde a primeira hora do dia, considerando suas próprias acções cuidadosamente e pedindo ajuda a Deus para cumprir Sua vontade.


Em seguida, quando ele estiver se vestindo, ele deve rezar desta forma: "Cinzas devem ficar com cinzas , poeira com poeira. Porém, porque sou bispo por providência de Deus, eu estou colocando essas roupas feitas a partir do pó da Terra sobre ti, meu corpo, não pelo amor à beleza ou ostentação, mas como uma cobertura, para que sua nudez não possa ser vista. Não me importa se teu vestuário é melhor ou pior, mas apenas que o hábito do Bispo deve ser reconhecido por reverência a Deus e que através de seu hábito possa ser reconhecida a autoridade do Bispo para a correção e instrução dos outros. E, portanto, Deus amável, peço a vós que me deis firmeza de espírito para que eu não me orgulhe de minhas preciosas cinzas e poeiras e nem me glorifique tolamente nas cores de pura poeira . Concedei-me fortaleza para que, assim como o traje de um bispo é mais distinguido e respeitado do que outros devido a sua autoridade divina, o traje da minha alma pode ser aceitável diante de Deus, para eu não seja atirado às profundezas por ter exercido autoridade de maneira indigna e sem valor,para que eu não seja ignominiosamente despido por ter tolamente vestido meu traje venerável para minha própria condenação. »


Depois disso, ele deve ler ou cantar as horas. Quanto mais alta a posição à qual uma pessoa sobe , mais glória ela deve dar a Deus. No entanto, um coração puro apraz a Deus tanto em silêncio como no cantar, desde que uma pessoa esteja ocupada com outras tarefas justas e úteis. Após a missa for rezada, o bispo deve cumprir suas funções episcopais, tendo diligente cuidado não dar mais atenção a coisas materiais do que a espirituais. Quando ele vier à mesa de jantar, este deve ser seu pensamento: "Senhor Jesus Cristo, vós comandais que o corpo corruptível seja sustentado com alimentos materiais, ajudai-me a dar ao meu corpo o que precisa de forma que a carne não cresça vergonhosamente em insolência contra a alma devido ao comer supérfluo nem em preguiça e lerdeza no seu serviço devido a abstinência imprudente.


Inspirai em mim uma moderação adequada para que quando este homem da Terra alimenta-se com coisas da terra, o Senhor da terra não seja provocado à raiva, por sua criatura da Terra. » Enquanto à mesa, ao Bispo é permitido a ter o tipo de recreação moderada e conversa em que vaidade insensata é evitada e nenhuma palavra é proferida ou ouvida que possa oferecer aos ouvintes uma ocasião do pecado. Pelo contrário, deveria todos ser adequada e salutar.


Se pão e vinho estiverem faltando à mesa material, tudo perde seu sabor; da mesma forma, se boa doutrina e exortação estiverem ausentes da mesa episcopal e espiritual, tudo ali posto parece sem gosto para a alma. E assim, para evitar qualquer ocasião de frivolidade, algo deve ser lido ou recitado à mesa que pode ser de proveito para aqueles sentados ali. Quando a refeição é encerrada e a benção de ação de graças tiver sido rezada a Deus, o bispo deve planejar o que ele tem de fazer ou ler livros que podem provocar-lhe em direção à perfeição espiritual. Depois do jantar, porém, ele pode se entreter com os companhias de seu lar. No entanto, exatamente como uma mãe ao dar leite para o bebê unta seus mamilos com cinzas ou alguma outra substância amarga até que ela desmame gradualmente o bebê e o acostume a alimentos sólidos, assim também o bispo deverá colocar os seus companheiros mais próximos a Deus através do tipo de conversa em que eles possam vir a temer e amar a Deus, tornando-se desta forma não só seu pai através da autoridade divina nele, mas também sua mãe através da formação espiritual que lhes dá.


Se ele estiver claramente consciente de que qualquer pessoa em seu lar está no estado de pecado mortal e não se arrependeu apesar de advertências, então, ele deve separar-se dele. Se ele lhe retiver por conveniência e consolação temporais, ele não estará imune do pecado do outro. Quando ele for para cama, ele deve examinar cuidadosamente os atos e impressões do dia que passou, com os pensamentos seguintes: ' Ó Deus, criador do meu corpo e alma, assisti-me na sua misericórdia.


Concedei-me vossa graça, para que eu não fique morno e indiferente no seu serviço pelo muito dormir nem fique fraco no seu serviço devido ao sono perturbado, mas concedei-me, para vossa glória, essa medida de sono que prescrevestes para nós para dar o descanso ao corpo. Dai-me fortaleza para que meu inimigo, o diabo, não possa perturbar-me, nem arrastar-me para longe de sua bondade. » Quando ele se levantar do leito, ele deve enxaguar em confissão quaisquer lapsos que pode ter sofrido a carne, para que o sono da noite seguinte não possa começar com os pecados da noite anterior."

Palavras da Virgem para sua filha sobre a solução oportuna para as dificuldades que o bispo encontrará no caminho estreito, e sobre como a paciência é simbolizada pelo vestuário e os dez mandamentos, por dez dedos, e o desejo de eternidade e a aversão pelas coisas mundanas por dois pés, e sobre três inimigos para o bispo em seu caminho.

Livro 3 - capítulo 2.

Novamente a mãe de Deus fala: "Dize ao bispo que, se ele partir por este caminho, ele irá encontrar-se com três dificuldades. A primeira dificuldade é que é um caminho estreito; o segundo, que não existem espinhos pontiagudos nele; o terceiro, que é um caminho rochoso e desnivelado. Dou-lhe três conselhos nesta matéria. A primeira é que o bispo deverá vestir roupas robustas e firmemente tecidas em preparação para o caminho estreito. A segunda é que ele deveria manter seus dez dedos na frente de seus olhos e olhar através delas, como através de grades para não se ser arranhado pelos espinhos.


A terceira é que ele deve caminhar cautelosamente e testar cada e todo passo que ele der para ver se o seu pé obtém uma posição firme quando ele o firmar no chão, e ele não deve apressadamente pôr ambos os pés ao mesmo tempo sem primeiro assegurar-se das condições do caminho. Este caminho estreito simboliza senão a malícia do povo malvado em relação aos justos, o tipo de pessoas que despreza atos corretos e perverte os caminhos e avisos retos dos justos, que dá pouco valor a qualquer coisa relacionada a humildade e piedade. Para enfrentar essas pessoas, o bispo deve vestir-se em traje de paciência firme, uma vez que paciência torna encargos agradáveis e alegremente aceita os insultos que recebe.


Os espinhos simbolizam nada mais do que as dificuldades do mundo. Para confrontá-los, os dez dedos dos mandamentos e conselhos de Deus e devem ser mantidos para que, quando o espinho de provações e pobreza o arranharem, ele possa lembrar-se do sofrimento e a pobreza de Cristo. Quando o espinho da ira e da inveja o arranharem, ele deve lembrar-se do amor de Deus que nós somos ordenados a guardar. O verdadeiro amor não insiste em obter o que é seu mesmo, mas abre-se inteiramente para a glória de Deus e ao benefício do próximo.


Que o bispo deve caminhar cautelosamente significa que ele deva ter toda uma atitude de prudência inteligente em todo lugar. Porque uma boa pessoa deve ter dois pés, por assim dizer. Um pé é um desejo de eternidade. A outra é uma aversão pelo mundo. Seu desejo de eternidade deve ser cauteloso, no sentido de que ele não deve desejar coisas eternas para si próprio sozinho como se ele fosse digno delas; ao contrário, ele deve colocar todos os seus afetos e desejos, bem como sua recompensa nas mãos de Deus. Sua aversão para o mundo deve ser cautelosa e cheia de temor, no sentido de que esta aversão não deve ser resultado de suas dificuldades no mundo ou impaciência com a vida, nem deve ser pelo amor a uma mais vida calma ou sendo liberado de realizar trabalho benéfico para outros. Pelo contrário, só deverá ser o resultado de seu repúdio pelo pecado e seu desejo de eternidade.


Uma vez que estas três dificuldades forem superadas, eu avisaria o bispo sobre três inimigos no seu caminho. Como vês, o primeiro inimigo tenta assobiar nos ouvidos do Bispo para bloquear a sua audição. O segundo está na sua frente para arrancar seus olhos. O terceiro inimigo está a seus pés, gritando bem alto e segurando um laço para prender seus pés, quando ele os levantar do chão. O primeiro são aquelas pessoas ou aqueles impulsos que tentam afastar o bispo do caminho certo, dizendo: " por que assumes tanto trabalho sobre ti mesmo e por que razão tornas teu caminho tão estreito? Vai, em vez disso, para o caminho verdejante onde tantas pessoas estão a andar. O que te importa como esta pessoa ou aquelas pessoas se comportam? Por que te incomodas a ofender ou censurar as pessoas que poderiam homenagear-te e gostar de ti ? Se eles não ofenderem a ti e aqueles perto de ti, por que te importas com o modo que vivem ou se ofendem a Deus? Se tu mesmo és um homem bom, por que te incomodas em julgar os outros? Melhor trocar presentes e serviços! Faze uso das amizades humanas para ganhar elogios e uma boa reputação durante tua vida. "


O segundo inimigo quer cegar-te, como os filisteus fizeram a Sansão. Esse inimigo é beleza e pertences mundanos, vestuário suntuoso, as armadilhas da pompa, privilégios e favores humanos. Quando tais coisas são apresentadas a ti e agradam aos olhos, a razão é cegada, os mandamentos de Deus se tornam fracos e mornos, pecado é cometido livremente e, uma vez cometido, não é levado a sério. Portanto, quando o bispo tem um moderado suprimento de bens necessários, ele deve ficar contente. Pois todas as demais pessoas hoje em dia acham mais agradável a ficar com Sansão com o jugo do desejo em vez de amar a Igreja com uma disposição louvável para o ministério pastoral.


O terceiro inimigo grita bem alto , carrega um laço e diz: " por que estás andando com tal cuidado e com a cabeça inclinada para baixo? Por que razão te humilhas tanto, tu que deves ser e poderias ser homenageado por muitas pessoas? Sê um sacerdote para te sentares entre aqueles da elite! Sê um bispo para seres homenageado por muitos! Avança a postos superiores para obteres melhor serviço e desfrutares de um maior descanso! Armazena um tesouro com os quais podes ajudar a ti mesmo, bem como a outros, e ser confortado por outros como retribuição, feliz onde quer que estejas! "


Quando o coração torna-se inclinado a esses sentimentos e sugestões, a mente em breve dirige seus passos na direção de apetites terrenos e mundanos, levantando o pé como se fosse o pé do desejo mais imoral , com o que ele fica tão enredado na armadilha de cuidados mundanos que praticamente não consegue se elevar à consideração da sua própria miséria ou das recompensas e castigos de eternidade. Nem isso é surpreendente, pois a escritura diz que quem aspira à função de bispo deseja uma tarefa nobre para a honra de Deus. Agora, contudo, há muitos que querem as honras mas fogem à tarefa em que é encontrada a eterna salvação da alma. Por isso que este bispo deverá permanecer na posição que ele detém e não procurar uma mais elevada, até que Deus lhe queira dar outra. "

CAPÍTULO 3 do livro 3 – A mãe de Deus estava falando: "Gostaria de explicar ao bispo que ele deve fazer por Deus e o que dará glória a Deus. Cada bispo deve guardar sua mitra cuidadosamente em seus braços. Ele não deve vendê-la por dinheiro nem cedê-la a outros por amor a amizades mundanas nem perdê-lo através de negligência e falta de ardor. A mitra do Bispo significa nada mais do que a hierarquia episcopal e o poder de ordenar sacerdotes, para preparar a crisma, para corrigir quem se desvie do caminho e encorajar os negligentes por seu exemplo. Segurar sua mitra cuidadosamente nos seus braços significa que ele deveria refletir cuidadosamente sobre como e por quê ele recebeu seu poder episcopal, como ele o exerce e quais são os seus efeitos e suas finalidades.


Se o bispo examinasse como ele recebeu o seu poder, ele primeiro deverá verificar se ele desejou o episcopado para seu próprio interesse ou de Deus. Se fosse seu próprio interesse, então seu desejo era sem dúvida carnal; se foi por amor a Deus, ou seja, para dar glória a Deus, então seu desejo foi meritório e espiritual.

Se o bispo considerasse para qual finalidade recebeu o episcopado, então certamente era para que ele pudesse se tornar um pai para os pobres e um consolador e intercessor pelas almas, porque os bens do Bispo destinam-se ao bem das almas. Se seus meios são consumidos ineficazmente e desperdiçados de forma pródiga, então essas almas vão clamar por vingança sobre o servo injusto. Eu lhe direi a recompensa que virá por ter exercido o ministério de bispo. Será uma recompensa dupla, como diz Paulo, tanto corporal quanto espiritual.


Será corporal, porque ele é o vigário de Deus na terra e, portanto, é concedido a ele a honra divina por homens como um meio de honrar a Deus. No céu, será corporal e espiritual devido à glorificação do corpo e da alma, porque o servo estará lá com seu Senhor, devido tanto à forma como viveu como um bispo na terra quanto ao seu humilde exemplo pelo qual ele instigou os outros à glória de Deus juntamente consigo próprio. Todo aquele que tem a classificação e as vestes de um bispo, mas abandona o modo de vida episcopal, merecerá uma dupla desgraça.


Que poder do Bispo não deva ser vendido significa que o bispo não deve conscientemente cometer simonia ou exercer seu ministério pelo amor ao dinheiro ou aos favores humanos, ou para promover homens que sabe ser de mau caráter porque pessoas pediram-lhe para fazê-lo. Que a mitra não deva ser cedida a outros por causa de amizade humana significa que o bispo não deve dissimular os pecados dos negligentes ou deixar que aqueles quem ele pode e deve corrigir fiquem impunes, ou passar por cima dos pecados de seus amigos ignorando-os em silêncio devido à amizade mundana, ou tomar os pecados dos seus subordinados sobre as suas próprias costas, pois o bispo é sentinela de Deus.


Que o bispo não deve perder sua mitra por negligência, significa que o bispo não deve delegar a outros o que ele próprio deve e pode fazer mais proveitosamente, que ele não deverá, por amor a sua própria comodidade física, transferir para outros o que ele próprio é mais perfeitamente capaz de realizar, pois o dever do bispo não é descansar, mas trabalhar. Nem o bispo deve ignorar a vida e a conduta de quem ele delega as suas tarefas. Ao contrário disso, ele deve saber e analisar como cumprem a justiça e se eles se conduzem com prudência e sem cupidez em suas atribuições. Quero que saiba, também, que o Bispo, no seu papel como pastor, deve carregar um ramalhete de flores em seus braços para atrair ovelhas, tanto as próximas quanto as distantes, para correrem com prazer atrás de seu aroma.


Este buquê de flores significa as piedosas pregações do bispo. Os dois braços dos quais o buquê de pregação divina pendem são dois tipos de obras necessárias para um bispo, nomeadamente obras boas públicas e obras boas ocultas. Assim, as ovelhas próximas de sua diocese, vendo a caridade do bispo em suas obras e ouvindo-a nas suas palavras, darão glória a Deus através do bispo. Da mesma forma, as ovelhas distantes, ouvindo a reputação do bispo, vão querer segui-lo. Este é o mais doce ramalhete: não deve ter vergonha da verdade e da humildade de Deus, pregar a boa doutrina e praticá-la como se prega, ser humilde quando elogiado e devoto na humilhação de si próprio. Quando o bispo tiver viajado até o final deste caminho e atingir o portão, ele deve ter um presente em suas mãos para apresentar ao Rei das Alturas. Assim, pode ele ter em suas mãos um precioso vaso, um vaso vazio, para oferecer ao Rei das Alturas.


O vaso vazio a ser oferecido é o seu próprio coração. Ele deve lutar a noite e dia para que possa ser esvaziado de todos as vontades e o desejo de elogios efêmeros. Quando tal bispo é levado do Reino da glória, Jesus Cristo, verdadeiro Deus e Homem, virá para encontrá-lo juntamente com toda a legião de Santos. Então ele ouvirá os anjos dizendo: "nosso Deus, nossa alegria e todo o bem! Este bispo era puro no corpo, firme na sua conduta. É benéfico que devamos apresentá-lo a Ti, pois ele ansiava por nossa companhia todos os dias. Satisfaze seu desejo e aumente a nossa alegria pela sua vinda! " Em seguida, também, outros Santos vão dizer: " Ó Deus, nossa alegria é tanto de Ti como em Ti, e precisamos de mais nada.


No entanto, nossa alegria é elevada pela alegria da alma deste bispo que ansiava por Ti, enquanto ele estava ainda conseguia ansiar por Ti. As doces flores de seus lábios aumentaram nossos números. As flores de suas obras consolavam aqueles que viviam longe e perto. Portanto, deixa-o alegrar-se conosco, e rejubila-Te por ele, por quem ansiavas-te tanto quando morreste por ele. " Finalmente, o Rei da glória dirá a ele: " amigo, vieste apresentar-me teu coração esvaziado de sua vontade egoística. Portanto, irei preencher-te com a minha alegria e glória. Minha felicidade tua e tua glória em mim nunca cessará."

Palavras da Mãe, para sua filha sobre a cobiça dos bispos maus; ela explica em uma parábola longa que muitas pessoas através de suas boas intenções atingem a classificação espiritual que bispos incontinentes rejeitam apesar de terem sido chamados a ele num sentido físico.

Livro 3 – Capítulo 4 – A mãe de Deus fala à noiva do Filho, dizendo: "você está chorando porque Deus ama tanto as pessoas, mas as pessoas amam a Deus tão pouco. É por isso. Onde, na verdade, está esse governante ou bispo que não cobiça seu ministério para obter honras mundanas e riqueza, mas, ao contrário, deseja-o para ajudar os pobres com suas próprias mãos? Já que reis e bispos não querem vir para o festim de casamento preparada para todos nos céus, os pobres e os fracos virão em seus lugares, como eu lhe mostrarei por meio de um exemplo.


Em uma determinada cidade vivia um sábio, bonito, e rico bispo, que foi elogiado pela sua sabedoria e bela aparência, mas não, como deveria, render graças a Deus que lhe tinha dado essa própria sabedoria. Ele foi elogiado e homenageado para sua riqueza, também, e ele entregou numerosos presentes visando a favores mundanos. Ele ansiava por mais bens ainda para ser capaz de dar mais presentes e ganhar maior homenagens. Este bispo tinha um sacerdote culto na sua diocese que pensava consigo próprio do seguinte modo: " este bispo", disse ele," ama a Deus menos que ele deveria. Sua vida toda tende em direção ao mundano.


Portanto, se é agradável a Deus, gostaria de ter seu episcopado para dar glória a Deus. Eu não o desejo por razões mundanas, vendo que essa honra mundana é nada mais do que ar vazio, nem por razões de riqueza, que é tão pesada quanto o mais pesado dos fardos, nem por razões de descanso e conforto físicos , pois só preciso de um montante razoável de descanso para manter meu corpo apto para o serviço de Deus. Não, eu o desejo pelo amor de Deus sozinho. E, embora seja indigno de qualquer honra, ainda, para ganhar mais almas para Deus e beneficiar as pessoas mais pela minha palavra e por meu exemplo e para apoiar a mais pessoas através das receitas da Igreja, gostaria de bom grado de assumir a trabalhosa tarefa de ser bispo.


Deus sabe que eu preferiria morrer uma morte dolorosa ou suportar dificuldades amargas do que estar na hierarquia de bispo. Estou tão suscetível a sofrer como meu próximo, mas, ainda assim, quem aspira ao ministério de bispo deseja uma tarefa nobre. Por esta razão, eu prontamente desejo o honroso título de bispo juntamente com as obrigações pesadas de um bispo, embora faço da mesma forma com que desejo a morte. Eu desejo a honra como forma de salvar mais almas. Eu desejo esse encargo para minha própria salvação e para mostrar o meu amor por Deus e as almas. Desejo esse ministério unicamente para poder distribuir os bens da Igreja para os pobres mais generosamente, para instruir as almas mais clara e abertamente , para instruir aqueles no erro com mais coragem, para mortificar minha carne mais completamente, exercer auto-controle mais assiduamente como exemplo a outros. "


Este cônego, com prudência, reprovou seu bispo em privado. No entanto, o bispo levou-o a mal e envergonhou o sacerdote em público, imprudentemente gabando-se de sua própria competência e a moderação em tudo. O cônego, no entanto, entristecido com as impropriedades do bispo, suportou os insultos com paciência. Mas o bispo ridicularizou a caridade e a paciência do cônego e falou contra ele, tanto que ao cônego foi dada a culpa e foi considerado um tolo mentiroso, enquanto o bispo foi visto como sendo justo e perspicaz.


Depois, com o passar do tempo, o bispo e o cônego faleceram e foram chamados ao julgamento de Deus. À sua vista e na presença dos anjos, um trono dourado apareceu com a mitra e as insígnias de um bispo perto do trono. Um grande número de demônios estavam seguindo o cônego, desejosos de encontrar alguma falha fatal nele. Quanto ao bispo, sentiram certeza de tê-lo como uma baleia que mantém seu filhote no seu ventre no meio as ondas. Houve muitas acusações arrasadoras contra o bispo; por que razão e com que intenção ele assumiu o ministério de bispo, por que ele cresceu em orgulho sobre os bens intencionados para as almas, da forma que ele dirigiu as almas confiadas a ele, de que forma ele havia respondido à graça que Deus lhe dera.


Quando o bispo não pôde dar nenhuma resposta justa para as acusações, o juiz respondeu: "ponha excrementos sobre a cabeça do bispo, em vez de uma mitra e piche em suas mãos em vez de luvas, lama sobre seus pés em vez de sandálias. Ao invés de camisa de bispo e vestuário de linho, coloque os trapos de uma prostituta sobre ele. Deixe-o ter vergonha em vez de honra. Em vez de um comboio de servos, deixe-o ter uma ralé enfurecida de demônios." Em seguida, o juiz acrescentou: "coloque uma coroa tão radiante como o sol na cabeça do cônego, luvas douradas em suas mãos, calçados em seus pés. Deixe-o vestir as roupas de um bispo com toda honra."

Vestido de seu traje episcopal, rodeado de uma hoste celestial, ele foi apresentado ao juiz como um bispo honrado. O bispo, no entanto, saiu como um ladrão com uma corda ao redor de seu pescoço. À vista dele, o juiz desviou seus olhos misericordiosos como fizeram todos os seus Santos com ele.


É a forma em que muitas pessoas através de suas boas intenções e em um sentido espiritual atingem a classificação de honra desprezada por aqueles que foram chamados a ele num sentido físico. Tudo isto realizou-se instantaneamente diante de Deus, embora, por amor a ti, foram encenados em palavras, porque mil anos são como uma única hora diante de Deus. Acontece todos os dias que, na medida em que bispos e governantes não querem ter o ministério a que eles foram chamados, Deus escolhe para si próprio pobres sacerdotes e servidores de paróquia que, vivendo de acordo com sua própria e melhor consciência, gostariam de ser benéficos para almas para a glória de Deus se eles pudessem, e fazem o que podem. Por esse motivo, eles tomarão os locais preparados para os bispos.


Deus é como um homem que pendura uma coroa dourada do lado de fora da porta da sua casa e grita ao que passa: "qualquer pessoa de qualquer posição social permanente pode ganhar esta coroa! Quem for mais nobremente vestido em virtude irá obtê-la". Sei que se bispos e governantes são sábios em sabedoria mundana, Deus é mais sábio do eles num sentido espiritual, porque ele eleva os humildes e não dá a sua aprovação para o orgulhoso. Também sabe tu que este cônego que foi elogiado não teve de enfeitar o seu cavalo quando ele foi para pregar ou realizar as suas funções, nem ele teve que acender o fogo quando ele estava prestes a comer.


Não, ele teve os servidores e os meios que ele necessários para viver em uma forma razoável. Ele tinha dinheiro, também, embora não para uso próprio ganancioso, nem mesmo se ele tivesse toda a riqueza do mundo poderia ele ter dado um único tostão para se tornar bispo. Mas nem por todo o mundo ele se recusaria a se tornar bispo se fosse vontade de Deus. Ele deu sua vontade a Deus, pronta a ser honrado para a honra de Deus e pronto para ser rebaixado por puro amor e temor de Deus."

Palavras de Ambrósio, para a noiva sobre a oração de pessoas boas pelo o povo; governantes do mundo e a Igreja são comparados com timoneiros, enquanto orgulho e o resto dos vícios são comparados com tempestades, e a passagem para a verdade é comparada a um porto seguro; também, sobre a chamada espiritual da noiva.

Livro 3 - capítulo 5. Está escrito que os amigos de Deus clamaram uma vez, pedindo a Deus romper os céus e descer para libertar seu povo de Israel. Nestes dias, também, amigos de Deus clamaram dizendo: "Deus bondosíssimo, podemos ver inúmeras pessoas perecendo nas tempestades perigosas, pois seus timoneiros são gananciosos e estão sempre desejosos de desembarcar nos países onde eles pensam que irão obter um lucro maior. Conduzem as pessoas em direção a lugares onde há uma enorme arremeter de ondas, enquanto as próprias pessoas não conhecem qualquer refúgio seguro. Porque este povo incontável está, portanto, em perigo terrível e muitos poucos deles sequer alcançam seu porto seguro adequado. Suplicamos que vós, Rei de toda a glória, graciosamente ilumineis o porto seguro para que vosso povo possa escapar de seu perigo, sem ter que obedecer aos malvados timoneiros mas sendo levado ao refúgio por vossa luz abençoada".


Por estes timoneiros, quero dizer todos aqueles que exercem poder temporal ou espiritual no mundo. Muitos deles adoram tanto sua própria vontade que eles não se incomodam com as necessidades das almas sob seus cuidados ou com as tempestades violentas do mundo, pois eles estão com seu próprio livre arbítrio apanhado por tempestades de orgulho, ganância e impureza. A população infeliz e miserável imita seus atos, pensando que estão numa via reta. Desta forma, os governantes trazem seus súditos e a si próprios à perdição ao seguirem cada desejo egoísta. Por porto seguro ou refúgio, quero expressar a passagem à verdade.


Para muitas, esta passagem tornou-se tão escura que quando alguém lhes descreve como chegar ao porto da sua pátria celestial pelo caminho do Sagrado Evangelho de Cristo, então o chamam de mentiroso e, em vez disso, seguem os caminhos de quem se atola e refestela em cada pecado, em vez de confiar nas palavras dos que pregam a verdade do Evangelho.

Pela luz suplicada pelos amigos de Deus, quero expressar uma revelação divina feita no mundo a fim de que o amor de Deus seja renovado no coração humano e sua justiça não seja esquecida ou negligenciada. Portanto, devido à sua misericórdia e às orações dos seus amigos, agradou a Deus chamá-lo no Espírito Santo para que você espiritualmente possa ver, ouvir e compreender a fim de que você possa revelar aos outros o que você ouvir no Espírito de acordo com a vontade de Deus. "

Palavras de Ambrósio para a noiva, oferecendo uma alegoria sobre um homem, sua esposa e seu empregada doméstica, e sobre como este adúltero simboliza um bispo perverso enquanto sua esposa simboliza a Igreja e sua empregada doméstica, o amor deste mundo, e sobre a sentença dura sobre os mais ligados ao mundo do que à Igreja.

Livro 3 – capítulo 6. Sou o bispo Ambrósio. Estou aparecendo para você e falar com você em alegoria, porque o seu coração é incapaz de receber uma mensagem espiritual sem alguma comparação física. Uma vez, havia um homem ,cuja esposa com quem foi legalmente casado, era encantadora e prudente. No entanto, ele gostava mais da empregada doméstica do que sua esposa. Isto teve três consequências. A primeira é que as palavras e gestos da empregada o agradava mais do que as da sua esposa. A segunda é que ele vestia a empregada muito bem com roupas finas sem se importar que sua esposa estivesse vestida de andrajos comuns. O terceiro é que ele estava acostumado a gastar nove horas com a empregada e apenas a décima hora com sua esposa. Ele passou a primeira hora ao lado da empregada, divertindo-se ao olhar para sua beleza. Ele passou da hora segunda dormindo em seus braços. Ele passou a hora terceira fazendo alegremente trabalho manual pelo amor ao conforto da empregada.


Ele passou a hora quarta fazendo descanso físico com ela após exaustivo trabalho físico . Ele passou a hora quinta inquieto em sua mente e preocupando-se sobre como sustentá-la. Ele passou a sexta hora em repouso com ela, vendo agora que ela aprovou totalmente o que ele tinha feito por ela. Na sétima hora, o incêndio de luxúria carnal entrou nele. Ele passou a oitava hora satisfazendo toda sua luxúria com ela. Na hora nona ele negligenciou determinadas tarefas que ele, no entanto, teria gostado de realizar. Ele passou da hora décima fazendo algumas tarefas que ele não quis fazer. E apenas durante esta hora ele ficou com sua esposa. Um dos parentes de sua esposa veio ao adúltero e lhe acusou duramente, dizendo: "converta a afeição de seu coração na direção de sua esposa legítima. Ame-a e vista-a adequadamente e gaste nove horas com ela e apenas a décima hora com a empregada doméstica. Se não, cuidado, porque você morrerá uma morte súbita e horrível."


Por esse adúltero a que me refiro, é alguém que possua o ministério de bispo para suprir a Igreja, mas, apesar disso, leva uma vida adúltera. Ele está associado à Santa Igreja em união espiritual para que ela seja sua noiva mais preciosa, mas ele retira seus afetos dela e ama o mundo servil muito mais do que sua nobre dama e noiva. Assim, ele faz três coisas. Em primeiro lugar, ele se alegra mais na adulação fraudulenta do mundo do que numa disposição obediente em direção a Santa Igreja. Em segundo lugar, ele ama enfeites mundanos, mas se interessa pouco sobre a falta de enfeites materiais e espirituais da Igreja. Em terceiro lugar, ele gasta nove horas com o mundo e apenas uma das dez com a Igreja Santa. Assim, ele gasta a primeira hora na em boa alegria, contemplando a beleza do mundo com grande satisfação.


Ele gasta a hora segunda dormindo docemente nos braços do mundo, isto é, no meio de suas fortificações elevadas e a vigilância de seus exércitos, alegremente confiante na segurança física por causa dessas coisas. Ele passa a terceira hora alegremente a fazer trabalho manual por amor a vantagens mundanas para que ele possa obter o prazer físico do mundo. Ele passa a quarta hora com prazer tendo descanso físico após seu esforço físico, agora que ele tem meios suficientes. Ele gasta a hora quinta inquieto em sua mente de maneiras diferentes, preocupado com como ele pode parecer ser prudente em matérias mundanas.


Durante a sexta hora que ele experimenta um agradável descanso de alma, vendo que pessoas em todo a parte aprovam o que ele tem feito. Na sétima hora, ele ouve e vê prazeres mundanos e abre sua luxúria para eles. Isso provoca um incêndio a arder impaciente e intoleravelmente no seu coração. Na oitava hora que ele realiza em atos o que antes tinha apenas sido sua ardente vontade. Durante a hora nona, ele omite por negligência determinadas tarefas que ele queria ter feito por motivos mundanos, para não se ofender aqueles para quem tem uma mera natural afeição. Na décima hora, ele executa sem alegria alguns atos bons, com medo de que ele possa cair no desprezo e ganhar má reputação ou receber uma pena severa, se por algum motivo, ele totalmente haja negligenciado em cumpri-los.


Ele é acostumado a gastar apenas esta décima hora com a Santa Igreja fazendo o bem não por amor mas por medo. Ele está, naturalmente, com medo de punição dos incêndios do inferno. Se ele pudesse viver para sempre no conforto físico e com abundância de bens mundanos, ele não se preocuparia em perder a felicidade do céu.

Por conseguinte, juro por Deus ,quem não tem nenhum começo e que vive sem fim, e afirmar com certeza que, a menos que ele retorne para a Santa Igreja em breve e gaste nove horas com ela e apenas a décima com a empregada, ou seja, com o mundo – não o amando, mas possuindo a riqueza e a honra do seu mandato episcopal com relutância e organizando tudo na humildade e razoavelmente para a glória de Deus - então a ferida espiritual em sua alma será tão grave como - fazendo uma comparação física - a ferida de um homem tão horrivelmente atingido na cabeça que seu corpo todo é destruído até a sola dos pés, com suas veias e músculos arrebentando e seus ossos esmagados e a medula fluindo terrivelmente em todas as direções.


Como duramente atormentado como parece o coração num corpo tão violentamente atingido na sua cabeça e as partes do corpo mais próximas à cabeça que as próprias solas de seus pés estarão com dor, embora sejam as mais distantes, igualmente e duramente torturada essa alma miserável aparecerá mais próxima ao impacto da Justiça Divina quando em sua consciência ver-se sendo terrivelmente ferido em cada lado."

Livro 3, capítulo 7.

Palavras da Virgem à noiva comparando um bispo amante do mundo com um fole cheio de ar ou um caracol deitado na imundície, e sobre a sentença dada ao bispo, que é o precisamente o oposto do Bispo Ambrósio.

Livro 3 - capítulo 7. A escritura diz: "Aquele que ama a sua própria alma neste mundo a perderá." Agora este bispo amava a sua própria alma com todos os seus desejos e não havia nenhuma inclinação espiritual no seu coração. Ele também pode ser comparado a um fole cheio de ar junto de uma forja. Assim como existe ar sobrando no fole uma vez que os carvões são gastos e o metal candente está fluindo, assim também, embora este homem deu à sua natureza de tudo o que ela implora, inutilmente desperdiçando seu tempo, as inclinações mesmas ainda ficam-lhe como o ar no fole. Sua vontade está inclinada ao orgulho mundial e à luxúria. Devido a esses vícios, ele oferece um pretexto e um exemplo pecaminoso mesmo para pessoas com coração endurecido, que, desperdiçado em pecados, são escoados lá em baixo, para o inferno.


Esta não foi a atitude do bom bispo Ambrósio. Seu coração foi preenchido com a vontade de Deus. Ele comeu e dormiu com temperança. Ele expulsou o desejo de pecado e gasta seu tempo útil e moralmente, ele bem poderia ser chamado de um fole de virtudes. Ele curou as feridas do pecado com palavras de verdade. Ele inflamou quem se tornara frio no amor de Deus através do exemplo de suas próprias boas obras. Ele arrefeceu aqueles que estavam se queimando com desejos pecaminosos pela pureza da sua vida. Desta forma, ele ajudou muitas pessoas a evitar entrar na morte do inferno, pois o amor divino viveu nele enquanto viveu.


Este bispo, por outro lado, é como um caracol que se reclina na sua nativa nojeira e arrasta sua cabeça pelo chão. De forma semelhante, este homem se reclina e tem sua alegria na pecaminosa abominação, permitindo sua mente a se arrastar pelo mundano em vez de pelo pensamento de eternidade, eu o faria refletir sobre três coisas: Primeiro, a maneira em que ele tem exercido seu ministério sacerdotal. Segundo, o significado daquela frase do Evangelho: "possuem peles de ovelha mas são lobos ameaçadores no interior". Terceiro, a razão por que seu coração arde para coisas temporais mas é frio em relação ao Criador de todas as coisas."

Palavras da Virgem, para a noiva, sobre sua própria perfeição e excelência, e sobre os desejos desordenados de professores modernos e sobre sua falsa resposta à pergunta que lhes foi feita pela Virgem gloriosa.

Capítulo 8 do livro 3 - A mãe fala: "eu sou a mulher que esteve sempre no amor de Deus. Fiquei desde a minha infância inteiramente na companhia do Espírito Santo. Se você quiser um exemplo, pense como uma noz cresce. Sua casca exterior cresce e se alarga, enquanto seu cerne interior também amplia e cresce, para que a noz esteja sempre cheia e não haja espaço nela para nada de estranho. Da mesma forma, também, fiquei preenchida com o Espírito Santo desde a minha infância. Como meu corpo crescia e me tornei mais velha, do Espírito Santo me preencheu com tal abundância que não deixou a nenhum espaço em mim para qualquer pecado entrar. Assim, sou aquela que nunca cometeu o pecado venial ou mortal. Sou tão ardente com amor por Deus que nada mais me agrada do que cumprir a vontade de Deus, pois o fogo do amor divino incendiou meu coração.


Deus, abençoado acima de tudo para sempre, que criou-me através do seu poder e preencheu-me com o poder do seu Espírito Santo, tem um amor ardente por mim. No fervor do seu amor, ele me enviou seu mensageiro e deu-me compreender sua decisão de que eu devia tornar-me a Mãe de Deus . Quando percebi qual era a vontade de Deus, em seguida, através do fogo do amor que eu tinha no meu coração dirigido a Deus, uma palavra de verdadeira obediência imediatamente deixou meus lábios e dei esta resposta ao mensageiro, dizendo: "Possa ser feito a mim de acordo com sua palavra". Neste mesmo instante, a Palavra se tornou carne em mim. O Filho de Deus tornou-se meu filho.


Nós dois tínhamos um filho que é Deus e Homem ao mesmo tempo, pois sou mãe e virgem ao mesmo tempo. Como meu filho Jesus Cristo, verdadeiro Deus e o mais sábio dos homens, deitou-se no meu útero, recebi essa tão grande sabedoria através dele que compreendo não só a aprendizagem dos acadêmicos, mas também eu mesmo poderia discernir se seus corações eram verdadeiros, se suas palavras procediam do amor a Deus ou de mera inteligência acadêmica. Portanto, quem ouvir as minhas palavras deve informar esse estudioso que tenho três perguntas para ele: primeiro, se ele pretender conquistar o favor e a amizade do bispo num sentido corporal mais do que ele pretender apresentar alma do bispo a Deus em um sentido espiritual. Segundo, se sua mente mais se rejubila em possuir tantos florins em possuir nenhum. Terceiro, qual, das duas opções seguintes, ele prefere: ser chamado um estudioso e tomar seu lugar entre as fileiras honradas pelo amor à glória mundana ou para ser chamado de um simples irmão e tomar seu lugar entre os humildes.


Permitam-lhe a refletir estas três perguntas cuidadosamente. Se seu amor pelo o bispo é corporal em vez da espiritual, daí se segue que ele lhe diz coisas que gosta de ouvir em vez de proibi-lo de fazer todas as coisas pecaminosas que ele gosta de fazer.

Se ele for mais feliz possuindo muitos florins, em vez de nenhum, então ele ama riquezas, mais do que a pobreza. Então, ele dá a impressão de aconselhar os seus amigos para adquirir tanto quanto podem e ao invés de abandonarem o que fosse supérfluo de bom grado. Se, por amor a honra mundana, ele prefere sua reputação de acadêmico e sentar-se em um lugar de honra, então ele ama o orgulho mais do que a humildade e, portanto, parece a Deus mais como um burro do que um estudioso. Nesse caso, ele está mascando sobre palha vazia, o que é o mesmo que conhecimentos acadêmicos sem caridade, e ele não tem o trigo fino da caridade, pois a caridade divina nunca pode se tornar forte em um coração orgulhoso".


Depois que o estudioso havia se desculpado com o pretexto de que ele tinha uma vontade maior de apresentar a alma do bispo a Deus em um sentido espiritual e que ele preferiria ter nenhum florim e, em terceiro lugar, que ele não se preocupava sobre o título de especialista, a Mãe disse novamente: "Sou aquela que ouviu a verdade dos lábios de Gabriel e acreditou sem duvidar. É por isso que a Verdade tomou para si carne e sangue do meu corpo e permaneceu em mim.


Eu trouxe à luz a essa mesma Verdade que foi Deus e Homem. Na medida em que a Verdade, que é o Filho de Deus, desejava vir a mim, morar em mim e a nascer de mim, sei muito bem se pessoas têm verdade sobre seus lábios ou não. Fiz ao estudioso três perguntas. Eu aprovaria sua resposta se houvesse verdade nas suas palavras. No entanto, não havia nenhuma verdade nelas. Por isso, vou dar-lhe três avisos. A primeira é que existem algumas coisas que ele ama e deseja neste mundo mas que ele não obterá mesmo. A segunda é que ele perderá em breve a coisa que ele tem alegria mundana em possuir. O terceiro é que os pequenos entrarão no céu. Os grandes permanecerão de fora, porque o portão é estreito".

Livro 3, capítulo 9.

Palavras da Virgem à noiva sobre como aqueles que podem ver e ouvir, etc. escapam aos perigos em virtude da luz do sol, etc., mas perigos acontecem àqueles que estão cegos e surdos e assim por diante.

CAPÍTULO 9 do livro 3 - A mãe fala: "apesar de um homem cego não vê-lo, o sol ainda brilha claramente no esplendor e beleza mesmo enquanto ele está a cair no fundo do precipício. Os viajantes que têm visão clara são gratos à clara luz que os ajuda a evitar os perigos da sua viagem. Embora o homem surdo não o ouça, ainda assim a violenta avalanche desce sobre ele esmagando-o terrivelmente do alto, mas quem pode ouvi-la vindo escapa para lugares mais seguros. Embora um homem morto não possa provar enquanto ele jaz apodrecendo entre vermes, uma boa bebida ainda tem gosto doce. Um homem vivo pode bebê-lo e se contentar, sentindo-se encorajado para qualquer feito corajoso".

A Virgem fala para sua filha, oferecendo garantias sobre as palavras proferidas a ela; e sobre o perigo do colapso da Igreja se aproximando, e sobre como, infelizmente, os supervisores da Igreja em grande parte dedicam-se hoje em dia a uma vida de imoralidade e a ganância, e o desperdício dos bens da Igreja no seu orgulho, e sobre como a fúria de Deus é suscitada contra eles.

Capítulo 10 do livro 3 - A Mãe fala: "não tenhas medo das coisas que estás prestes a veres, pensando que elas vêm o espírito do mal. Tal como luz e calor acompanham a aproximação do sol, mas não segue a uma sombra escura, da mesma forma duas coisas acompanham a chegada do Espírito Santo no coração: ardente amor por Deus e a iluminação completa da Santa fé. Agora estás experimentando essas duas coisas. Essas duas não se seguem ao diabo, a quem nós podemos assemelhar a uma sombra escura. Portanto, envia meu mensageiro ao homem que te mencionei. Apesar de conhecer seu coração e como ele vai responder e o fim iminente da sua vida, deverás ainda enviar-lhe a seguinte mensagem.


Eu o faria saber que o fundamento da Igreja Sagrada está tão fortemente deteriorado em seu lado direito que o seu telhado em arcadas tem muitas fissuras na parte superior, e que isso faz com que as pedras caiam tão perigosamente que muitos daqueles que passam abaixo dela percam as vidas. Várias das colunas que devem ficar eretas estão quase ao nível do solo e até mesmo o piso é tão cheio de buracos que os cegos que entram lá têm quedas perigosas. Às vezes acontece mesmo que, juntamente com os cegos, pessoas com boa acuidade visual têm quedas feias devido aos buracos perigosos no piso. Como resultado de tudo isto, a Igreja de Deus está perigosamente cambaleando e se ela está cambaleando tanto, o que a aguarda em seguida se não seu colapso?


Garanto-vos que, se ela não for ajudada por reparos, seu colapso será tão grande que será ouvida em toda a cristandade.

Sou a Virgem cujo ventre o filho de Deus condescendeu em entrar, sem o mínimo traço de luxúria carnal. O filho de Deus nasceu do meu útero fechado, dando-me consolação, mas nenhuma dor. Eu fiquei de pé junto à Cruz quando ele vitoriosamente superou o Inferno por meio de seu paciente sofrimento e abriu o céu com o sangue do seu coração. Fiquei também sobre a montanha quando o filho de Deus, que também é meu filho, subiu aos céus. Tenho o conhecimento mais claro de toda a fé Católica que ele pregou e ensinou a todos que queriam entrar o céu.


Eu sou essa mesma mulher, e agora estou acima do mundo em oração contínua, como um arco-íris acima das nuvens que aparece para se inclinar em direção à terra e tocá-la, em ambas as extremidades. Vejo-me como um arco-íris a arquear para baixo em direção aos habitantes bons e maus da terra através de minhas orações. Curvo-me em direção a pessoas boas para que possam ser firmes nos mandamentos da Santa Igreja, e me curvo em direção a pessoas más para que eles não possam aumentar suas maldades e ficarem ainda piores. Eu faria o homem que mencionei saber que nuvens implacáveis e horríveis sobem em na direção do arco-íris resplandecente. Por essas nuvens, quero simbolizar aqueles que levam uma vida de imoralidades, aqueles que são tão insaciáveis como o abismo do oceano em sua ganância por dinheiro e aqueles que arrogante e irracionalmente gastam seus meios num desperdício como de uma torrente derrama sua água.


Muitos dos supervisores da Igreja são culpados por estas três coisas, e seus pecados terríveis se elevam ao céu à vista de Deus, tão opostas às minhas orações quanto às nuvens obscenas que se opõem ao arco-íris resplandecente. Os homens que deveriam estar aplacando a fúria de Deus juntamente comigo, em vez disso estão provocando fúria de Deus contra si. Esses homens não devem ser promovidos na Igreja de Deus. Eu, a Rainha do céu, chegarei ao auxílio de quem, conhecendo a sua própria insuficiência, esteja disposto a assumir a tarefa de tornar a fundação da Igreja estável e restaurando a vinha abençoada que Deus fundou com seu sangue e, juntamente com os anjos, arrancarei pelas raízes as raízes soltas e arremessarei quaisquer árvores sem fruto para o fogo e plantarei mudas frutíferas . Por esta vinha, quero dizer a Igreja de Deus em que as duas virtudes da humildade e a caridade divina devem ser restauradas."

Explicação. O Filho de Deus fala dos núncios papais: " entrastes na companhia de governantes e vos tornareis ainda mais elevados. Digno é aquele que para exalta a humildade, pois o orgulho já se elevou demais. Quem tem a caridade pelas almas também receberão as honras mais altas, pois a ambição e a simonia agora prevalecem entre as muitas pessoas. Feliz é ele que tenta erradicar os vícios do mundo, tanto quanto ele puder, porque agora os vícios se tornam anormalmente fortes.

Também é mais eficiente ter paciência e rezar por ele, pois, nos dias de muitos que ainda vivem, o sol vai ser rasgar em dois, as estrelas serão atiradas à confusão, a sabedoria será considerada tola, os humildes na terra gemerão e prevalecerão os ousados. A compreensão e a interpretação destas coisas pertence aos sábios que sabem como tornar o bruto, suave e prover para o futuro." A revelação precedente foi para o Cardeal de Albano, que era então um prior.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Infelizmente, devido ao alto grau de estupidez, hostilidade e de ignorância de tantos "comentaristas" (e nossa falta de tempo para refutar tantas imbecilidades), os comentários estão temporariamente suspensos.

Contribuições positivas com boas informações via formulário serão benvindas!

Regras para postagem de comentários:
-
1) Comentários com conteúdo e linguagem ofensivos não serão postados.
-
2) Polêmicas desnecessárias, soberba desmedida e extremos de ignorância serão solenemente ignorados.
-
3) Ataque a mensagem, não o mensageiro - utilize argumentos lógicos (observe o item 1 acima).
-
4) Aguarde a moderação quando houver (pode demorar dias ou semanas). Não espere uma resposta imediata.
-
5) Seu comentário pode ser apagado discricionariamente a qualquer momento.
-
6) Lembre-se da Caridade ao postar comentários.
-
7) Grato por sua visita!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Pesquisar: