quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

IDEOLOGIA: O QUE É, SUAS ARMADILHAS.



Ideologia é uma estratégia que se baseia em doutrinação de pessoas com idéias falsas e revolucionárias visando à subversão da ordem moral, social, familiar, econômica e político-jurídica de uma nação e beneficiar uma minoria, deixando a maioria a sonhar com "um mundo melhor". 

Ideologia é só um monte de idéias falsas, pronto!

Uma ideologia começa com a fabricação de um grupo supostamente oprimido (que será manipulado como um grupo revolucionário) por um grupo supostamente opressor (que será atacado e destruído pelo "oprimido" com justificativas falsas para que seja "neutralizado", deixando um vácuo de poder a ser preenchido com um marionete mais adequado, submisso e colaborador do que o "opressor"). Tal enfrentamento, com promessas de mais liberdade, mais igualdade e um tratamento mais fraterno para o "oprimido" caso ele vença, é provocado generalizando-se exceções abusivas encontradas no grupo "opressor" (ao invés de reprimir os abusos, pois o abuso não pode desacreditar o uso), colocando todo o grupo atacado no "mesmo balaio".

Tomemos um exemplo: feministas x homens (chamados "machistas" - homem neutralizado não é mais chamado machista). 

Dizem às mulheres que uma minoria de homens abusivos são a regra (ideólogos sempre massificam e universalizam tudo), então todos os homens precisam ser vistos como inimigos. Começam enchendo as mulheres de direitos e privilégios em nome dos princípios da igualdade, da liberdade e da fraternidade, enquanto os homens perdem muitos dos seus ou são forçados a cederem em nome de tais princípios. Quando houver um desequilíbrio real de direitos e deveres entre homens e mulheres, os homens já passarão a enxergar as mulheres como inimigas - e uma aliança destinada por Deus a amalgamar a sociedade a partir da família se desfaz. A feminista anula a função do homem na família e na sociedade, o homem ingênuo começa a aceitar e até a defender teses feministas e, pronto!, as crenças cristãs que ordenam a sociedade (liderança e proteção masculinas) são eliminadas. Produtos: filhos sem limites (filhos bandidos = crimes, instabilidade social e política, e filhas promíscuas = abortos, desestímulos a criação de famílias, mais instabilidade social - cada qual procura a bandidagem como ficar mais fácil), já que a mãe raramente consegue cumprir o papel do pai (liderar sua família, colocar limites e ser o exemplo moral para os filhos), divórcio (se o marido reagir, haverá brigas; se não reagir, ele será considerado um fraco pela esposa e devidamente desprezado e dispensado por ela - mulheres odeiam homens inferiores a elas; se se distanciar, ele acabará achando a felicidade noutro lugar ou ela o achará um inútil a ser dispensado, etc) e a desestabilização ou destruição da família (filhos de lares assim raramente querem formar uma família ou encontram sérias dificuldades para mantê-la estável, já que não tiveram exemplo com que aprender). 

A destruição da família é essencial para que as tradições (conhecimentos e práticas passadas de pais a filhos) sejam interrompidas, destruídas e substituídas por doutrinas mais adequadas para que as pessoas se tornem servos dóceis do grande capital e seus interesses satânicos com enorme perigo para a salvação das almas.

Observe que o produto final do combate entre "oprimido x opressor" é sempre a mudança de crenças para que haja uma mudança de atitudes a partir de um falso problema fabricado a fim de produzir uma falsa solução desejada (tese-antítese-síntese). No caso do feminismo, a tese é a opressão machista sobre as mulheres, a antítese é o movimento feminista e a síntese (resultado do embate entre tese e antítese) é a destruição da família, o impedimento do surgimento de outras ou a disfuncionalidade da que subsistir (clamando por mais uma falsa solução ainda pior). 

Substitui-se a crença cristã reinante por uma crença satânica para estabelecer-se o reinado do Anticristo, não o "mundo melhor" que os ideólogos tanto prometem. Para não ser destruído, o ser humano tenta tolerar o mal existente, e acaba substituindo seu conjunto de crenças pela ideologia justamente através da sua tolerância.

É mais ou menos assim: para convencer os moradores de um apartamento que vocês precisam ter uma fonte de leite independente, ponha uma vaca dentro de casa; quando ninguém suportar mais o bovino, sugira trocá-la por uma cabra - será um alívio para todos (um mal menor), e ainda terão leite...o negócio é infernizar a casa (com várias outras consequências), não a obtenção do leite, entende?

O mesmo ocorre nos embates capitalismo x comunismo (=fascismo, um capitalismo de compadres e amigos dos políticos apoiado por um Estado totalitário e escravizador de seus cidadãos como resultado), feminismo x "machismo" (=destruição das famílias e genocídio pelo impedimento da procriação, a redução populacional tão desejada pelos globalistas), esquisitices sexuais x sexualidade ordenada (= tolerância a desvios de sexualidade, levando a crenças e práticas não desejadas por Deus, para a perda das almas, e mais subversão e instabilidade social), "minorias raciais e religiosas" x brancos cristãos (= tolerância religiosa levando ao indiferentismo e à apostasia, anulação da influência cristã na sociedade, manipulação demagógica das "minorias" para impor uma hegemonia satânica política e social), filhos x pais e alunos x professores (= destruição da autoridade legítima instituída por Deus e sua substituição pelo Estado-Babá). 

O negócio é desunir a sociedade e usar um grupo, iludido com promessas, para destruir o outro. Quando tudo estiver acabado, aparece uma solução pior e mais promessas vãs.

Ideologia é um monte de estórias falsas que usam suas fraquezas para que outros lucrem e você perca, inclusive sua alma. 

Você NÃO PRECISA de uma ideologia para viver.





terça-feira, 9 de janeiro de 2018

FEMINISMO: DEFINIÇÃO.

Incrível como o feminismo viceja entre as brasileiras! 

Aliás, qualquer coisa que não presta viceja no Brasil igual a erva daninha!

Achei as seguintes definições de feminismo:

Feminismo (subst. com. masc.):


1. misandria, ou ódio ao homem; 2.oportunidade para ficar feia, gorda, grosseira, virar professora/doutrinadora de crianças e jovens imbecis; 4.pré-requisito básico para trabalhar em ONGs/NGOs globalistas (feministas, comunistas, abortistas/assassinas, etc) financiadas por banqueiros e mega-investidores (que não desejam o lucro, claro, apenas "um mundo melhor"...para si mesmos e seus investimentos); 5.desculpas para namorar outras mulheres/lesbianismo; 6.projeção de problemas com o pai em cima de homens que nada têm a ver com o problema; 7.sintomas de mulher mal-amada; 6.estilo de vida incentivado por mãezinhas preguiçosas, oportuni$ta$, mimadas e misândricas, as quais odeiam qualquer tipo de trabalho, principalmente o doméstico (muito comum no Brasil - por isso se diz que o brasileiro é um filho da...fruta); 8.vitimismo bem recompensado por "políticas públicas de defesa e promoção/'empoderamento'das mulheres"; 9.ideologia adotada por mulheres irresponsáveis e desregradas para justificar (ab)uso de drogas e álcool, sexualidade irresponsável e pervertida, preguiça, violência física ou psicológica contra homens e mulheres normais, apoiar (ab)uso e tráfico de drogas, servir de idiota-útil para defender e divulgar o socialismo/comunismo, defender e apoiar a ideologia LGBT, atacar e/ou destruir/desestabilizar a família comum bem-estruturada, pregar imoralidades, omitir-se na defesa das mulheres realmente exploradas e oprimidas (principalmente em países islâmicos ou em tiranias socialistas como a China), subverter a ordem pública e social para ajudar globalistas a imporem as próprias regras da Lei do Cão, enfim, fazer papel de imbecil; 10.doutrina asquerosa que afugenta homens de bem e empresários(as) sérios(as), causando solidão pós-menopausa e desemprego permanente; 11.ditadura hegemônica das feias autoritárias e prepotentes contra a libido masculina pelas mulheres bonitas e graciosas; 12.reedição da perversão feminina dos últimos séculos do Império Romano em nossos dias visando à destruição da família e dos valores que sustentam a família e a pátria, diminuição populacional e controle demográfico, facilitação de invasão de bárbaros, destruição da civilização e a promoção de estupros das mulheres (que dizem defender) por esses mesmos bárbaros (que não ousam atacar).

Quem puder acrescente algo ao verbete.

Se as feministas valorizassem tanto a "beleza interior" (desculpa esfarrapada de gente feia), por que se incomodam tanto em serem chamadas de feias e gordas? Ou, pior, como conseguem nivelar feiúra com beleza? O problema é de visão ou de funcionamento cerebral? Isso é a confluência de analfabetismo funcional com disfuncionalidade moral?

"O melhor negócio do mundo é comprar uma feminista pelo preço que ela vale e conseguir vendê-la pelo preço que ela ACHA que vale".

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Pesquisar: