quinta-feira, 26 de abril de 2012

Castidade: os benefícios.




“Só os castos são fortes”

Do latim “castitas”, de “castus”, originariamente termo da linguagem religiosa que significava: conforme aos ritos; posterior­mente foi tomado como particípio do verbo “careo” = carecer e passou a significar tam­bém: isento de, puro.

É uma virtude moral que preserva o homem de qualquer complacência indevida com a satisfação sexual.

É a expres­são de uma plena vitória da vontade sobre o instinto.

É uma nota inconfundível das almas nobres e fortes.

O homem casto não é apenas aquele que não tem uma vida desregrada, mas é o que exerce pleno controle não só sobre seus atos e palavras, mas também sobre seus impulsos íntimos e seus desejos.

As reações do animal obedecem, de modo exclusivo e ine­lutável, aos estímulos dos instintos de conser­vação e reprodução. Mas nele esses instintos têm uma regulação automática e um equilíbrio natural. No homem, esse equilíbrio é exercido pela razão consciente e voluntária. E nisso re­side a nobreza do ser humano.

O devasso acaba se assemelhando ao animal, escravo dos próprios instintos. O casto controla os seus ins­tintos, segundo as finalidades superiores da razão: não vive para comer, mas come para viver; não vive para o sexo, mas submete a atividade sexual à sua função imanente de transmitir o dom da vida e de permitir entre os esposos a realização da plenitude de amor humano.

A castidade é o resultado de uma autodisciplina, permanentemente exercida so­bre os pensamentos, os desejos, os sentidos num ideal de nobre austeridade voluntaria­mente aceito. A impostura dos devassos con­siste em se apresentarem como corajosos, li­bertos de todos os tabus.

Na realidade, são covardes que abdicaram da luta interior e se tornaram escravos de suas paixões, porque, de fato, só os castos são fortes.
_______________________

Fonte: Pe. Fernando Bastos de Ávila, S.J. – Pequena Enciclopédia de Moral e Civismo, MEC – Ministério da Educação e Cultura, FENAME – Fundação Nacional do Material Escolar, 2a edição, 1975, verbete Castidade, página. 116.

Benefícios da Abstinência

Nós vivêmos numa cultura onde a sexualidade foi trivializada para níveis absurdos. Para algumas pessoas, o facto de haver pessoas que promovam a abstinência sexual (AS) “não faz sentido”. Os nossos líderes tentam desesperadamente combater a gravidez juvenil e a propagação das doenças sexualmente transmitidas, mas deixam de lado o único método que funciona sempre que é seguido.

Alguns “especialistas” dizem que a AS não funciona porque há pessoas que não conseguem manter o compromisso. Embora isto seja verdade, não deixa de ser ilógico. Para se vêr a ilogicalidade deste ponto de vista basta fazer a pergunta: há algum programa de combate à SIDA que funcione sempre? Por outras palavras, deve o sucesso (e o insucesso) de um determinado programa social ser medido por aqueles que não o seguem ou por aqueles que o seguem? Porque é que os secularistas apontam para casos em que as pessoas não seguem o programa como evidência contra o programa?

Há pessoas que se comprometeram a não fumar para o resto da sua vida, mas que a determinada altura cederam. Será que isto que dizer que todos os programas que promovem o combate ao tabagismo “não funcionam”? Ou será que a pessoa deixou de seguir o program anti-tabagista?

Do mesmo modo, há pessoas que se comprometeram a não ter relações sexuais antes do casamento, mas que a determinada altura cedem. Isso não invalida que a AS seja o método mais fiável para se combater muitos males. Semelhantemente, o facto de haver pessoas que não conseguiram manter o compromisso, não invalida que haja quem consiga.

A sociedade em geral promove mais o uso da preservativos do que a abstinência. O uso de preservativos nem sempre funciona, mas a abstinência funciona sempre que é seguido. Qual é o método que deve ser implementado? O método que funciona sempre que é usado, ou o método que pode falhar mesmo que seja usado correctamente?

Claro que tanto a cada vez mais secularizada europa, bem como as escolas públicas americanas sob o domínio dos secularistas, nem querem ouvir falar de programas que promovam a abstinência. Para eles, legislação que promova a abstinência é um “ataque à liberdade”.

Não só isso, mas aos poderosos lobbies infanticidas (Planned Parenthood et al) não lhes interessam políticas que possam afectar os seus rendimentos. Quanto mais promíscua uma mulher é, maiores são as chances de ter uma gravidez não desejada. Quanto mais promíscuo o homem é, maiores as hipóteses de engravidar alguém. E depois da gravidez não planeada acontecer, lá aparecem os abutres infanticidas a “sugerirem” o assassínio do bébé inocente.

Quais são as vantagens da abstinência sexual? Eis aqui algumas.

1. Consciência tranquila perante Deus devido a ausência desse pecado.

2. Paz de espírito na vida, nos relacionamentos futuros e no casamento.

3. Mais auto-respeito, mais respeito pelos outros, e mais respeito dos outros.

4. Numa relação saudável o respeito precede o amor, e a sexualidade extramarital apenas acaba com o respeito próprio e o com o respeito pelo parceiro.

5. A abstinência sexual faz com que se entre no casamento com expectativas positivas e sem fardos emocionais.

6. Liberdade para ti e para o futuro cônjuge.

7. Maiores chances de se ter um casamento estável e satisfatório.

8. Relacionamentos mais longos. A sexualidade extra-conjugal é o factor que mais termina relacionamentos.

9. Não se é alvo de comparações sexuais.

10. Fica-se livre de preocupações relativas à gravidez indesejada, bem como livre de preocupações em torno de doenças sexualmente transmitidas (DST).

11. Menos preocupações em relação à má reputação.

12. É um facto confirmado que as pessoas que têm sexo antes do casamento são mais propensas a infidelidade matrimonial do que as pessoas que se preservam puras até o casamento.

13. A sexualidade pré-matrimonial por vezes engana a pessoa a casar-se com alguém que não era certa para ela.

14. No que toca a parceiros de namoro ou futuros cônjuges, os rapazes e as raparigas mais “experientes” são geralmente menos desejáveis e menos respeitadas.

15. Há 98% de hipótese de não te casares com o namorado ou namorada do liceu, portanto é melhor ficares puro/pura até o dia do casamento.

….

Há dias vi um programa que falava do aumento dos infectados com o virus da SIDA. Como não poderia deixar de ser, eles atacaram a igreja católica por ser contra os contraceptivos. O programa foi do mais enganador que se poderia ser no que toca a posição da igreja católica, e eu explico porquê.

A ideia que ficou é que a igreja católica proíbe o uso de preservativos durante a sexualidade extra-matrimonial. Mas isto é enganador. A igreja católica proíbe a sexualidade fora do vínculo matrimonial, quer seja com ou sem preservativo. O programa “esqueceu-se” de mencionar isso, deixando a imagem que a igreja católica estava a ser irresponsável ao proibir o uso do preservativo durante os relacionamentos sexuais, dentro e fora do casamento.

O ênfase é no acto em si, e não no que se faz durante o acto. O programa não fêz essa distinção.

Conclusão

A AS é o único método verdadeiramente eficaz no combate à gravidez juvenil e à propagação das DST. As entidades governativas têm gasto tempo e dinheiro em “informação” em torno do uso do preservativo e afins. O seu “sucesso” tem sido debatível. As DST continuam a infectar mais pessoas, e a gravidez juvenil não parece estar a diminuir. Não será tempo dos governantes investirem tempo e dinheiro no método de Deus, o único que verdadeiramente funciona a 100% quando é aplicado?

1 Tessalonicenses 4
1. Finalmente irmãos, vos rogamos e exortamos no Senhor Jesus, que assim como recebestes de nós, de que maneira convém andar e agradar a Deus, assim andai, para que abundeis cada vez mais.2. Porque vós bem sabeis que mandamento vos temos dado pelo Senhor Jesus.

3. Porque esta é a vontade de Deus, a vossa santificação: que vos abstenhais da prostituição.

Hebreus 13
4. Venerado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; porém aos que se dão à prostituição e aos adúlteros Deus os julgará.

Numa era em que os valores cristãos estão a ser atacados como nunca dantes, que o Senhor Jesus Cristo use a Sua Igreja para exibir a Sua Luz num mundo que vive na escuridão do pecado.

Amén.

FONTE: http://darwinismo.wordpress.com

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Pesquisar: