sábado, 15 de novembro de 2014

Carta a um amigo: o retrato da "tradição" hoje.

Caro Amigo:

Suas preocupações procedem. Os carismáticos gostam de usurpar qualquer liderança e de imporem o próprio jeito.

A tendência é de extinção do católico modernista para ele virar carismático, tradicional, protestante, ateu (ativista marxista/ecologista/feminista/new age da TL), espírita, budista ou macumbeiro.

Entendo a intenção de congregar o maior número possível de pessoas (eu também gostaria disso).

Essa questão dos carismáticos é um ponto delicado. É melhor mantê-los longe ou sob controle estrito. Uma das maneiras de fazê-lo é não haver cantoria e ter um roteiro estrito a ser seguido e sem intervenções individuais (por exemplo, numa "hora santa" - se deixar por conta deles, eles começam aquele falatório emocional pentecostal que ninguém aguenta!). É melhor fazer uma procissão só com reza mesmo (cronometrando o tempo médio que se gasta e vendo o tanto que se pode rezar nesse intervalo). É preciso deixar claro, principalmente para os carismáticos, que precisamos deixar as preferências individuais ou de certos grupos de lado, ater-nos ao que for essencial - já que algumas práticas de uns grupos são antipatizadas por outros, mas que o que nos une conta com a aprovação geral. Precisamos ser sinceros e claros com todos desde o início. Tomara que aceitem.

Nossos amigos tradicionais enxergam heresias até onde não há. É uma paranóia que aprenderam da Montfort. Eles não aprenderam a superar um modelo que funcionava até o tempo de Pio XII, quando éramos maioria e contávamos com o apoio do clero. Hoje em dia, o exército foi dispersado ou se rendeu, e temos que agir como células terroristas ou guerrilheiras - em pequenos, unidos mas bem organizados grupos, a menos que queiramos ser "franco-atiradores".

Oração meditativa? Nem pensar! Só padre que pode, só monge é que deve, segundo eles (falácia da autoridade). Eles não percebem que a base da santificação é esse tipo de oração. Eles acabam ficando sem recursos espirituais se continuarem assim. Já consegui perceber a falta de sabedoria e de discernimento da maioria dos nossos amigos tradicionais para coisas muito simples. Eles gostam mesmo é de discutir questões estratosféricas. Agir, que é bom, nada.

Muitos estão desanimados de tanto falar em crise na Igreja. Ao invés de se esforçarem pela melhor causa que existe (a própria santificação) e compartilharem com os outros alguma experiência que auxilie alguém, ficam apontando heresias, discutindo S. Tomás de Aquino (ao invés de aprofundar o catecismo) ou os últimos lances da novela FSSPX versus Vaticano, etc. Isso desanima mesmo. Se falassem mais A Deus do que DE Deus (como escreveu S. Teresinha), seriam mais animados e ativos (o tal contemplativo em ação dos jesuítas é isso aí). Mais uma prova de que a vida espiritual daquele pessoal está parecendo bem pobrezinha...

Realmente, essas "facções" e cismas até dentro dos grupos tradicionais me entristecem. As pessoas deixam de fazer juntas o que elas têm em comum (isso exige quase um "ecumenismo" dentro da própria Igreja!) e se desunem, enfraquecendo qualquer iniciativa. Ficam aguardando aprovação deste ou aquele padre ou bispo, da Montfort, da Opus Dei, do Olavo do Carvalho, do movimento tal ou qual, etc. Enquanto isso, o inimigo faz a farra em cima da obediência, excessivamente passiva e humana.

Rezemos por alguma luz. Desculpe a verborragia. Parabéns mais uma vez pelas iniciativas!

Grato,

Seu amigo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Infelizmente, devido ao alto grau de estupidez, hostilidade e de ignorância de tantos "comentaristas" (e nossa falta de tempo para refutar tantas imbecilidades), os comentários estão temporariamente suspensos.

Contribuições positivas com boas informações via formulário serão benvindas!

Regras para postagem de comentários:
-
1) Comentários com conteúdo e linguagem ofensivos não serão postados.
-
2) Polêmicas desnecessárias, soberba desmedida e extremos de ignorância serão solenemente ignorados.
-
3) Ataque a mensagem, não o mensageiro - utilize argumentos lógicos (observe o item 1 acima).
-
4) Aguarde a moderação quando houver (pode demorar dias ou semanas). Não espere uma resposta imediata.
-
5) Seu comentário pode ser apagado discricionariamente a qualquer momento.
-
6) Lembre-se da Caridade ao postar comentários.
-
7) Grato por sua visita!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Pesquisar: