domingo, 19 de outubro de 2014

A Bíblia contra o Protestantismo - parte 7

8 . INTERPRETAÇÃO DA BÍBLIA

OBJEÇÃO : Os protestantes proclamam a plena liberdade individual na interpretação da Bíblia. Por que a Igreja Católica não a permite ?

RESPOSTA : a ) O triste resultado da livre interpretação da Bíblia pelos protestantes é a divisão em milhares de seitas, contrária à vontade e oração de Jesus na Última Ceia: (Jo 17,20-21). "Não rogo só por eles, mas também por aqueles que vão crer em mim, por meio da sua palavra, para que todos sejam uma só coisa, assim como tu, ó Pai, estás em mim e eu em ti ; também eles sejam um em nós, a fim de que o mundo creia que tu me enviaste".

Outro lastimável efeito nestas seitas é a negação de alguns sacramentos e muitas verdades importantes, contra a expressa ordem de Cristo: (Mt 28,19-20) "Ide, pois, ensinar todos os povos... ensinando-os a observar tudo o que vos mandei ".

A Igreja Católica zelava para permanecer fiel e obediente à vontade de Cristo. Por isso, apesar de tantos séculos, tantas raças e línguas, guarda firmemente a unidade e toda doutrina e todos os sacramentos recebidos de Jesus. Por isso já S.Paulo a chamava "Coluna e fundamento da verdade : (I Tm 3,14-15). "Escrevo-te para que saibas como deves portar-te na casa de Deus, que é a Igreja de Deus vivo, coluna e fundamento da verdade".

O mesmo S. Paulo, zelando pela fidelidade doutrinal, exorta o bispo de Creta: (Tt 1,5-9)"... É
preciso que o bispo seja... aderindo firmemente à palavra fiel... para que possa exortar segundo a
sã doutrina e refutar os que a contradizem".

b ) Alguns protestantes argumentam em favor da livre interpretação da Bíblia com as palavras de
S. Paulo ( II Tim 3,14-17 ) : " Desde a infância você conhece as Escrituras ... Toda a Escritura divinamente inspirada é útil para ensinar, para repreender, para corrigir, para formar na justiça, a fim
de que o homem de Deus seja perfeito, apto para toda a obra boa". Pois bem; claro mas a obra boa
por excelência , recomendada por Jesus e igualmente por S. Paulo , repetidas vezes , é a união
de todos os cristãos na mesma Igreja -o Corpo místico de Cristo, na mesma fé, na mesma doutrina e
tradição apostólica . Pelo contrário , as divisões e seitas são a pior obra, nascida por uso leviano e
lamentável abuso da Bíblia.

Escutemos, ainda, as claras palavras advertências bíblicas da carta de S. Pedro : ( II Pd 1,20 )
"Sabei , porém , antes de tudo , que toda profecia contida na Escritura não será sujeita à interpretação particular". E mais para frente ele escreve: (II Pd 3,16) "Nas quais (cartas de S. Paulo) há algumas coisas difíceis, que os indoutos e inconstantes adulteram , como fazem com
outras escrituras, para própria perdição".

c ) Comparação com a vida social organizada . Cada um de nós pode comprar livros medicinais, à vontade, e estuda-los. Mas somente os que estudam a medicina na universidade e foram aprovados e diplomados como médicos, são autorizados a dar consultas e receitas, ou fazer operações nos hospitais. E ninguém de nós arriscaria submeter-se à operação, por um "curioso" autônomo.
As mesmas regras valem na pilotagem dos aviões e navios . Todos podem ler os livros de engenharia e pilotagem : mas somente os pilotos aprovados e diplomados ficam autorizados a conduzi-los.

O mesmo vale na sociedade religiosa, organizada por Cristo, na Igreja: Todos são convidados a escutar a voz da consciência e a ler e meditar as Sagradas Escrituras. Porém em coisas mais importantes, difíceis e duvidosas, Jesus deixou-nos os "médicos" e "pilotos"por Ele mesmo instruídos e autorizados para curar e guiar as nossas almas na difícil passagem para o porto da eternidade. Eles são Apóstolos e seus sucessores, os papas e bispos católicos. Só eles têm a promessa de Cristo, de serem introduzidos pelo Espírito Santo em toda a verdade. (Jo 16,13). Daí a garantia de Jesus: "Quem vos ouve, a mim ouve ; quem vos despreza, a mim despreza; e quem me despreza, despreza aquele que me enviou". (Lc 10,16).
voltar ao índice


9 . A BÍBLIA - A ÚNICA FONTE DA FÉ ?

OBJEÇÃO : Para os protestantes a Bíblia é a única fonte da fé e da revelação divina, enquanto os católicos reconhecem 3 fontes : A Bíblia, a tradição apostólica e o magistério da Igreja. Quem tem razão?

RESPOSTA : A própria Bíblia não apresenta nenhum índice dos Livros Sagrados, e não afirma em nenhuma parte, ser a ela a única fonte da fé e da palavra de Deus. Pelo contrário, lemos nela que por muitos séculos Deus confiou oralmente a sua Palavra a Aliança a Noé e a Abraão, que pela tradição oral passava do pai para filhos por muitas gerações. (Gen 4,8s e 15,18s). Também Moisés recebeu a Palavra e a Aliança de Deus oralmente. E mesmo depois, quando escreveu os primeiros livros da Bíblia, guardados na Arca da Aliança, o ensinamento bíblico foi confiado ao sacerdote Araão e seus filhos. ( Lev 10,8-11).

Também Jesus não escreveu e não mandou escrever nenhum livro, mas escolheu, ensinou e autorizou oralmente os Apóstolos, ordenando-lhes: "Foi-me dado todo o poder no céu e na terra. Ide, pois, ensinar todos os povos... ensinando-os a observar tudo o que vos mandei ". (Mt 28,18-20).

Cumprindo esta ordem, os primeiros cristãos espalharam o Evangelho por tradição oral, em toda a parte, durante os primeiros decênios, como se pode ler nas seguintes cartas de S. Paulo: (Tt 1,5) "Deixei-te em Creta para que regules o que falta e estabeleças presbíteros nas cidades, segundo as prescrições que te dei". (II Tm 2,1-2) "Tu, pois, meu filho, fortifica-te na fé que em está Jesus Cristo, e o que o ouviste de mim diante de muitas testemunhas, confia-o a homens fiéis, que sejam capazes de instruir a outros".

( I Ts 2,13 ) "Não cessamos dar graças a Deus, porque ao receberdes a Palavra de Deus, que de nós ouvistes, vós a recebestes não como palavra humana, e sim - o que realmente é - como Palavra de Deus".

( II Ts 2,15 ) "Conservai as tradições que aprendestes ou por nossas palavras ou por nossa carta".

Sobre a autoridade de Pedro, reunido com os Apóstolos e presbíteros em Jerusalém (o Magistério), temos um claro testemunho em (At 15,6-29) : "Reuniram-se então os Apóstolos e presbíteros para examinar a questão ( da circuncisão dos pagãos convertidos). E depois de ter discutido longamente, Pedro ergueu-se e disse: "...Tendo nós sabido que alguns, saindo do meio de nós, sem nenhuma ordem de nossa parte, vos perturbaram com discursos que agitaram as vossas almas, aprouve a nós, depois de nos termos reunido, escolher alguns homens e enviá-los a vós... que vos exporão as mesmas coisas de viva voz. Pareceu bem ao Espírito Santo e a nós, de não impor mais nenhum outro peso..."

Esta autoridade Pedro tinha recebido de Jesus, quando lhe disse, (Mt 16,18-19). "Eu te digo: tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja... a ti darei as chaves do Reino dos céus, e o que ligares na terra, ficará ligado nos céus ; e o que desligares na terra, ficará desligado nos céus". Em Jo 16,12-13 Jesus acrescentou a promessa : "Quando vier o Espírito da verdade, guiar-vos-á por toda a verdade".

Portanto : Lógica e cronologicamente, Jesus :

1o. - Escolheu, autorizou e enviou os Apóstolos, sob a presidência de Pedro, a evangelizar todos os povos, estabelecendo assim o Magistério da Igreja.

2o - Este ensinamento, oral e pelas cartas, foi transmitido pelos Apóstolos, - como Tradição Apostólica, - aos bispos e presbíteros por eles escolhidos e consagrados: ( Mt 1,5: II Tim 2,12, I Pd 5,1-2).

3o. - Somente depois de mais de 2 séculos o Papa reunido com os Bispos em Concílio, com sua autoridade infalível, declarou uma parte destes escritos da Tradição, como Cânon de Livros Sagrados, ou Sagrada Escritura, ou Bíblia: reservando-se o direito e a obrigação de vigiar sobre sua autêntica interpretação, de acordo com a Tradição Apostólica.

Daí, quando os Católicos obedecem ao Magistério da Igreja, eles têm absoluta certeza de cumprir a Vontade de Deus; mesmo quando estão exercendo práticas que não estão claramente ensinadas na Bíblia, como por ex.: a devoção ao Sagrado Coração de Jesus, a devoção de santo Rosário, etc., - ou quando deixam de lado muitas prescrições, que por motivo especiais, circunstanciais, obrigavam o povo de Israel no Antigo Testamento.

Os protestantes, porém, para os quais somente a Bíblia é a única fonte da Palavra de Deus, seriam ainda hoje obrigados a cumprir todas as prescrições do Antigo Testamento, como por ex.:

Não acender fogo (para cozinhar) em nenhuma moradia, no sábado (Ex. 35,3). Não semear diferentes espécies no mesmo campo (Lev 19,19). Não semear e não colher nada, nos campos e na vinha, no ano sabático (Ex 23,10-11 e Lev 25,3-5 ). Não comer os frutos das árvores durante os primeiros 3 anos (Lev 19,23-25 ). Não comer sangue, nem carne com sangue (Lev 17,10-14 e 19,26 ). Não comer coelho, lebre, porco e os demais animais "impuros"(Lev 11,1-47). Punir de morte os blasfemadores, homicidas, adúlteros, homossexuais os transgressores do sábado, os que tiverem amaldiçoado os pais, ou evocado os espíritos, etc (Ex 35,1-3 e Lev 20,9-27 ; 24,10-23).

Qual a seita que está observando todas estas e outras prescrições do Antigo Testamento ? E com que autoridade podem se desculpar desta não-observância ?

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Pesquisar: