domingo, 20 de julho de 2014

Argumentos contra modernistas: o Vaticano II não aboliu a Missa tradicional, nem a mortificação, nem a penitência, nem os exercícios de piedade devocional.


Se a Igreja abandonasse tudo que fosse “ante-conciliar”, deveria abandonar as Escrituras, os sacramentos, a tradição, os escritos dos santos padres, os exemplos dos santos, etc, e virar um mingau maçônico (não é isso que eles querem?). 

O modernista acha que a Missa tridentina é ultrapassada, peça de museu.
Imagino o modernista dizendo isso a São Vicente de Paulo ou Santo Afonso de Liguori, que rezavam a Missa tridentina. Que lição ele receberia dos mesmos!
O modernista nem mesmo conhece os documentos do Vaticano II, como o Sacrosanctum Concilium:
Sobre os ritos litúrgicos:
“4. O sagrado Concílio, guarda fiel da tradição, declara que a santa mãe Igreja considera iguais em direito e honra todos os ritos legitimamente reconhecidos, quer que se mantenham e sejam por todos os meios promovidos (…)”
Sobre o latim:
“36. § 1. Deve conservar-se o uso do latim nos ritos latinos, salvo o direito particular.”
Sobre a oração, a mortificação e a penitência, além da piedade popular, algo que horroriza os modernistas, que acham que o Vaticano II aboliu tudo isso:
“12. A participação na sagrada Liturgia não esgota, todavia, a vida espiritual. O cristão, chamado a rezar em comum, deve entrar também no seu quarto para rezar a sós (29) ao Pai, segundo ensina o Apóstolo, deve rezar sem cessar (30). E o mesmo Apóstolo nos ensina a trazer sempre no nosso corpo os sofrimentos da morte de Jesus, para que a sua vida se revele na nossa carne mortal (31). É essa a razão por que no Sacrifício da Missa pedimos ao Senhor que, tendo aceite a oblação da vítima espiritual, faça de nós uma «oferta eterna» (32) a si consagrada.
13. São muito de recomendar os exercícios piedosos do povo cristão, desde que estejam em conformidade com as leis e as normas da Igreja, e especialmente quando se fazem por mandato da Sé Apostólica.”
“29 Cfr. Mt. 6,6.
30. Cfr. 1 Tess. 5,17.
31. Cfr. 2 Cor. 4, 10-11.
32. Missal Romano, 2ª feira da Oitava de Pentecostes, oração sobre as oblatas.”
Pobres seminaristas, pobres leigos iludidos pelo clero ignorante e enganados pelos maçons!
Os tradicionais poderiam usar isso como argumento contra os modernistas. É como a oração da Medalha de São Bento: “o veneno que tu me ofereces, bebe-o tu mesmo!”
Viva a Missa tridentina, viva a piedade, viva a oração, viva a penitência, viva a mortificação, viva a Igreja!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Infelizmente, devido ao alto grau de estupidez, hostilidade e de ignorância de tantos "comentaristas" (e nossa falta de tempo para refutar tantas imbecilidades), os comentários estão temporariamente suspensos.

Contribuições positivas com boas informações via formulário serão benvindas!

Regras para postagem de comentários:
-
1) Comentários com conteúdo e linguagem ofensivos não serão postados.
-
2) Polêmicas desnecessárias, soberba desmedida e extremos de ignorância serão solenemente ignorados.
-
3) Ataque a mensagem, não o mensageiro - utilize argumentos lógicos (observe o item 1 acima).
-
4) Aguarde a moderação quando houver (pode demorar dias ou semanas). Não espere uma resposta imediata.
-
5) Seu comentário pode ser apagado discricionariamente a qualquer momento.
-
6) Lembre-se da Caridade ao postar comentários.
-
7) Grato por sua visita!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Pesquisar: