terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Espelho da Perfeição - cap. LXI.


Capítulo 61. Como, diante do povo, se fez puxar despido, com uma corda ao pescoço.

1 Certa vez, tendo melhorado um pouco de uma gravís­sima enfermidade, pareceu-lhe que na doença tivesse exagerado um pouco na alimentação, embora tivesse comido pouco. 2 Um dia, levantando-se, mesmo que ainda não estivesse livre da febre quartã, mandou reunir na praça o povo da cidade de Assis, para a pregação.

3 Terminada a pregação, ordenou ao povo que nin­guém se afastasse dali enquanto ele não voltasse. Entrando na ca­tedral de São Rufino com numerosos frades e com Frei Pedro Cat­tani, que fora cônego da mesma igreja e o primeiro ministro geral eleito por São Francisco, 4 disse a frei Pedro, ordenando sob obe­diência que, sem objeção, fizesse o que lhe mandava. Frei Pedro respondeu-lhe: “Irmão, não posso nem devo querer outra coisa e fazer de mim e de. ti senão o que te agrada”.

5 Por isso, despindo sua túnica, o bem-aventurado Francisco ordenou-lhe que, com uma corda amarrada ao pescoço, o levasse .nu diante do povo, até o lugar onde pregara. 6 Mandou ainda a outro frade que tomasse uma tigela cheia de cinza e subisse ao lugar onde pre­gara 7 e, quando ele fosse arrastado até lá, atirasse a cinza em seu rosto. Mas este não lhe obedeceu nisso, devido à grande compaixão e piedade que tinha por ele. 8 Frei Pedro, porém, pe­gando a corda amarrada a seu pescoço, puxava-o atrás de si, con­forme lhe mandara. Mas ele chorava muito forte e, com ele, os outros frades derramavam muitas lágrimas de compaixão e de amargura.

9 Quando foi assim levado nu diante do povo ao lugar onde havia pregado, disse: “Vós e todos os que, seguindo meu exem­plo, deixam o século e entram na religião e na vida dos frades, cre­des que eu sou um homem santo. 10 Mas confesso a Deus e a vós que nesta minha enfermidade comi carne e caldo de carne”. 11 Qu­ase todos começaram a chorar, tomados de grande piedade e compaixão, sobretudo porque era inverno e o frio era muito intenso e ele ainda não estava restabelecido da fe­bre quartã.

12 Batiam no peito e se acusavam, dizendo: “Se, por uma ne­cessidade justa e manifesta, este santo se acusa com tanta vergonha de seu corpo, 13 ele que nós sabemos que leva uma vida santa, que vemos vivendo num corpo quase morto por causa da grande abstinência e austeridade que fez desde o início de sua conversão a Cristo, 14 o que faremos nós, miseráveis, que, por todo o tempo de nossa vida, vivemos e continuamos a viver segundo os desejos da carne?” (cf. Ef 2,3).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Infelizmente, devido ao alto grau de estupidez, hostilidade e de ignorância de tantos "comentaristas" (e nossa falta de tempo para refutar tantas imbecilidades), os comentários estão temporariamente suspensos.

Contribuições positivas com boas informações via formulário serão benvindas!

Regras para postagem de comentários:
-
1) Comentários com conteúdo e linguagem ofensivos não serão postados.
-
2) Polêmicas desnecessárias, soberba desmedida e extremos de ignorância serão solenemente ignorados.
-
3) Ataque a mensagem, não o mensageiro - utilize argumentos lógicos (observe o item 1 acima).
-
4) Aguarde a moderação quando houver (pode demorar dias ou semanas). Não espere uma resposta imediata.
-
5) Seu comentário pode ser apagado discricionariamente a qualquer momento.
-
6) Lembre-se da Caridade ao postar comentários.
-
7) Grato por sua visita!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Pesquisar: