sábado, 2 de outubro de 2010

Profecias de São Malaquias.


SÃO BERNARDO FALA SOBRE SÃO MALAQUIAS.

São Malaquias nasceu em Armagh, Irlanda em 1094, segundo São Bernardo. Foi batizado como Maelmhaedhoc, e seu nome “latinizado” é conhecido como Malaquias. Tornou-se sacerdote por Al Morir San Celsus em 1119.

Depois de sua ordenação, continuou seus estudos de liturgia e teologia em Lismore, San Malchus. Em 1124 foi consagrado bispo de Condor.

Com a morte de San Cellus, São Malaquias foi nomeado Arcebispo de Armagh em 1132, por sua grande humildade e dedicação.

As intrigas não o permitiram assumir o cargo por dois anos. Em três anos restaurou a disciplina eclesiástica em Armagh. Segundo São Bernardo, São Malaquias tinha um dom para a religião.

Em 1139 viajou para Roma e no caminho visitou São Bernardo em Clairvaux. Lá começou seu legado com a Irlanda. Ao regressar via Clairvaux, juntou cinco monges para fundar na Irlanda a grande abadia de Mellifont em 1142.

Em uma segunda viajem a Roma, São Malaquias chegou doente a Clairvaux e morreu nos braços de São Bernardo em 2 de novembro.

Muitos milagres foram atribuídos a São malaquias, mas ele também era conhecido pelo seu dom de visões de profecias.

Foi canonizado pelo papa Clemente III em 6 de julho de 1199. Sua festa é celebrada em 3 de novembro.

Profecias de São Malaquias

Sobre sua própria morte

Segundo São Bernardo, São Malaquias anunciou o dia exato de sua morte (dois de novembro) estando com ele na abadia de Clairvaux.

Sobre a Irlanda

Anunciou que a Irlanda, sua pátria, será oprimida e perseguida pela Inglaterra, trazendo desgraças por sete séculos, que preservaria a fidelidade a Deus e a sua Igreja em meio a todos os problemas. No fim desse período a Irlanda seria libertada e seus opressores castigados e será instrumento fundamental para trazer a fé de volta a Inglaterra. Essa profecia foi copiada por Dom Mabillon de um antigo manuscrito de Clairvaux e transmitida pelo sucessor de Oliver Plunkett.

Sobre os Papas

A mais famosa das profecias atribuídas a São Malaquias é sobre os Papas. Ela é composta de “lemas” para cada um dos 112 papas, desde Celestino II, eleito em 1130, até o fim do mundo.

Esses “lemas” descritivos dos papas podem se referir a um símbolo de seu país de origem, a seu nome, seu escudo e armas, a seu talento ou a qualquer outra coisa referente ao Papa. Por exemplo, o lema de Urbano VIII é “Lilium et Rosa”; A era de Florença, Itália, cujo escudo tem uma flor-de-lis.

Foi muito discutido se São Malaquias é o verdadeiro autor das profecias. Alguns historiadores acreditam que o manuscrito original foi escrito até o século XVI. Se São Malaquias é o autor das profecias, essas ficaram desaparecidas por mais de 400 anos.

No século XVII, o Padre Menestrier, jesuíta, presenciou um a hipótese de profecia ser um plágio para influenciar as eleições de Gregório XIV no conclave de 1590. O lema que corresponde a este papa na profecia é “antiquitate urbis”, que faz uma alusão a sua cidade natal e sede episcopal, Orvieto (Latin: Urbs vetus).

Não existem provas para os acusadores de fraude. Porém, um dos mais respeitados historiadores do século XVI, Onófrio Panvinio, corregedor e revisor da Biblioteca do Vaticano em 1556, parece aceitar completamente a autenticidade da profecia de Malaquias.

AS PROFECIAS DE SÃO MALAQUIAS, ARCEBISPO IRLANDÊS CANONIZADO.

Em 1139 ele escreveu uma lista que profetizava todos os 112 papas que assumiriam o comando da Igreja Católica, após o pontificado de Celestino II, encerrado em 1143. A curiosidade é que os três últimos pontífices coincidiram com as características das premonições descritas por Malaquias. E mais: o novo Papa, o penúltimo segundo a profecia, seria chamado Bento XVI.

CADA PAPA É CARACTERIZADO POR UM LEMA ESCRITO EM LATIM.

O atribuído ao falecido Papa João Paulo II, o de número 110, é “De Laboris Solis” (Do trabalho do sol), interpretado como aquele que vem do leste ou como o papa de um grande e prolongado trabalho.

João Paulo I, morto em 1978 após um mês de pontificado, tem como lema “De Medietate Lunae” (Da Meia-lua), que tem relação com seu nome original Albino Luciani, que significa luz branca. Além disso, eventos importantes na vida do Papa ocorreram em noites de meia-lua. Outras profecias teriam coincidido com os demais papas.

BENTO XVI É MARCADO COMO O PENÚLTIMO PAPA

O Papa após João Paulo II foi denominado como “Gloria olivae” ou “Glória das oliveiras”. O lema remete à ordem fundada por São Bento, que tem como símbolo a oliveira. Uma das hipóteses do texto indica que Bento XVI terá seu pontificado comparado ao de Bento XV caracterizado como o Papa da paz.

Mas, segundo a profecia, assim como Bento XV teria falhado por não conseguir evitar a primeira guerra mundial, o novo Papa não conseguirá conter a terceira grande guerra. Esta seria travada pelas nações árabes, que atacariam a região onde hoje fica os Estados Unidos, depois a Europa e por fim o continente africano. Seu pontificado seria encerrado com sua morte, durante a guerra.

O pontificado de seu sucessor, Petrus Romanus – Pedro, o Romano – cujo nome remete ao primeiro bispo de Roma, o apóstolo Pedro, terminará com o Juízo Final.

TEXTOS DE SÃO MALAQUIAS ESTÃO NO VATICANO

A “Profecia dos Papas” só foi publicada em 1595, na cidade de Veneza, pelo monge Arnold de Wion. Os textos foram divulgados pela Europa e, ao longo dos séculos, vêm sendo objeto de estudo. Os textos estão hoje no Museu do Vaticano. Monge Beneditino, São Malaquias foi canonizado em 1190 pelo Papa Clemente III. Um dos milagres atribuidos a ele seria o de um rapaz que curou seu braço paralisado ao colocar sua mão sobre a do cadáver do santo.

Apesar dos autores de profecias serem ameaçados pela Igreja Católica de excomunhão, as profecias de Malaquias não foram oficialmente condenadas. Algumas piadas, inclusive, seriam usadas na hora dos conclaves, até por cardeais, para tentar adivinhar o nome do futuro Papa.

Abaixo, a lista de todos os lemas dos papas.

No fim da lista estão os nomes dos últimos papas citados por São Malaquias


1 Ex Castro Tiberis

Do Castelo do Tibre

2 Inimicus Expulsus

Inimigos Expulsos

3 De Magnitudine Montis

Procedente de Montemagno

4 Abbas Suburranus

O Abade de Suburra

5 De Ruro Albo

De um Campo Branco

6 Ex Tetro Carcere

De um Horrível Cárcere

7 Via Transtiberina

Via Mais Além do Tibre

8 De Pannonia Tusciae

Da Hungria a Toscana

9 Ex Ansere Custode

Da Guarda do Ganso

10 Lux in Ostio

A Luz em Óstia

11 Sus in Cribro

O Porco na Peneira

12 Ensis Laurentii

A Espada de Lourenço

13 De Scholia Exiet

Saído de Scola(ri)

14 De Rure Bovensi

Do Campo dos Bois

15 Comes Signatus

O Conde de Segni

16 Canonicus Ex Latere

Canônico do Ladrilho

17 Avis Ostiensis

A Ave de Óstia

18 Leo Sabinus

O Leão Sabino

19 Comes Laurentius

O Conde de (São) Lourenço

20 Signum Ostiense

O Signo (Sinal) de Óstia

21 Jerusalem Campaniae

Jerusalém Campânia

22 Draco Depressus

O Dragão Arruinado

23 Anguineus Vir

O Homem da Serpente

24 Concionator Gallus

O Pregador Francês

25 Bonus Comes

O Bom Conde

26 Piscator Tuscus

O Pescador Toscano

27 Rosa Composita

A Rosa Dissimulada

28 Ex Telonio Liliacei Martini

Do Tesoureiro de Martinho dos Lírios

29 Ex Rosa Leonina

Da Rosa Leonina

30 Picus Inter Escas

O Pica-pau Entre os Alimentos

31 Eremo Celsus

Elevado da Solidão

32 Ex Undarum Benedictione

Das Ondas do Benedito

33 Concionator Patareus

O Pregador de Patara

34 De Faciis Aquitanicis

Das Faixas da Aquitânia

35 De Sutore Osseo

Do Sapateiro de Ossa

36 Corvus Schismaticus

O Corvo Cismático

37 Abbas Frigidus

A Abade Frio

38 Ex Rosa Atrebatensi

Da Rosa de Arras

39 De Montibus Pammachii

O Lutador dos Montes

40 Gallus Vicecomes

O Visconde Francês

41 Novus de Virgine Forti

Forte da Virgem Nova

42 De Cruce Apostolica

Da Cruz dos Apóstolos

43 Luna Cosmedina

A Lua Cosmedina

44 Schisma Barcinonum

O Cisma de Barcelona

45 De Inferno Praegnani

Do Inferno de Pregnani

46 Cubus Mixtione

Cubo Sujeito à Mesclagem

47 De Miliore Sidere

De uma Estrela Melhor

48 Nauta de Pontenigro

Marinheiro do Mar Negro

49 Flagellum Solis

O Flagelo do Sol

50 Cervus Sirenae

O Cervo de Nápoles

51 Corona Veli Aurei

A Coroa do Véu de Ouro

52 Lupa Caelestina

A Loba Celestina

53 Amator Crucis

O Amante da Cruz

54 De Modicitate Lunae

Da Pequenez da Lua

55 Bos Pascens

O Boi que Pasta

56 De Capra et Albergo

De Cabra e Albergue

57 De Cervo et Leone

Do Cervo e do Leão

58 Piscator Minorita

O Pescador Menor

59 Praecursor Siciliae

O Precursor da Sicília

60 Bos Albanus in Portu

Boi de Álbano no Porto

61 De Parvo Homine

Do Homem Pequeno

62 Fructus Jovis Juvabit

O Fruto de Júpiter Comprazerá

63 De Craticula Politiana

A Grelha de Politiano

64 Leo Florentius

O Leão de Florenz (Florença)

65 Flos Pilae Aegrae

A Flor das colunas Vacilantes

66 Hyacinthus Medicorum

O Jacinto dos Médicos

67 De Corona Montana

Da Coroa do Monte

68 Frumentum Floccidum

O Trigo Insignificante

69 De Fide Petri

Da Fé de Pedro

70 Aesculapii Pharmacum

O Remédio de Esculápio

71 Angelus Nemorosus

O Anjo de Bosco

72 Medium Corpus Pilarum

O Corpo no Meio das Esferas

73 Axis in Meditate Signi

O Eixo no Meio do Emblema

74 De Rore Coeli

Do Orvalho do Céu

75 Ex Antiquitate Urbis

Da Cidade Antiga

76 Pia Civitas in Bello

Cidade Piedosa na Guerra

77 Crux Romulea

A Cruz dos de Roma

78 Undosus Vir

O Homem Agitado

79 Gens Perversa

A Nação Inimiga

80 In Tribulatione Pacis

Na Tribulação da Paz

81 Lilium et Rosa

O Lírio e a Rosa

82 Jucunditas Crucis

A Exaltação da Cruz

83 Montium Custus

O Guardião dos Montes

84 Sidus Olorum

A Estrela dos Cisnes

85 De Flumine Magno

Do Grande Rio

86 Bellua Insatiabilis

A Besta Insaciável

87 Poenitentia Gloriosa

A Penitência Gloriosa

88 Rastrum in Porta

O Rastelo na Porta

89 Flores Circumdati

Flores em Círculo

90 De Bona Religione

De Boa Religião

91 Miles in Bello

O Soldado no Combate

92 Columna Excelsa

A Coluna Elevada

93 Animal Rurale

O Animal dos Campos

94 Rosa Umbriae

A Rosa das Sombras

95 Ursus Velox

O Urso Veloz

96 Peregrinus Apostolicus

O Peregrino Apostólico

97 Aquila Rapax

A Águia Rapace

98 Canis et Coluber

O Cão e a Serpente

99 Vir Religiosus

O Varão Religioso

100 De Balneis Etruriae

De Balnes, Etrúria

101 Crux de Cruce

A Cruz da Cruz

Pío IX (1846-1878)

102 Lumen in Caelo

A Luz no Céu

Leão XIII (1878-1903).

103 Ignis Ardens

O Fogo Ardente

Pío X (1903-1914).

104 Religio Depopulata

A Religião Despovoada

Bento XV (1914-1922).

105 Fides Intrepida

A Fé Intrépida

Pío XI (1922 -1939).

106 Pastor Angelicus

O Pastor Angélico

Pío XII (1939-1958).

107 Pastor et Nauta

Pastor e Navegante

João XXIII (1958-1963)

108 Flos Florum

A Flor das Flores

Paulo VI (1963-1978).

109 De Medietate Lunae

Da Meia Lua

João Paulo I (1978).

110 De Labore Solis

Do Trabalho do Sol

João Paulo II.

111 De Gloria Olivae

Da Glória da Oliveira


112 Petrus Romanus

Pedro Romano

Na derradeira perseguição da Santa Igreja Romana estará sentado (no sólio de Pedro) Pedro Romano, que apascentará suas ovelhas em meio a múltiplas tribulações: as quais transcorridas, a cidade das sete colinas destruída, o Juiz poderoso julgará o povo e será o fim da vida como conhecemos hoje.

SUCESSÃO DOS PAPAS

São Pedro é o fundador da Igreja.

Depois dele, foram 265 os Papas que ocuparam o trono de Pedro e comandaram o rebanho católico.


1. São Pedro (32-67)

2. S. Lino (67-76)

3. S. Anacleto (ou Cleto) (76-88)

4. S. Clemente I (88-97)

5. S. Evaristo (97-105)

6. S. Alexandre I (105-115)

7. S. Sixto I (115-125)

8. S. Telésforo (125-136)

9. S. Higino (136-140)

10. S. Pio I (140-155)

11. S. Aniceto (155-166)

12. S. Sotero (166-175)

13. S. Eleutério (175-189)

14. S. Vitor I (189-199)

15. S. Zeferino (199-217)

16. S. Calisto I (217-222)

17. S. Urbano I (222-230)

18. S. Ponciano (230-235)

19. S. Antero (235-236)

20. S. Fabiano (236-250)

21. S. Cornélio (251-253)

22. S. Lúcio I (253-254)

23. S. Estevão I (254-257)

24. S. Sisto II (257-258)

25. S. Dionisio (259-268)

26. S. Felix I (269-274)

27. S. Eutiquiano (275-283)

28. S. Caio (283-296)

29. S. Marcelino (296-304)

30. S. Marcelo I (308-309)

31. S. Eusébio (309)

32. S. Melquíades (311-314)

33. S. Silvestre I (314-335)

34. S. Marcos (336)

35. S. Júlio I (337-352)

36. Libério (352-366)

37. S. Dâmaso I (366-383)

38. S. Sirício (384-399)

39. S. Anastácio I (399-401)

40. S. Inocêncio I (401-417)

41. S. Zózimo (417-418)

42. S. Bonifácio I (418-422)

43. S. Celestino I (422-432)

44. S. Sisto III (432-440)

45. S. Leão Magno (440-461)

46. S. Hilário (461-468)

47. S. Simplício (468-483)

48. S. Félix III (II) (483-492)

49. S. Galásio I (492-496)

50. Anastácio II (496-498)

51. S. Símaco (498-514)

52. S. Hormiscas (514-523)

53. S. João I (523-526)

54. S. Félix IV (III) (526-530)

55. Bonifácio II (530-532)

56. S. João II (533-535)

57. S. Agapito I (535-536)

58. S. Silvério (536-537)

59. Vigilio (537-555)

60. Pelágio I (556-561)

61. João III (561-574)

62. Bento ou Benedito I (575-579)

63. Pelágio II (579-590)

64. S. Gregório Magno I (590-604)

65. S. Sabiniano (604-606)

66. Bonifácio III (607)

67. S. Bonifácio IV (608-615)

68. S. Adeodato I (615-618)

69. Bonifácio IV (619-625)

70. Honório I (625-638)

71. Severino (640)

72. João IV (640-642)

73. Teodoro I (642-649)

74. S. Martinho I (649-655)

75. S. Eugênio I (654-657)

76. S. Vitaliano (657-672)

77. Adeodato II (672-676)

78. Dono (676-678)

79. S. Ágato (678-681)

80. S. Leão II (682-683)

81. S. Bento ou Benedito II (684-685)

82. João V (685-686)

83. Conão (686-687)

84. S. Sérgio I (687-701)

85. S. João VI (701-705)

86. João VII (705-707)

87. Sisínio (708)

88. Constantino (708-715)

89. S. Gregório II (715-731)

90. S. Gregório III (731-741)

91. S. Zacarias (741-752)

92. S. Estevão II (752)

93. S. Estevão III (752-757)

94. S. Paulo I (757-767)

95. Estevão IV (767-772)

96. Adriano (772-795)

97. S. Leão III (795-816)

98. Estevão V (816-817)

99. S. Pascoal I (817-824)

100. Eugênio II (824-827)

101. Valentim (827)

102. Gregório IV (827-844)

103. Sérgio II (844-847)

104. S. Leão IV (847-855)

105. Bento ou Benedito III (855-858)

106. S. Nicolau I Magno (858-867)

107. Adriano II (867-872)

108. João VIII (872-882)

109. Mariano I (882-884)

110. S. Adriano II (884-885)

111. Estevão VI (885-891)

112. Formoso (891-896)

113. Bonifácio VI (896)

114. Estevão VII (896-897)

115. Romano (897)

116. Teodoro II (897)

117. João IX (898-900)

118. Bento ou Benedito IV (900-903)

119. Leão V (903)

120. Sérgio III (904-911)

121. Anastácio III (911-913)

122. Lando (913-914)

123. João X (914-928)

124. Leão VI (928)

125. Estevão VIII (929-931)

126. João XI (931-935)

127. Leão VII (936-939)

128. Estevão IX (939-942)

129. Mariano II (942-946)

130. Agapito II (946-955)

131. João XII (955-963)

132. Leão VIII (963-964)

133. Bento ou Benedito V (964)

134. João XIII (965-972)

135. Bento ou Benedito VI (973-974)

136. Bento ou Benedito VII (974-983)

137. João XIV (983-984)

138. João XV (985-996)

139. Gregório V (996-999)

140. Silvestre II (999-1003)

141. João XVII (1003)

142. João XVIII (1003-1009)

143. Sérgio IV (1009-1012)

144. Bento ou Benedito VIII (1012-1024)

145. João XIX (1024-1032)

146. Bento ou Benedito IX (1032-1045)

147. Silvestre III (1045)

148. Bento ou Benedito IX (1045)

149. Gregório VI (1045-1046)

150. Clemente II (1046-1047)

151. Bento ou Benedito IX (1047-1048)

152. Dâmaso II (1048)

153. S. Leão IX (1049-1054)

154. Vitor II (1055-1057)

155. Estevão X (1057-1058)

156. Nicolau II (1058-1061)

157. Alexandre II (1061-1073)

158. Gregório VII (1073-1085)

159. Beato Vitor III (1086-1087)

160. Beato Urbano II (1088-1099)

161. Pascoal II (1099-1118)

162. Gelásio II (1118-1119)

163. Calisto II (1119-1124)

164. Honório II (1124-1130)

165. Inocêncio II (1130-1143)

166. Celestino II (1143-1144)

167. Lúcio II (1144-1145)

168. Beato Eugênio III (1145-1153)

169. Anastácio IV (1153-1154)

170. Adriano IV (1154-1159)

171. Alexandre III (1159-1181)

172. Lúcio III (1181-1185)

173. Urbano III (1185-1187)

174. Gregório VIII (1187)

175. Clemente III (1187-1191)

176. Celestino III (1191-1198)

177. Inocêncio III (1198-1216)

178. Honório III (1216-1227)

179. Gregório IX (1227-1241)

180. Celestino IV (1241)

181. Inocêncio IV (1243-1254)

182. Alexandre IV (1254-1261)

183. Urbano IV (1261-1264)

184. Clemente IV (1265-1268)

185. Beato Gregório X (1271-1276)

186. Beato Inocêncio V (1276)

187. Adriano V (1276-1276)

188. João XXI (1276-1277)

189. Nicolau III (1277-1280)

190. Martinho IV (1281-1285)

191. Honório IV (1285-1287)

192. Nicolau IV (1288-1292)

193. S. Celestino V (1294)

194. Bonifácio VIII (1294-1303)

195. Beato Bento ou Benedito XI (1303-1304)

196. Clemente V (1305-1314)

197. João XXII (1316-1334)

198. Bento ou Benedito XII (1334-1342)

199. Clemente VI (1342-1352)

200. Inocêncio VI (1352-1362)

201. Beato Urbano V (1362-1370)

202. Gregório XI (1370-1378)

203. Urbano VI (1378-1389)

204. Bonifácio IX (1389-1404)

205. Inocêncio VII (1406)

206. Gregório XII (1406-1415)

207. Martinho V (1417-1431)

208. Eugênio IV (1431-1447)

209. Nicolau V (1447-1455)

210. Calisto III (1455-1458)

211. Pio II (1458-1464)

212. Paulo II (1464-1471)

213. Sisto IV (1471-1484)

214. Inocêncio VIII (1484-1492)

215. Alexandre VI (1492-1503)

216. Pio III (1503)

217. Júlio II (1503-1513)

218. Leão X (1513-1521)

219. Adriano VI (1522-1523)

220. Clemente VII (1523-1534)

221. Paulo III (1534-1549)

222. Júlio III (1550-1555)

223. Marcelo II (1555)

224. Paulo IV (1555-1559)

225. Pio IV (1559-1565)

226. S. Pio V (1566-1572)

227. Gregório XIII (1572-1585)

228. Sisto V (1585-1590)

229. Urbano VII (1590)

230. Gregório XIV (1590-1591)

231. Inocêncio IX (1591)

232. Clemente VIII (1592-1605)

233. Leão XI (1605)

234. Paulo V (1605-1621)

235. Gregório XV (1621-1623)

236. Urbano VIII (1623-1644)

237. Inocêncio X (1644-1655)

238. Alexandre VII (1655-1667)

239. Clemente IX (1667-1669)

240. Clemente X (1670-1676)

241. Beato Inocêncio XI (1676-1689)

242. Alexandre VIII (1689-1691)

243. Inocêncio XII (1691-1700)

244. Clemente XI (1700-1721)

245. Inocêncio XIII (1721-1724)

246. Bento ou Benedito XIII (1724-1730)

247. Clemente XII (1730-1740)

248. Bento ou Benedito XIV (1740-1758)

249. Clemente XII (1758-1769)

250. Clemente XIV (1769-1774)

251. Pio VI (1775-1799)

252. Pio VII (1800-1823)

253. Leão XII (1823-1829)

254. Pio VIII (1829-1830)

255. Gregório XVI (1831-1846)

256. Pio IX (1846-1878)

257. Leão XIII (1878-1903)

258. S. Pio X (1903-1914)

259. Bento ou Benedito XV (1914-1922)

260. Pio XI (1922-1939)

261. Pio XII (1939-1958)

262. João XXIII (1958-1963)

263. Paulo VI (1963-1978)

264. João Paulo I (1978)

265. João Paulo II (1978-2005)

266. Bento XVI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Infelizmente, devido ao alto grau de estupidez, hostilidade e de ignorância de tantos "comentaristas" (e nossa falta de tempo para refutar tantas imbecilidades), os comentários estão temporariamente suspensos.

Contribuições positivas com boas informações via formulário serão benvindas!

Regras para postagem de comentários:
-
1) Comentários com conteúdo e linguagem ofensivos não serão postados.
-
2) Polêmicas desnecessárias, soberba desmedida e extremos de ignorância serão solenemente ignorados.
-
3) Ataque a mensagem, não o mensageiro - utilize argumentos lógicos (observe o item 1 acima).
-
4) Aguarde a moderação quando houver (pode demorar dias ou semanas). Não espere uma resposta imediata.
-
5) Seu comentário pode ser apagado discricionariamente a qualquer momento.
-
6) Lembre-se da Caridade ao postar comentários.
-
7) Grato por sua visita!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Pesquisar: