quarta-feira, 1 de julho de 2009

VIA CRUCIS: para meditar e praticar.



VIA SACRA DO PRECIOSÍSSIMO SANGUE DE JESUS.

(mês de Julho)

Oração Preparatória

Aproximamo-nos hoje de Ti, Jesus, nesta Via Sacra, e queremos colocar os nossos pés nos vestígios ensangüentados dos Teus passos, para que o Teu Sangue os purifique e torne o nosso caminhar, um caminhar na Tua Via Santa, Via de Dor, que o Teu Sangue marcou.
Nós Te oferecemos, nesta Via Sacra, o sangue do nosso coração, que jorra do esforço diário no cumprimento do dever, das humilhações e outras dores, físicas ou morais, que tivemos que sofrer, e da caridade que queremos derramar sobre os nossos irmãos.
Mostra-nos nesta Via Sacra as marcas que o Teu Sangue nos deixou, para que, seguindo-as, Te sigamos e sejamos como Tu obedientes até a morte de Cruz.

1ª Estação: Jesus é condenado à morte

Nós vos adoramos e bendizemos, Ó Jesus!
Que pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

Vinde para junto de Mim, meus filhos, filhos do Meu Amor na Criação e da Minha dor na Redenção.
Vinde para junto de Mim e vede o Sangue que brota da Minha cabeça, pelas feridas feitas por esta Coroa de dor e de infâmia.
Vede, através das Minhas roupas, as manchas de Sangue, nos sítios onde estão coladas à carne, pelo Sangue coagulado. São manchas largas, porque as feridas são muitas, em muitos lados, umas sobre as outras, formando ferimentos extensos.
Todo o Corpo Me dói. Quando ouço a sentença da condenação, baixo os olhos, aceitando-a com humildade, sem achar que tanto sofrimento, tanta dor, como a que Me vinham infligindo, já chegava.
Já chegava, efetivamente, mas não tem limites a doação de quem ama sem limites.
O Meu Amor pelo Pai e por vós não tem limites. Por isso queria dar-Me todo ao Pai, em reparação por vós, sem limite algum.
Por isso aceitei a condenação, sem culpar ninguém por ela. Se quisesse culpar alguém, teria que te culpar a ti, porque Pilatos foi instrumento, como instrumentos são os irmãos que te fazem sofrer e que culpas de tantas coisas.
Não houve limites para o Meu Amor. Não ponhas limites ao teu amor por Mim.
Neste momento da Minha condenação, olhei para ti e, com lágrimas nos olhos, vi os limites que põe à tua doação e todas aquelas vezes em que achas que já chega aquilo que sofreste por Mim e te recusas a sofrer mais.
Para reparar essa tua falta de generosidade, renovei a Minha entrega e a Minha aceitação da, Vontade do Pai.

Pai Nosso ... Ave Maria ... Glória ...

Tende piedade de nós, Senhor! Tende piedade de nós!
Que as almas dos fiéis defuntos, pela Misericórdia de Deus, descansem em paz.

Canto: A morrer crucificado/Teu Jesus é condenado./: por teus crimes, pecador.:/

2ª Estação: Jesus Leva a Sua Cruz.

Nós Vos adoramos e bendizemos, ó Jesus!
Que pela vossa Santa Cruz remistes o mundo!

Pego na Minha Cruz, na Cruz que os teus pecados Me impõem, os pecados de que já te arrependeste e aqueles em que permaneces.
Pego na Cruz da tua falta de caridade, na Cruz da tua não aceitação daquilo que é incômodo, do teu reclamar contra o que te acontece de desagradável. Pego na Cruz dos comentários que fazes das tuas conversas inúteis, que te fazem perder tempo, união comigo e te conduzem a perigos vários.
Pego na Cruz dos teus desejos, dos desejos que não mortificas, desejos de toda a ordem e a todos os níveis, corporais, mundanos e espirituais.
Pego na cruz das tuas imprudências, que abrem a porta às tentações da tua futilidade, dos teus esquecimentos dos compromissos que assumes comigo.
Pego na Cruz das tuas opiniões, das tuas teimosias, do teu amor próprio, do teu orgulho, das tuas faltas à verdade.
Pego na Cruz da tua vaidade, da tua aceitação das opini­ões do mundo, das suas modas, dos seus luxos, dos seus prazeres, das suas imoralidades, divertimentos e facilidades, que ele lança até dentro das igrejas.
Pego na Cruz das tuas faltas aos Mandamentos da Minha Lei e da Lei da Minha Igreja, de toda a tua contestação à sua autoridade.
É uma Cruz pesada, esta Cruz formada pelos teus pecados, os que mostras e os que escondes, que procuras esconder até a teus próprios olhos, inventando desculpas sem nú­mero para o que fazes, para o que dizes, para o que pensas.
É esta a Cruz que Eu carrego pelo caminho, onde vou deixando, como marcas para ti, as gotas do Meu Sangue. Segue sempre pelo caminho onde vês estas marcas. É um caminho doloroso, mas é o Meu Caminho.

Pai Nosso ... Ave Maria ... Glória ...

Tende piedade de nós, Senhor! Tende piedade de nós!
Que as almas dos fiéis defuntos, pela Misericórdia de Deus, descansem em paz.

Canto: Com a cruz é carregado, vai sofrendo resignado. /:vai morrer por teu amor:/

3ª Estação: Jesus Cai Pela Primeira Vez

Nós Vos adoramos e bendizemos, ó Jesus!
Que pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

Uma queda! A Minha primeira queda! O peso, o cami­nhar rápido a que Me obrigavam, as pedras, o caminho incerto, cheio de altos e baixos, fizeram-Me cair.
Ao cair sobre Mim, a Cruz pesou mais e magoou-Me mais. O Meu Sangue deixou aqui lugar de dor assinalado por uma marca maior.
Quando a Cruz vos pesa, vos desagrada, e vós a recusais, ela cai por cima de vós e a dor é muito maior.
Cair a Cruz por cima de vós é a falta de aceitação que tendes por aquilo de que não gostais, de que tendes má impressão, talvez más recordações de cruzes anteriores. Mas lembrai-vos de que, mesmo que não gosteis, a Cruz não vos é retirada, mas cai sobre vós e, se tentais atirar com ela com desassossego, queixas ou fugas ao dever, é sobre vós, nessa queda que a recusa representa, que ela volta a cair, tantas vezes, quantas vezes a recusais.
Quanto pesaram sobre Mim as vossas recusas da Cruz, nesta queda! Meus filhos, lembrai-vos da Minha dor quando caí e da dor que Me provocou a Cruz, ao cair sobre Mim. Lembrai-vos disso, quando tiverdes vontade de recusar alguma Cruz. Lembrai-vos que a vossa recusa caiu sobre Mim e magoou-Me mais do que até aí Me tinha magoado a Cruz.
Evitai recusar a Cruz novamente e estareis evitando mais dor para Mim, nesta Minha primeira queda.

Pai nosso ... Ave Maria ... Glória ...

Tende piedade de nós, Senhor! Tende piedade de nós!
Que as almas dos fiéis defuntos, pela Misericórdia de Deus, descansem em paz.

Canto: Sob o peso desmedido/cai Jesus desfalecido./:pela tua salvação.:/

4ª Estação: Jesus Encontra sua Mãe

Nós Vos adoramos e bendizemos, ó Jesus!
Que pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

Numa altura do caminho, levanto os olhos e vejo Minha Mãe. Como Me doeu a sua aflição, a sua dor, perante o espetáculo do Seu Filho, todo ensangüentado e maltratado, debaixo daquele madeiro de ignomínia!
Mal se divisavam as Minhas feições, tão desfigurado ficara com os maus tratos recebidos, com a sujidade e o Sangue que Sulcava o Meu rosto, e que não deixava de correr das feridas provocadas pelos espinhos da Coroa que levava na cabeça.
Desejaria a esconder a seus olhos este Sangue que corre por vós, e a cuja vista A mergulha numa dor sem par para uma criatura.
O Meu Amor pela Minha Mãe, a mais bela criatura que criei, não Me impediu de Me apresentar assim diante Dela, aumentando o seu sofrimento, porque tal era preciso para vós.
Meus filhos, que tão caros Me custastes, olhai para Mim e para esta Mãe dolorosa, e resolvei-vos a mudar naqueles pontos em que estais mais agarrados à vossa vontade e às vossas opiniões pessoais.

Pai Nosso ... Ave Maria ... Glória ...

Tende piedade de nós, Senhor! Tende piedade de nós!
Que as almas dos fiéis defuntos, pela Misericórdia de Deus, descansem em paz.

Canto: Vê a dor da Mãe amada, que se encontra desolada. /:com seu filho em aflição.:/

5ª Estação: Jesus é Ajudado pelo Cireneu

Nós Vos adoramos e bendizemos, ó Jesus!
Que pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

Estava tão desfalecido que os meus carrascos procuraram alguém para Me ajudar, não porque tivessem pena de Mim, mas com receio de que, o esforço de levar o peso da Cruz, Me fizesse morrer pelo caminho e já não fosse possível o espetáculo da execução, que seria ainda um acréscimo de dor, a que eles não Me queriam poupar.
O Cireneu, um homem que vinha do campo, cansado do trabalho, desejoso de ir para casa, e que achava que nada tinha a ver com tudo aquilo, foi chamado para ajudar. A Simão, que importava um ou outro condenado? Não estava in­teressado em espetáculos de sangue. Nada tinha contra Mim ou ao Meu favor.
E, no entanto, foi este indiferente que foi chamado à alta missão de levar a Minha Cruz, missão que os Meus amigos desejariam, que a Minha própria Mãe aceitaria com tanto Amor!
Nunca Me pergunteis os motivos das graças que concedo a cada um, e não tenteis julgá-Lo, porque o pensamento de Deus nenhum de vós conhece. Não sabeis quem é melhor ou pior para receber as Minhas graças. Normalmente, não escolho, para graças mais vistosas aqueles que possuem uma santidade maior, mas aqueles que vejo que mais precisam delas.
Acompanhai Simão, seguindo o caminho que deixo assinalado com o Meu Sangue. Como ele, aceitai a Cruz que vos vem quando menos pensais, quando, já cansados, não vos apetece carregá-La.
Prestai atenção! A Cruz que vos sobrecarrega, que não vos dá alegria, que parece ser demais, que vem quando já estais cansados de sofrer, essa é a Minha Cruz! Agarrai-vos bem a ela e sereis abençoados!

Pai Nosso ... Ave Maria ... Glória ...

Tende piedade de nós, Senhor! Tende piedade de nós!
Que as almas dos fiéis defuntos. pela Misericórdia de Deus, descansem em paz.

Canto: No caminho do calvário um auxílio necessário./: não lhe nega o Cirineu.:/

6ª Estação: Verônica Limpa o Rosto de Jesus .

Nós Vos adoramos e bendizemos, ó Jesus!
Que pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

O grupo de amigos segue-Me. Outros esperam nas ruas onde sabem que vou passar. Mal Me reconhecem! O Meu rosto está desfigurado, coberto de Sangue e de contusões!
Fitai-Me também e vede se, olhando o Meu rosto, conseguis comover os vossos duros corações. Fitai o Meu rosto dolorido das contínuas bofetadas que vós próprios lhe dais, quando esbofeteais a vida dos vossos irmãos e assoalhais os seus defeitos e os seus segredos.
Fitai o Meu rosto sujo dos vossos escarros, quando fingis o que não sois e quando praticais caridade para serdes vistos e louvados, quando vos mostrais bons, mas com essa bonda­de ambicionais algum lucro.
Fitai o Meu rosto cheio de Sangue, que fazeis brotar da Coroa que enterrais na Minha cabeça quando fazeis sofrer os vossos irmãos com palavras agrestes, com desconfianças, com humilhações ou calúnias.
Fitai o Meu rosto e arrependei-vos agora, de tudo o que Me fazeis no vosso próximo, onde Eu estou e, como esta mulher, vinde ter comigo, vinde pelo arrependimento sincero, limpar este rosto que desfigurastes.
Vinde à fonte da Misericórdia, porque Eu estou pronto a perdoar-vos e a gravar em vós o Meu rosto.

Pai Nosso ... Ave Maria ... Glória ...

Tende piedade de nós, Senhor! Tende piedade de nós!
Que as almas dos fiéis defuntos, pela Misericórdia de Deus, descansem em paz.

Canto: Eis o rosto ensangüentado, por Verônica enxugado./: Que no pano apareceu.:/

7ª Estação: Jesus Cai pela Segunda Vez

Nós Vos adoramos e bendizemos, Ó Jesus!
Que pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

Segunda queda! Caí pela segunda vez, tropeçando nas pedras do caminho, estas pedras que não se amaciaram para Eu passar! Nada na Minha Paixão saiu do ritmo normal da Natureza.
Também os corações e as mentes daqueles que me maltratavam não foram forçados a mudar para Eu sofrer menos! Eu, o Inocente por excelência! Não vos admireis daquilo que venhais a sofrer, não vos admireis que inocentes sofram! Deus manietou-Se a Si próprio quando vos deu liberdade para agir; Se interviesse e evitasse tudo aquilo que faz sofrer o homem, seria o próprio homem que sofreria, com sua liberdade retirada.
Tendes liberdade para o bem e para o mal. É a vossa grande responsabilidade! É por isso que todos vós tendes responsabilidade na Minha segunda queda.
Caí por causa das quedas que tendes nas vossas má opções, por causa daquilo que escolheis, fazer, tantas vezes, apenas guiados pelo vosso egoísmo, pelo vosso desejo de facilidade, por não vos quererdes sacrificar senão naquilo que é vistoso.
A Minha queda foi humilhante. O Sangue brotou novamente dos sítios onde já tinha secado. Esta queda reparou as vossas faltas de humildade, essas opções falsas, cheias de conveniências.
Humilhai-vos profundamente neste Minha queda, porque ela foi provocada pela vossa falta de humildade, em aceitar aquilo que não seduz o vosso amor próprio.

Pai Nosso ... Ave Maria ... Glória ...

Tende piedade de nós, Senhor! Tende piedade de nós!
Que as almas dos fiéis defuntos, pela misericórdia de Deus, descansem em paz.

Canto: Novamente desmaiado sob a cruz que vai levando./:Cai por terra o Salvador:/

8ª Estação: Jesus Consola as Mulheres de Jerusalém

Nós Vos adoramos e bendizemos, Ó Jesus!
Que pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

Continuo a avançar. O Meu Sangue continua a deixar pelo caminho a sua marca. Estou quase sem forças e custa-Me a levantar os pés, tropeçando muitas vezes.
Neste momento, o meu olhar é atraído por um grupo de mulheres que choram. Eram amigas piedosas. Choram com pena, por Me verem tão maltratado.
Olho para elas e o Meu Coração compadece-se, por estarem tão incautas do mal que as rodeia e daquilo que Lhes acontecerá e aos seus filhos num futuro não muito longínquo.
Por isso, as últimas forças que Me restam, aproveito-as para as avisar, as alertar a fim de que pudessem escapar à grande tribulação que surgiria.
Também vos aviso a vós de que pouco vos presta chorar de emoção pelas Minhas dores nesta Via-Sacra, se não converteis o vosso coração, se não mudais naqueles pontos que Me desagradam e em que caís tantas vezes.
Ao fazerdes a Via Sacra, procurai antes de tudo, pela meditação dos Meus sofrimentos, mergulhar-vos no Meu Sangue e implorar forças para mudar de vida. Depois procurai ver o que tendes a reformar e metei ombros a esse trabalho, aproveitando toda a força do Meu Sangue e do Meu ensino.
Sim, chorai, mais sobre vós que sobre Mim, porque a Minha dor é a vossa esperança, e os vossos pecados são a traição àquilo que a Minha dor vos alcançou.

Pai Nosso ... Ave Maria ... Glória ...

Tende piedade de nós, Senhor! Tende piedade de nós!
Que as almas dos fiéis defuntos, pela misericórdia de Deus, descansem em paz.

Canto: Das mulheres que choravam, que fiéis o acompanhavam./:É Jesus consolador.:/

9ª Estação: Jesus Cai pela Terceira Vez

Nós Vos adoramos e bendizemos, Ó Jesus!
Que pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

Tinha gasto o resto das forças avisando aquelas mulheres do perigo que corriam. Os Meus pés que tropeçavam continuamente, não resistiram a novo puxão dos soldados. consegui equilibrar-Me e caí, na mais dolorosa das quedas, deixando no chão largas manchas de Sangue, que ali ficou.
O povo passou sobre Ele, ignorante, distraído, incrédulo, como vós passais nas vossas Comunhões tão pouco vividas, nas Missas em que estais longe daquilo que, na realidade, se passa no altar.
No chão da vossa alma ficou o Meu Sangue, que desaproveitais e sobre ele passam os vossos pensamentos distraídos, na ação de graças, que devíeis tornar momentos de grande intimidade coMigo e que deixais passar, como se tivésseis comido um alimento qualquer.
Não critiqueis aquele povo, que pisou o Meu Sangue no chão. Esse povo não sabia aquilo que vós sabeis, e vós fazeis o mesmo com a vossa indiferença perante o Meu Amor, que se vos dá sem que lhe deis nada em troca, senão indiferença e distração.
Nas vossas Comunhões lembrai-vos de que na vossa alma está derramado o Meu sangue. Vede se tendes coragem de o deixar pisar pela turba das vossas distrações.

Pai Nosso ... Ave Maria ... Glória ...

Tende piedade de nós, Senhor! Tende piedade de nós!
Que as almas dos fiéis defuntos, pela misericórdia de Deus, descansem em paz.

Canto: Cai exausto o bom Senhor, esmagado pela dor./:Dos pecados e da cruz.:/

10ª Estação: Jesus é Despojado das Suas Vestes

Nós Vos adoramos e bendizemos, Ó Jesus!
Que pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

Tinha as vestes coladas ao Corpo, principalmente nos lugares das feridas que tinham sangrado.
As vestes foram-Me brutalmente arrancadas e os Meus ombros e costas, em carne viva, sangrando profundamente, ficaram expostos aos olhares daqueles homens que punham a sua satisfação em espetáculos de sangue, de dor e de morte. O Meu peito e os Meus braços, igualmente cobertos de feridas sangrentas, continuavam a manifestação da obra que em Mim, como em terreno lavrado, tinha sido feita.
Todo o Meu Corpo foi observado, objeto de mofa e escárnio, as feridas das Minhas pernas e dos Meus joelhos postas em ridículo, para salientar a Minha fraqueza.
Tudo isto foi humilhação profunda a juntar a todas as humilhações que já sofrera. Humilhei-Me por vós, por todas aquelas vezes em que fugis à humilhação, fugindo à verdade, para que possais continuar a ser bem vistos, por todas as vezes que vos defendeis e vos confrontais com aqueles que vos magoam, magoando-os também e falando deles sem amor.
Quando vos humilharem, lembrai-vos deste momento da Minha Paixão e implorai que o Sangue que aqui derramei, ao serem-Me as vestes arrancadas, desça sobre vós e purifique os vossos corações, para que possais unir a vossa humilhação à Minha humilhação.

Pai Nosso ... Ave Maria ... Glória ...

Tende piedade de nós, Senhor! Tende piedade de nós!
Que as almas dos fiéis defuntos, pela misericórdia de Deus, descansem em paz.

Canto: Já do algoz as mãos agrestes as sangrentas, pobres vestes./: Vão tirar do bom Jesus.:/

11ª Estação: Jesus é Pregado na Cruz

Nós Vos adoramos e bendizemos, Ó Jesus!
Que pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

Estou em dor infinita, para vos poupar à dor da perdição eterna... e vós não sentis! Estou em dor que ultrapassa a vossa compreensão... e não vos apercebeis! Falais de dor, falais da Minha dor, como quem fala em qualquer dor que não sente em si.
Nunca podereis compreender a Minha dor, porque não sois vós a senti-la. Não podeis imaginar a dor da carne e nervos perfurados, rasgados, estraçalhados! Não podeis entender este sofrimento sem limites, donde jorra Sangue, como de uma fonte, salpicando as mãos e os braços dos meus carrascos, com generosidade única.
Vinde para aqui, para junto de Mim, ajoelhai-vos neste chão que deixo empapado em Sangue e procurai que também a vós ele salpique.
Ó meus amados filhos, aqui onde aceito ser pregado por Amor de vós, aceitai, dizei-Me que aceitais ser pregados na­quela cruz que Eu vos dou e que vós sabeis qual é. É aquela que mais vos dói, que mais vos incomoda e da qual mais procurais fugir.
Dizei-Me agora que aceitais ser, por Meu Amor, prega" dos nela, porque ela vos trará aquela participação que deveis ter coMigo, como membros do Meu Corpo, na Salvação do mundo.
Sede vós as Minhas mãos e os Meus pés. Deixai-vos cravar coMigo... em Mim.

Pai Nosso... Ave Maria... Glória...

Tende piedade de nós, Senhor! Tende piedade de nós!
Que as almas dos fiéis defuntos, pela misericórdia de Deus, descansem em paz.

Canto: Sois por mim na cruz pregado, insultado, blasfemado./:Com cegueira e com furor:/

12ª Estação: Jesus Morre na Cruz

Nós Vos adoramos e bendizemos, Ó Jesus!
Que pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

Estou há três horas na Cruz. Três horas de sofrimento infinito, sofrimento de que não conseguis fazer idéia. Só vos resta ajoelhar aqui, debaixo da Minha Cruz, contemplar-Me e adorar em silêncio.
Abraçai-vos à Minha Cruz. Deixai que o Meu Sangue, que escorre por ela, vos molhe, porque ele lava-vos dos vossos pecados, se estais arrependidos.
Os Meus pés não estão muito alto. Podeis chegar-Lhes facilmente e encostar neles o vosso rosto. Não tenhais receio, que não aumentais a Minha dor, sois até doce carícia para Mim.
Oh, Meus filhos! Mesmo que estejais cheios de pecados, a Minha alegria será receber-vos. Não posso fechar os Meus braços. Estão pregados e abertos para todos os que se quiserem aproximar.
Teria deixado que os fariseus Me abraçassem, se eles quisessem. Mas não queriam. Passavam, abanavam a cabeça e escarneciam. Simulavam de inteligentes, fazendo raciocínios a Meu respeito e não caíam na conta dos seus pecados .
Não façais isso. Fugi a todo o raciocínio que ponha em dúvida o Meu Amor, a Minha Misericórdia, o Meu Poder, a Minha Igreja, a obediência que Me deveis e o vosso pecado, que vos faz procurar a felicidade na satisfação da vossa vontade e não da Minha.
Vinde a Mim sem raciocinar, só por amor. Rezai só por Amor, obedecei só por amor, mortificai-vos só por Amor e vivereis no Meu Amor, todos os dias da vossa vida.
Que o vosso temor seja unicamente magoar-Me, não Me amar bastante, não Me obedecer. Para o evitar, vinde abraçar os Meus pés crucificados, e o Meu Sangue vos dará forças e fará de vós servos fiéis.

Pai Nosso ... Ave Maria ... Glória ...

Tende piedade de nós, Senhor! Tende piedade de nós!
Que as almas dos fiéis defuntos, pela misericórdia de Deus, descansem em paz.

Canto: Por meus crimes padecestes, Meu Jesus, por mim morrestes./:Quanta angústia, quanta dor.:/

13ª Estação: Jesus é Colocado nos Braços de Sua Mãe

Nós Vos adoramos e bendizemos, Ó Jesus!
Que pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

Já morto, sou colocado nos braços dAquela que daria a vida por Mim, que daria todo o seu sangue para evitar que Eu derramasse uma gota do Meu.
As suas lágrimas magoadas caem sobre Mim. A Minha Mãe é a criatura que mais Me amou· e que mais Me amará entre todas as criaturas, porque só o Seu Coração tem capacidade para a imensidade de Amor que nEla derramei, imensidade que não poderia derramar nem sequer nos Serafins.
O poder do Meu Sangue livrou-A antecipadamente de ser atingida por qualquer espécie de mal. A esta Mãe Imaculada apenas o Amor e a dor tocaram.
A dor tocou-A, feriu-A profundamente em todos os pontos já tocados pelo Amor. Foi ferida pela dor, como são feridos muitos inocentes, as crianças. A dor não A poupou. Não pretendais que a dor poupe nenhum de vós.
Todos sois pecadores e a todos a dor há de visitar, não exatamente por serdes pecadores, mas por serdes Meus, por serdes membros do Meu Corpo, este Corpo sofredor, que repousa agora nos braços desta Mãe que chora.
Vinde também aqui chorar, não tanto por Mim, mas por aquelas almas que recusam o Meu Sangue e optam pelo ódio eterno. São essas pelas quais deveis chorar. Mas não fiqueis só a chorar. Procurai ver o que podeis fazer por elas, enquanto ainda então na Terra. Parti depois para a luta, oferecendo por esses irmãos o vosso trabalho, redobrando de oração e de sacrifício.

Pai Nosso... Ave Maria... Glória...

Tende piedade de nós, Senhor! Tende piedade de nós!
Que as almas dos fiéis defuntos, pela misericórdia de Deus, descansem em paz.

Canto: Do madeiro vos tiraram e à Mãe vos entregaram./:Com que dor e compaixão:/

14ª Estação: Jesus é Colocado no Sepulcro

Nós Vos adoramos e bendizemos, Ó Jesus!
Que pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

Os meus amigos colocaram-Me no sepulcro. Era o sepulcro novo de José de Arimateia. Era o que, de melhor, aquele homem Me podia dar, aquilo que tinha reservado para si próprio, mas de que prescindia, para Mim.
Também vós precisais de prescindir muitas vezes de di­versas coisas que escolhestes, reservastes, acarinhastes, para vosso uso, coisas, situações, modos de ver ou de atuar, pes­soas, sistema de vida, opções.
Vedes com tristeza isso ser posto em causa e retraís-vos. Fechais e escondeis na vossa mão aquilo a que estais agarrados e dizeis que é vosso, que tendes direito a isso. Sim, tendes direito. José de Arimatéia também tinha direito ao seu sepulcro novo. Ninguém o podia obrigar a dar-Mo, mas ele deu-Mo.
Se não Mo tivesse dado, o seu sepulcro seria um como tantos outros. Seria um ninho de podridão. Por ele Mo ter dado, tornou-se o lugar glorioso da Minha Ressurreição.
Igualmente, para todos vós, só haverá glória de Ressur­reição, quando Me derdes tudo isso a que vos agarrais com tanto apego, com tanto afeto. Se não Mo dais, dentro de anos, apodrecerá convosco.
Apodrecerá convosco essa satisfação, essa comodida­de, esse prazer, essa idéia, esse raciocínio, esse querer, essa amizade, esse trabalho, esse descanso. Se Mo dais, se prescindis disso, se Me dais o que tendes de vosso, então, vereis isso de que prescindis, aureolado com a Minha glória, como um sepulcro que Me dais para Eu ressuscitar e vos ressuscitar comigo.
Ali no sepulcro, o Meu Sangue deixou marcas para vós, no Meu Sudário. Também deixarei marcas em vós, quando a Mim vos entregardes, Me receberdes sem "mas", sem "porquê", sem "talvez", quando Me receberdes em primeiro lugar, não em segundo, terceiro ou último lugar, como costumais fazer.
O Meu Sepulcro sóis vós próprios. É em vós que descan­so e quero ressuscitar. Cada um de vós deve ser aquele sepulcro novo que Me é dado, não por obrigação, mas só por Amor.

Pai Nosso... Ave Maria... Glória...

Tende piedade de nós, Senhor! Tende piedade de nós!
Que as almas dos fiéis defuntos, pela misericórdia de Deus, descansem em paz.

Canto: No sepulcro vos puseram, mas os homens tudo esperam./:Do mistério da Paixão:/

15ª Estação: Ressurreição

Nós Vos adoramos e bendizemos, Ó Jesus!
Que pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

A noite foi a altura escolhida por Mim, para ressuscitar.
Foi na noite que a Minha glória se manifestou. Será também na noite que, em vós, a Minha glória se manifestará.
Quando sofreis, quando estais tristes, abandonados, em trabalhos e dores, quando parece nada mais vos restar, quando tudo para vós for trevas e morte, então estou mais perto de vos manifestar a Minha glória.
Tende esperança, tende confiança inabalável e Eu responderei à vossa esperança e à vossa confiança com a luz da Ressurreição, como respondi à esperança e confiança de Minha Mãe.
Transformarei o vosso pranto em riso, a vossa dor em júbilo, a vossa tristeza em alegria, as vossas trevas em luz, porque Eu sou a Luz que ilumina o mundo e que dissipa as trevas dos vossos corações. Confiai em Mim e sereis salvos, vós e aqueles por quem rezais.
Pai Nosso... Ave Maria... Glória...
Tende piedade de nós, Senhor! Tende piedade de nós!
Que as almas dos fiéis defuntos, pela misericórdia de Deus, descansem em paz.

Oração Final: Senhor, Jesus, queremos, no final desta Via Sacra, prometer-Te fidelidade e amor sem restrições. Concede-nos que apliquemos na nossa vida aquilo que quiseste ensinar-nos, e que produzamos frutos de caridade, que alimentem os nossos irmãos. Aceitamos a cruz que enviar-nos, e pedimos-Te a graça de sempre o olharmos amor.
Abençoa-nos, para que ponhamos em prática, em dia, o que hoje Te prometemos. PARA ALCANÇAR AS GRAÇAS DA VIA SACRA: Pelo Santo Padre: Pai Nosso... Ave Maria...Glória...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Infelizmente, devido ao alto grau de estupidez, hostilidade e de ignorância de tantos "comentaristas" (e nossa falta de tempo para refutar tantas imbecilidades), os comentários estão temporariamente suspensos.

Contribuições positivas com boas informações via formulário serão benvindas!

Regras para postagem de comentários:
-
1) Comentários com conteúdo e linguagem ofensivos não serão postados.
-
2) Polêmicas desnecessárias, soberba desmedida e extremos de ignorância serão solenemente ignorados.
-
3) Ataque a mensagem, não o mensageiro - utilize argumentos lógicos (observe o item 1 acima).
-
4) Aguarde a moderação quando houver (pode demorar dias ou semanas). Não espere uma resposta imediata.
-
5) Seu comentário pode ser apagado discricionariamente a qualquer momento.
-
6) Lembre-se da Caridade ao postar comentários.
-
7) Grato por sua visita!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Pesquisar: