sexta-feira, 12 de junho de 2009

S. Pedro de Alcântara.


São Pedro de Alcântara – Método de Oração. ( “Tratado da Meditação e da Oração” ).

1. Preparação. Desviar-se do mundo, sinal da cruz, elevar-se, arrependimento, confissão ( manhã ); exame ( noite ). Gn 19,27 e Sl 122,1 ( “A ti levantei meus olhos...” ). Invocar o Espírito Santo, pedir graça.

2. Leitura atenta, lenta ( entendimento, vontade ). Deter-se em passagem mais devota ou ler e meditar a cada passagem.

3. Meditação. Usar imaginação e entendimento ( como se estivesse presente, ou em nossa vida, ou coração ). Imaginar passagens. Entender benefícios, misericórdia, perfeições de Deus.

4. Ação de graças ( por benefícios ) : Sl 115,12 (“Que darei...”).

5. Oferecimento da própria vida e da vida de Cristo.Oferecer-se como escravo, entregar-se ( palavras, obras, trabalhos, pensamentos, padecimentos para a glória de Deus. Oferecer Cristo ( palavras e feitos, méritos e virtudes – nossa herança,recompensa e patrimônio ) .

6. Petição ( o que nos convém para nossa própria salvação, do próximo e de toda a Igreja ). Pela Igreja, reis, pecadores, defuntos, pobres, enfermos, encarcerados, para que todos conheçam, amem e sigam Jesus Cristo.

Conhecer-se e saber necessidades para pedir.

1°. Por méritos e obras de Jesus Cristo, perdão e emenda de nossos pecados para saná-los e curá-los.

2°. Pedir virtudes: fé , esperança, amor, temor, humildade, paciência, obediência ( oferta de si a Deus ), fortaleza, pobreza de espírito, desprezo do mundo, discrição ( sabedoria, discernimento ), pureza de intenção, etc.

3°. Temperança, guarda dos sentidos e da língua.

4°. Petição do amor de Deus para amar como Deus.

Avisos.

1°. Deter-se onde e enquanto durar o afeto (levar à devoção).

2º. Meditar menos com o entendimento e mais com afetos e sentimentos da vontade. Mais escutar do que falar.

3º. Tornar-se presente, receptivo, em paz, atento.

4º. Coração atento, recolhido, elevado. Não cansar a cabeça com excesso de atenção ou pensamento.

5º. Perseverar : o verdadeiro devoto persevera. Ler repousado e com sentimento, entremeando a oração com a leitura.

6º. Menos de 1 1/2 ou 2 horas é tempo curto para a oração. Gasta-se muito tempo para aquietar a imaginação (=”afinar a viola” ).

7º. Aproveitar as contemplações e gastar tempo nelas.

8º. Meditação = navegação, meio ( entendimento ). Contemplação = porto, fim ( afeto e vontade ). Cessar a meditação ao chegar ao porto.

Devoção facilita a oração e as obras.

Devoção é uma virtude, a qual faz o homem pronto e hábil para toda virtude e o desperta e facilita para o bem obrar (S.Tomás). Fervor, impulso para o bem.

O que ajuda a alcançar a devoção.

1. Guarda do coração contra pensamentos e afetos desordenados.

2. Guarda dos sentidos ( olhos, ouvido e língua ). O contemplativo há de ser surdo, cego e mudo.

3. Solidão : o orante e Deus ( sem distrações ).

4. Leitura de livros espirituais e devotos, que dão matéria para meditar, recolhem o coração, ( a memória é a abundância do que enche o coração ).

5. Andar na Presença de Deus: uso de jaculatórias ( guardam o coração, mantêm fervor ).

6. Perseverar nos bons exercícios nos tempos ( noite e madrugada ) e lugares ordenados.

7. Asperezas e disciplinas corporais: disciplina, mesa pobre, cama dura, etc.

8. Obras de misericórdia: confiança para padecer diante de Deus; oração de coração misericordioso é recebida com misericórdia.

O que impede a devoção.

1. Pecados: tiram o fervor da caridade (= devoção).

2. Remorso de consciência: deixa a alma inquieta e fraca.

3. Escrúpulos: inquietam a alma.

4. Tristeza desordenada: falta alegria espiritual.

5. Cuidados demasiados : inquietam.

6. Ocupações excessivas: deixam sem tempo e sem coração para Deus.

7. Consolações sensuais: quem se dá muito às consolações do mundo não merece as do Espírito Santo ( S.Bernardo ).

8. Demasiado comer e beber: corpo pesado não deixa a alma voar ao alto.

9. Curiosidade dos sentidos e do entendimento: ocupa o tempo, inquieta a alma, dispersa.

10. Interrupção dos exercícios: falta de alimento espiritual.

Tentações fatigantes e seus remédios.

1. Falta de consolações espirituais. Persistir: mais humildade, paciência, oração, perseverança. Dar tudo de si. Exame, pedido de perdão. Guardar coração, examinar pensamentos, palavras e obras. Imitar as virtudes do Salvador (=padecer sem consolo, beber o cálice da obediência ).

2. Pensamentos importunos. Voltar-se para Deus sem escrúpulo e sem angústia, com humildade e devoção ( e persistência ). Contar com a Graça: Graça e humildade são a solução.

3. Pensamentos de blasfêmia e infidelidade. Contra a blasfêmia: o pecado não está no sentimento, e sim no consentimento ( desprezar a tentação e não a temer – o temor a desperta e a levanta ).

4. Tentação de infidelidade: comparar a pequenez humana e a grandeza divina, pensar no que Deus lhe manda ( fechar o olho da razão e abrir o da fé ).

5. Temores e fantasias. Perseverar na oração traz ousadia, fugir aumenta o temor. Nem o demônio nos pode fazer o mal sem licença de Deus: temos nosso Anjo da Guarda.

6. Sono demasiado: se necessário, durma; se de preguiça e demônio, jejum, abstinência, disciplina, aspereza e pedir Graça.

7.Tentação de desconfiança ou presunção.

Desconfiança: contar com a Graça ( desconfiar da própria virtude e confiar só na bondade de Deus ). Contra a presunção: comparar-se com os santos ( ver o tanto que falta, não o que já alcançou ).

8. Demasiado apetite de saber e estudar : considerar a virtude mais excelente do que a ciência, a sabedoria divina mais do que a humana. Adquire-se a primeira pelos exercícios no amor de Deus.

9. Zelo indiscreto de aproveitar a outros: trabalhar no proveito do próximo, não em nosso, e não em seu prejuízo.

Avisos aos que se dão à oração.

1º. Amar a Deus e a Deus buscar ( e não amar a si e a si buscar por doces consolações = luxúria e gula espirituais ).

Finalidade da vida espiritual = obediência aos mandamentos e cumprimento da divina vontade ( = morte da vontade própria, que lhe é contrária ).

Frutos da oração = Quanto cresce a cada dia em humildade exterior e interior? Como sofre as injúrias dos outros? Como releva as fraquezas alheias? Como acode às necessidades do próximo? Como se compadece, e não se indigna com os defeitos alheios? Como governa sua língua? Como guarda seu coração? Como controla a carne, seus apetites e sentidos? Como se vale nas prosperidades e adversidades? Está morto para o amor da honra, do prazer, do mundo? Age com gravidade e discrição? Um olho na mortificação e outro na oração ( a oração sustenta a mortificação ).

2º. Consolações espirituais inspirem a ação, não a simples deleites.

3º. Revelar segredos das consolações apenas ao mestre espiritual.

4º. Tratar com Deus com humildade e reverência; olhar-se com humildade e contrição.

5º. Desocupar-se para entregar-se a exercícios espirituais, principalmente em tempos de festas, tribulações, após viagens e negócios que absorvem energia e atenção.

6º. Cuidado com extremos: exageros ou faltas de discrição ( discretio=sabedoria ) e trabalho.

7º. Não descuidar das outras virtudes ( a virtude da oração, base do concerto da vida espiritual, não se basta sozinha ).

8º. Não considerar técnicas e regras como arte. Contar com a graça misericordiosa através de profunda humildade e conhecimento da própria miséria com grandíssima confiança na Divina Misericórdia.

Introdução ao serviço de Nosso Senhor.

1º. Confissão geral de todas as culpas passadas. Passar por todas as idades e mandamentos: tudo o que disse, fez ou pensou contra Deus, o próximo e a si mesmo ( usar tinta e papel – examinar-se por dias ).

2º. Exercitar-se nas meditações da 1ª. Semana ( detestar pecados, temer a Deus, desprezar o mundo ). Conhecer os avisos supra.

3º. Preparar-se para comunhão ( 1 ou 2 dias antes – temor, tremor, quietude e recolhimento – leituras, meditações e orações ).

4º. Aprender a se comportar em todos os lugares e tempos. Andar na Presença de Deus e agir como se estivesse em Sua frente. Quando o pensamento se dispersar, recolhê-lo ao interior com amor e devoção, oferecer-se e pedir o amor e a graça de Deus.

De manhã:

1. Agradecer por benefícios.

2. Oferta de si a Deus para Sua Glória e cumprimento de Sua vontade.

3. Pedir graças para cumprir a vontade divina e superar vícios ( rezar Pai-Nosso e Ave-Maria devotamente ).

Noite:

1. Exame ( o que fez, disse, pensou ). Confessar, pedir perdão e graça da emenda com devoção ( Pai-Nosso, Ave-Maria ).

Ao deitar-se: deitar-se como estará na sepultura, meditar sobre o “defunto”, rezar por si um responso, Pai-Nosso, Ave-Maria.

Ao acordar de noite: Glória. Ao ver hora: “Bendita a hora em que Nosso Senhor Jesus Cristo por mim nasceu e morreu; Senhor, na hora da minha morte, lembra-te de mim.”

À mesa: dar graças a Deus, que dá de comer, criou tudo para seu serviço, pela comida, a quantos falta o que a si sobra, com facilidade tem o que outros conseguem com trabalho e perigo.

Ao ser tentado.

Meditar sobre Cristo crucificado e torturado para destruir o pecado, pedir com devoção que não reine em nosso coração o que ele procurou destruir com tanto sofrimento.

“Senhor, como aí vos pusestes para me afastar de pecar! Não o permitais, Senhor, por essas sacratíssimas chagas; não me desampareis, meu Deus, pois me venho a vós . Ajudai-me, Senhor meu Deus, defendei-me deste dragão, pois nada posso sem vós.”

Sinal da cruz sobre o coração.

Para aproveitar muito em pouco tempo, ser solícito em:

1º. Aspereza e maltrato da própria carne.

Aspereza e temperança no comer e beber, vestir, na cama e em tudo que usar; estar de joelhos, em pé, em cruz ou prostrado na oração; fazer disciplinas, jejuns, vigílias em oração.

Que se aflija a carne ( sem dano à saúde corporal ) e fortaleça o espírito.

2º. Mortificação interior de si mesmo, apetites, inclinações sensuais.

Abnegação da própria vontade para cumprir a Divina Vontade e a dos superiores.

Exercício de virtudes e da caridade.

3º. Contínua oração ( para crucificar a carne – mortificação interior, negação de si mesmo, exercício das virtudes ).

Ter tempos destinados à oração, andar na Presença do Senhor.

Com jejuns e asperezas corporais, santifica-se a carne.

Com mortificação e abnegação dos apetites, purifica-se a alma.

Com oração, aperfeiçoa-se o espírito, que se aproxima e se faz um só com Deus ( a última perfeição ).

Corpo ( sentidos ): guarda dos sentidos ( olhos, ouvidos e língua – a chave de tudo ).

Alma:

- imaginação: guarda do coração ( ou recolhimento da imaginação );

- pensamentos: imaginação atada a santos pensamentos.

Dois pés no caminho: orar e trabalhar ( “ora et labora” ):

1. Graça de Deus – “ora” – água do céu = oração e sacramentos ( confiar em Deus ).

2. Trabalho do homem – “labora” – agricultura = castigo da carne, guarda dos sentidos, mortificação dos apetites, recolhimento da imaginação.

Orar e trabalhar = “nem pela demasiada confiança em Deus se deite a dormir, nem pela demasiada confiança em seus trabalhos menospreze o socorro da Divina Graça”.

Cruz de todo o homem = cruz para todas as suas partes : para o corpo, para os olhos, ouvidos, língua, afetos, apetites, imaginação – suplício e morte que nossa alma há de abraçar e eleger.

“Sem esta cruz, coisa nenhuma valem todas as nossas orações, senão para vivermos mais enganados, de maneira que nem aproveita o trabalho sem a oração, porque não será duradouro, nem a oração sem o trabalho, porque não será frutuosa.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Infelizmente, devido ao alto grau de estupidez, hostilidade e de ignorância de tantos "comentaristas" (e nossa falta de tempo para refutar tantas imbecilidades), os comentários estão temporariamente suspensos.

Contribuições positivas com boas informações via formulário serão benvindas!

Regras para postagem de comentários:
-
1) Comentários com conteúdo e linguagem ofensivos não serão postados.
-
2) Polêmicas desnecessárias, soberba desmedida e extremos de ignorância serão solenemente ignorados.
-
3) Ataque a mensagem, não o mensageiro - utilize argumentos lógicos (observe o item 1 acima).
-
4) Aguarde a moderação quando houver (pode demorar dias ou semanas). Não espere uma resposta imediata.
-
5) Seu comentário pode ser apagado discricionariamente a qualquer momento.
-
6) Lembre-se da Caridade ao postar comentários.
-
7) Grato por sua visita!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Pesquisar: