sexta-feira, 8 de maio de 2009

Oração: S. Afonso de Ligório.


Santo Afonso Maria de Ligório

A melhor oração, disse Santo Afonso, é a que se faz em tom de meditação. E essa oração realiza-se em três momentos:

1) a preparação,

2)a meditação,

3)a ação de graças.

1.A preparação.

A preparação significa que não iniciamos a oração sem primeiro nos colocarmos no ambiente, não só no sentido externo, (lugar que favoreça o silencio e a tranquilidade, posição do corpo que facilite a oração) mas também no interior (consciência da presença de Deus e de nossa própria pessoa, desejo de aproveitar bem o momento de oração).

A preparação deve conter três elementos:

-advertir sobre a presença de Deus: com quem vou conversar?

-reconhecer as nossas limitações e suplicar sobre nós a misericórdia do Senhor: quem sou eu, que ouso conversar com Deus?

- pedir luzes do Espírito Santo para fazer bem a oração.

A preparação não deve levar muito tempo. Basta uma oração como esta:

“Deus, Pai de misericórdia, acredito que estás presente e que atuas em minha vida através do teu Espírito. Arrependo-me humildemente de todos os pecados cometidos e espero pela mediação do teu Filho Jesus Cristo, que me concedas nesta oração as luzes e as graças de que necessito. Maria, minha mãe, ensina-me a conservar no coração a palavra de Deus”.

2.Na meditação a pessoa ouve a palavra de Deus e faz uma reflexão para aplicá-la em sua vida. Ao meditar, não tenha pressa para passar de um tema para outro, e faça melhor que as abelhas, que quando encontram um jardim florido permanecem ali todo o tempo que for necessário e ao longo do dia voltam várias vezes ao mesmo lugar.

Convêm, pois, fazer a leitura e a reflexão pausadamente e implementar ou sugerir algumas perguntas referentes ao texto lido: o que o texto quer dizer? Qual é a sua mensagem concreta, aqui e agora?

O objetivo da meditação é ir construindo a própria vida sobre a firme rocha da palavra de Deus (cf. Mt 7,24-25). Quando a Palavra de Deus se faz Palavra de vida em nós, então começa a frutificar por obra do Espírito Santo.
Da meditação Brotam três frutos:

- afeições (oração de louvor)

- petições (oração de súplica)

- decisões (oração de compromisso).

3. A oração termina com a ação de graças. Uma visita a um amigo e o dialogo com ele não deve terminar de qualquer jeito, há que se despedir gentilmente e assumir o compromisso de um novo encontro.

É o momento de agradecer a Deus o diálogo que houve na oração.

Comprometer-se com a ajuda de Deus , viver com mais sinceridade a fé cristã, e cumprir o compromisso assumido;

Lembre-se das necessidades de tantas pessoas no mundo, especialmente daquelas que mais sofrem e daqueles que se têm recomendado as nossas orações.

OBSERVAÇÃO: Orar também pelas almas do purgatório e pela Igreja.
Nos evangelhos somente Jesus disse a Deus: “Meu Pai”, por que Ele é o Folho unigênito do Pai. Quando Jesus ensinou aos seus discípulos e a nós a rezarmos, nos pediu que disséssemos: “Pai nosso”. Quer dizer, nós cristãos oramos na primeira pessoa do plural. Portanto é através de Jesus Cristo que nossa oração tornou-se essencialmente comunitária, eclesial.

Tudo isso foi pensado para que nossa oração pessoal seja também comunitária.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Pesquisar: