domingo, 2 de novembro de 2014

A Bíblia contra o Protestantismo - parte 9.

12 . VIRGINDADE DE MARIA

OBJEÇÃO: Os católicos ensinam que Maria ficou sempre virgem. Porém, em vários lugares da Bíblia (por ex. Mc 3,31-32) lemos de irmãos de Jesus. Portanto Maria devia ter outros filhos, além de Jesus !

RESPOSTA : Na linguagem bíblica, "irmão" é freqüentemente usado em lugar de primo, sobrinho, tio, parente. Por ex. em Gen 13,8 Abraão diz a Ló: "Somos irmãos," - enquanto de Gen 11,27-31 consta claramente que Ló era filho de Aran - irmão de Abraão, portanto seu sobrinho.

Também Labão, em Gen 29,15 fala a Jacó: "Por seres meu irmão, servi-me de graça?"- Mas em Gen 27,43 e 29,19-11 - Labão é declarado irmão de Rebeca, mãe de Jacó, e tio dele.

b ) Os evangelistas Mateus e Marcos, (em Mt 13,55 e Mc 6,3) enumeram como "irmãos de Jesus": Tiago, José, Judas Simão: Porém, na cena da crucificação de Jesus, João Evangelista coloca debaixo da cruz: "Sua Mãe, a irmã de sua Mãe, Maria, mulher de Cléofas, e Maria Madalena". Enquanto Marcos acrescenta, que esta outra Maria (irmã da Mãe de Jesus) era mãe de Tiago, o Menor, e de José. Estes últimos eram portanto sobrinhos de Maria Santíssima, e primos de Jesus (Jo 19,25 e Mc 15,40). Ora, Judas (Tadeu) Apóstolo, declara-se, no início de sua carta apostólica (Jd 1,1) "Judas, servo de Jesus Cristo, e irmão de Tiago". O mesmo se dá com Simão Apóstolo.
c ) Alguns "crentes" teimam tirar uma conclusão (errado!) de que Maria - depois da concepção virginal do Salvador - tinha relações e outros filhos com José, os três seguintes textos bíblicos:

1o. Mt 1,18: "Maria, sua Mãe, estava desposada com José. Antes de coabitarem, ela concebeu por virtude do Espírito Santo". RESPOSTA: "Antes de coabitarem" significa apenas : "Antes de morarem juntos na mesma casa". Isso aconteceu, quando "José fez como o anjo do Senhor havia mandado e recebeu em sua casa sua esposa (Maria)" (Mt 1,24).

2o. Lc 2,7: "Maria deu à luz o seu filho primogênito". EXPLICAÇÃO : É errado concluir, que devia seguir o segundo ou mais filhos. A lei mosaica exige: "Consagrar-me-ás todo o primogênito (primeiro gerado) entre os israelitas, tanto homem como animal: ele é meu". (Ex 13,2). Também, quando o primogênito era filho único. Um exemplo: No Egito foi encontrada uma inscrição judaica. "Arisoné entre as dores do parto morreu, ao dar à luz seu filho primogênito."

3o. Mt 1,25: (Só em algumas traduções) "José não concebeu Maria (= não teve relações com ela) até que ela desse à luz um filho (Jesus)". EXPLICAÇÃO: Seria errado insinuar, que depois daquele "até" José devia "conhecer" Maria. "Até " na linguagem bíblica refere-se apenas ao passado. Exemplo: "Micol, filha de Saul, não teve filhos até ao dia de sua morte" (II Sm 6,23).

d ) Como fidelíssimo observador da Lei de Moisés, Jesus não podia, na hora de sua morte na cruz, confiar sua Mãe a João Apóstolo (Jo 19,26) mas devia a tê-la confiado ao filho mais idoso dela, se ela de fato os tivesse.

e ) Por isso, o Símbolo dos Apóstolos, que é mais antigo do que o Cânon dos Livros Sagrados, reza: "Nasceu da Virgem Maria". = no sentido de Sto. Agostinho: "Virgem concebeu, Virgem deu à luz, Virgem permaneceu".

Consequentemente, os "Irmãos" (primos, parentes) de Jesus, tão freqüentemente mencionados nos escritos do Novo Testamento, nunca são chamados filhos de Maria, nem filhos de José, confirmando a tradição apostólica.

f ) Até os Muçulmanos, nos seus livros sagrados, veneram a Mãe de Jesus como Virgem.

Por tanto, a acusação contra a virgindade de Maria, Mãe de Jesus, demonstra apenas a ignorância ou malícia dos acusadores.

voltar ao índice


13 . VENERAÇÃO DE MARIA E DOS SANTOS


ACUSAÇÃO : Esta veneração e intercessão é contrária ao ensinamento da Bíblia que diz : (Lc 4,8) "Adorarás o Senhor teu Deus e só a Ele servirás". - e em ( I Tim 2,5 ) "Há um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, Homem".

RESPOSTA : a ) Os católico distinguem claramente entre culto de adoração, que devemos somente a Deus, nosso Criador e Redentor; e veneração, - que implica apenas: respeito, admiração, amor, etc., como se costuma demonstrar aos pais virtuosos, ou heróis da pátria ou a Igreja, erguendo em honra deles monumentos, e dando seus nomes a cidades, montanhas, praças, ruas, etc. Nada mais humano e também bíblico!

Até o próprio Deus venera os nomes dos santos patriarcas, permitindo na Bíblia ser denominado "o Deus de Abraão, de Isaac e de Jacó" ( Ex 3,6 ).

Foi Deus que enviou o anjo Gabriel para saudar a Virgem Maria: "Ave, cheia de graça!"(Lc 1,28) e colocou na boca de Isabel as palavras inspiradas : "Bendita sois vós entre as mulheres" (Lc 1,42).

Igualmente Maria profere as palavras inspiradas pelo Espírito Santos: "Doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada,..."(Lc 1,48).

Portanto, cumprindo estas profecias bíblicas e repetindo com respeito e amor na oração "Ave Maria", a saudação de Gabriel e de Isabel, os católicos cumprem melhor as indicações da Bíblia do que os protestantes, que ignoram tudo isso, e pretendem rezar somente a Deus.

b ) Intercessão. A própria Bíblia aplica o título de "mediador" também a Moisés (Dt 5,5): "Eu fui naquele tempo intérprete e mediador entre o Senhor e vós". E S. Paulo, na mesma carta em que declara Jesus como único mediador entre Deus e homens, indica também mediador "secundário" ( I Tm 2,15 ) : "Recomenda que se façam preces, orações, súplicas e ações de graças por todos os homens..."Pois, fazer orações por outros, é de fato , ser intercessor e mediador entre Deus e os outros.

c ) Alguns "crentes" admitem que os vivos podem interceder em favor dos outros. Negam, porém esta possibilidade aos falecidos, mesmo à Virgem Maria e aos Santos. Eis, o que lhes reponde a Bíblia :

Em II Mac 15,12-15 lemos: "Parecia-lhe (a Judas Macabeu) que Onias, sumo sacerdote (já falecido!)... orava de mãos estendidas por todo o povo judaico... Onias apontando para ele, disse: "Este é amigo de seus irmãos e do povo de Israel; é Jeremias (falecido!), profeta de Deus, que ora muito pelo povo e por toda a cidade santa".

Se, pois Moisés e Timóteo em vida, e Onias e Jeremias depois da morte, como ainda outras pessoas Bíblicas, rezam a Deus e são mediadores entre Ele e o povo, quem poderá proibir esta intercessão à V. Maria e aos Santos ? Por isso, desde os primeiros séculos, os fiéis cristãos rezavam: "Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora da nossa morte ".

Portanto, as palavras de S. Paulo: "Há um só mediador entre Deus e homens, Jesus Cristo, Homem", a tradição apostólica as entendia desta maneira : Jesus Cristo é único Mediador (primeiro) que nos mereceu todas as graças e a salvação eterna, pela sua vida, morte e ressurreição. Só ele nos dar dos seus méritos, sem recorrer a nenhum outro mediador. Enquanto a V. Maria e os Santos intercedem por nós pecadores, como mediadores secundários, por meio de Jesus, recorrendo a seus méritos e sua mediação. Por isso, cada oração litúrgica termina : "Por nosso Senhor Jesus Cristo..." Esta verdade herdamos dos primeiros cristãos. Antes de serem escritos os Evangelhos, eles aprenderam no "Símbolo Apostólico" (ou Credo dos Apóstolos) "Creio na comunhão dos Santos". Sejamos gratos a Deus por tão bela verdade, por Ele a nós revelada!
Ocorreu um erro neste gadget

Pesquisar: