domingo, 12 de outubro de 2014

A Bíblia contra o Protestantismo - parte 6.

6 . CASAMENTO DOS PADRES ?

PERGUNTA: Por que os Padres católicos não se casam ? Assim haveria mais vocação e menos escândalos. A própria Bíblia o recomenda em I Tim 3,2 : "É necessário que o bispo seja irrepreensível ; que tenha casado com uma só mulher..."

RESPOSTA : S. Paulo não era casado. ( veja I Cor 7,8 ). Numa das suas cartas ele recomenda : Sejam meus imitadores, como eu sou de Cristo". Escrevendo, pois, a Timóteo, que também era bispo celibatário, não lhe podia aconselhar casamento. Porém, por falta de candidatos celibatários para a função episcopal ( naquela época ! ), ele lhe recomenda escolher também homens casados - virtuosos. Daí na sua carta ( I Tim 3,2 ) ele não coloca acento nas palavras : " que seja casado "..., mas nas palavras :... "com uma só mulher"... - e não com duas ou três, mesmo que sucessivamente, - o que seria de moleza e muita paixão, deixando pouco zelo e dedicação para Deus e as almas. Em I Cor 7,32-33 S. Paulo apresenta os argumentos em favor do celibato : "O que está sem mulher, está cuidadoso das coisas que são do Senhor, como há de agradar a Deus. Mas o que está casado, está cuidadoso das coisas que são do mundo, como há de dar gosto à sua mulher.

A Igreja Católica reconhece que a exigência do celibato dos padres não é lei divina, mas de lei eclesial, que em circunstâncias especiais poderia ser abolida, mas opta pela maior perfeição, já que por este motivo os Apóstolos de Jesus deixavam a convivência matrimonial e familiar, para se dedicar inteiramente à propagação do Reino de Deus, - como consta de Lc 18,28-30: "Disse depois Pedro: "Eis que nós deixamos tudo o que nos pertence para te seguir". Ele respondeu-lhes: "Em verdade vos digo, não há ninguém que tenha deixado casa, mulher, irmãos ou filhos, por causa do reino de Deus, que não receba o múltiplo no tempo presente, e no século que há de vir, a vida eterna".

Assumindo livremente o celibato, o sacerdote imita a maneira de viver de Jesus - celibatário, - inteiramente dedicado às coisa do Pai e de seu Reino.
voltar ao índice


7 . O PAPA

OBJEÇÃO : O Papa é a predita besta do apocalipse ! Pois em Ap 13,18 lemos : "Quem tem inteligência, calcule o número da besta, porque é número de homem : este número é 666 ". Ora, o Papa é chamado "Vigário do Filho de Deus", o que se escreve em latim : Vicárius Filii Dei. Somando as letras que em latim tem valor de algarismos, dá soma de 666 ! :

V I C A R I U S F I L I I D E I
| | | | | | | | | | | | | | | |
5 1 100 - - 1 5 - - 1 50 1 1 500 - 1 = 666

RESPOSTA : A acusação mostra apenas insensatez e ódio dos acusadores contra S. Pedro e seus sucessores. Vejamos :

a ) O texto do Apocalipse ( Ap 13,18 ) exige que a Besta seja um homem, e não um cargo ( de chefe da Igreja Católica) ocupado até agora por 264 Papas. Seria muito mais razoável indicar como besta apocalíptica, um dos 18 reis da França com nome LUÍS (ou qualquer outro LUÍS ) que se escreve em latim : Ludovicus, e que na contagem latina dá a soma 666 ; ou ainda a doutora adventista Ellen Gould White. Mas, acusar estas pessoas, não interessa aos nossos acusadores !

L U D O V I C U S
| | | | | | |
50 5 500 5 1 100 5 = 666

E L L E N G O U L D W H I T E
| | | | | | | | | | | | | | |
- 50 50 - - - - - 50 500 5+5 - 1 - - = 666

b ) Além disso, nenhum Papa usou o título de "Vigário do Filho de Deus". Costumam chamar-se "Servo dos servos de Deus", "Bispo de Roma", "Vigário de Jesus Cristo", "Patriarca do Ocidente", etc.

C ) No mesmo capítulo Ap 13,6-8 e 15, João descreve a atuação desta Besta : "A Besta abriu a sua boca em blasfêmia contra Deus, para blasfemar o seu nome, o seu tabernáculo e os que habitam o céu. Foi lhe permitido fazer que fossem mortos todos aqueles que não adorassem a imagem da besta".

d ) Cada livro da Bíblia foi escrito e destinado, em primeiro lugar, ao povo contemporâneo, da mesma época, e só em segundo lugar poderia conter alguma profecia, referente aos tempos futuros. Assim, João Evangelista escreveu o Apocalipse para os cristãos da Ásia Menor, perseguidos pelo cruel César Nero e seus sucessores, predizendo-lhes a vitória final de Cristo sobre eles. Ora, estes cristãos não entendiam o latim, senão o grego e o hebraico. ( E se por acaso descobrissem, na tradução latina, esta acusação contra o Papa, iriam rejeitá-la como calúnia diabólica ; pois tanto São Pedro, como os 30 Papas dessa época, foram todos martirizados por sua fidelidade a Cristo ).

Porém, eles facilmente calcularam o nome grego de Cesar Neron, em caracteres hebraicos, desta maneira, da direita para esquerda:

N V R e N - R a S e Q
| | | | | | |
50 6 200 50 200 60 100 = 666

Cesar Nero, sim exigia para si as honras divinas e mandou matar os Apóstolos Pedro e Paulo e milhares de outros cristãos. O mesmo faziam alguns de seus sucessores.

e ) Para os verdadeiros cristãos o Papa era sempre o sucessor de S. Pedro, atribuindo-lhe as seguintes promessas de Cristo :

Mt 16,18 : "Eu digo : tu és Pedro e sobre esta Pedra edificarei a minha Igreja... A ti darei as chaves do Reino dos céus..."

Lc 22,31-32 "Simão, Simão, eis que satanás vos procurou para vos joeirar como trigo, mas Eu roguei por Ti, a fim que tua fé não desfaleça, e tu, uma vez convertido, confirma os teus irmãos".

Jo 21,15-17 : "Jesus perguntou a Simão Pedro : Simão filho de João, amas-me mais que estes ? Respondeu-lhe ele : Sim, Senhor, tu sabes que eu te amo ! Diz-lhe Jesus : Apascenta os meus cordeiros..." (Apesar da anterior negação de Pedro, predita por Jesus ).

f ) Para aqueles que ousam chamar o Papa de Anticristo, que deve aparecer pelo fim do mundo, responde João Apóstolo na sua carta ( I Jo 2,18-19) : "O anticristo está para vir, mas digo-vos que já agora há muitos anticristos... Eles saíram de entre nós, mas não eram dos nossos ; porque, se tivessem sido dos nossos, ficariam certamente conosco". É claro que S. João era sempre unido a S. Pedro e seus sucessores. Portanto o Anticristo sairá das fileiras que abandonaram a Igreja Apostólica.

I Ia. ACUSAÇÃO : Jesus nasceu pobre na gruta de Belém. Por que o Papa, em Roma , vive no rico palácio do Vaticano ao lado da rica basílica de São Pedro ?

RESPOSTA : Numa parábola ( Mt 13,31-32 ) Jesus compara a sua Igreja ( o Reino dos céus ) com o grão de mostarda, que semeado cresceu e tornou-se grande árvore, e seus ramos aninharam-se aves vindas de toda parte.

Assim na vida de Jesus, esta sementinha da Igreja, era constituída apenas da Sagrada Família ; depois de 12 Apóstolos, discípulos e santas mulheres. Jesus andava com eles e ensinava o povo à beira do lago ou nos montes. Jesus não precisava de casa nem de dinheiro. Para o culto divino e público Jesus se servia de sinagogas e do magnífico templo de Jerusalém. Nunca proferiu um só palavra contra a riqueza e beleza do templo de Deus ! - Ao contrário, com energia expulsou os profanadores (Mt 21,22) e (Mc 12,42).

Quando este Reino de Cristo (sua igreja) tornou-se uma "grande árvore", abrigando quase um bilhão de pássaros (= fiéis católicos), esta mesma igreja necessita de muitos e grandes templos para o culto divino, e muitos e edifícios para a propagação e administração deste Reino de Deus visível na terra.

Como no Governo, há prefeitos com prefeituras, presidente com palácios federais em Brasília, assim na Igreja há Bispos e párocos com igrejas e suas moradas. E há um Papa que preside toda Igreja. Dos departamentos de Vaticano com seus auxiliares, administra a Igreja de Cristo, residindo ali num modesto apartamento.

Além disso, os prefeitos, os governadores e presidentes cada um tem sua esposa e filhos, casas e propriedades, e quando morrem, deixam geralmente para os filhos e netos considerável heranças. O mesmo o fazem os pastores de seitas cristãs. O Papa, porém, a exemplo de Jesus, não tem para si nem mulher nem propriedade nenhuma. E quando morre, deixa apenas o bom exemplo e os ensinamentos para todos. Vive e morre pobre como Jesus.

I I I a. ACUSAÇÃO : Em Roma vendem-se lembranças com a fotografia e a bênção do Papa, que ele nunca abençoou nem viu. Que exploração !

RESPOSTA : Como Jesus curou à distância o servo do centurião e a filha da mulher cananéia, sem contacto palpável ou visível (Mt 8,13 e 15,28), assim também a bênção do Papa age à distância, por sua intenção e vontade. E o valor destas lembranças não é do Papa, mas é destinado para boas obras. Porém, uma verdadeira exploração é o dízimo cobrado (no duro: 10 %) pelos pastores das seitas, em favor de suas famílias, mesmo não sendo eles nem sacerdotes do Antigo nem do Novo Testamento, e nem evangelizadores autorizados pelos Apóstolos e seus legítimos sucessores.
Ocorreu um erro neste gadget

Pesquisar: