domingo, 23 de março de 2014

São José.

Em Fátima, Portugal, aos 13 de outubro de 1917, Lúcia, Francisco e Jacinta viram a Sagrada Família. São José segurava o menino Jesus em seus braços. Ambos estavam envolvidos em roupas vermelhas e estavam ao lado esquerdo do Sol. A mão direita de cada um deles estava erguida, abençoando com o sinal da cruz que foi feito 3 vezes sobre as 70.000 pessoas que estavam ali reunidas. No lado direito do Sol estava Nossa Senhora vestida de branco e com um manto azul celeste. O menino Jesus aparentava ter dois anos de idade.

Lúcia viu depois Nossa Senhora das Dores e Nossa Senhora do Carmo, ocorrendo posteriormente o famoso “Milagre do Sol”, um sinal dado a todo o gênero humano nesta era apocalíptica que pode indicar a proximidade dos fins dos tempos.

O fato de São José e o menino Jesus terem abençoado a todos com um sinal da Cruz é muito importante e significativo. Isto enfatiza o fato de Sao José ter um lugar muito importante na redenção da humanidade e em nossa salvação individual. Esta visão concedida às crianças de Fátima teve como propósito persuadir nossa piedade para com São José, e dar a ele, em nossas vidas, a posição que Deus quer que nós demos. Isso pois São José é o legítimo pai adotivo de Jesus Cristo, e assim, o reflexo da paternidade de Deus para toda a humanidade.

Hierarquia das Pessoas e da Autoridade

De acordo com a hierarquia das pessoas na Sagrada Família, Nosso Senhor Jesus Cristo tinha o primeiro lugar, Maria o segundo, e São José o terceiro. Mas, de acordo com a hierarquia da autoridade, São José, como legítimo marido e pai da família, tinha o primeiro, Maria o segundo, e Jesus Cristo, menino de Maria e filho adotivo de São José, o terceiro.
Por que a hierarquia da autoridade é tão importante em nossas famílias católicas? A vida da Igreja Militante é uma guerra. Esta guerra é a vida de todo católico e de toda familia católica que deseja ir para o céu. Todo exército tem seu general, seus oficiais e seus soldados comuns. Entre eles, há de haver uma forte hierarquia de autoridade, e sem ela nenhum exército pode ter a presunção de vencer uma batalha.

As famílias católicas precisam estar unidas na luta por sua sobrevivência terrena, no serviço em favor da salvação de cada membro da familia. Os inimigos que ameaçam esta sobrevivência terrena, que tem como objetivo a salvação, são os demônios, o mundo sem Deus e também os pecados dos membros da família. Se uma família deseja lutar de forma efetiva nesta guerra e vencer esta batalha de vida ou morte pela salvação, há de haver, assim como nos melhores exércitos, um fortíssima hierarquia de autoridade. Deus estabeleceu tal autoridade quando deu à Sagrada Família um pai para ser o cabeça. Tal como citado, na hierarquia da autoridade, a mulher segue o marido, e a criança vem após a mãe. Somente vivendo e sustentando esta hierarquia é que uma família pode sobreviver e ser remida.

O inferno quer destruir a hierarquia da autoridade, que, para ele, é exatamente o que permite à família lutar e unir seus membros em harmonia de amor, respeito e concórdia. Ao anunciar o enganoso lema da igualdade de autoridade entre pai, mãe e filhos, o inferno destrói toda a família. A mãe se torna chefe de família (por ganância), os filhos são deixados aos cuidados de outra pessoa e o pai transfere sua autoridade ao estado laico. Para continuar a destruição da família, o Diabo propaga a contracepção, o divórcio, o aborto, a eutanásia, os asilos para os idosos e a igualdade entre os herdeiros da família, o que causa segmentação das famílias em gerações desunidas e a destruição dos bens familiares.

Muitas foram as famílias católicas de muitas gerações da Cristandade que eram as células basilares da Igreja Católica e dos estados católicos. Sem estados católicos não há lugar para a Verdade, nem paz duradoura para uma vida normal. Deus somente concede Sua benção nos lugares onde há a verdadeira Fé e onde a vida está em obediência aos mandamentos de Deus.

Significado da visão

Relembremos que na visão dos videntes de Fátima, Jesus estava nos braços de São José e ambos ofereciam bençãos fazendo o sinal da cruz. Relembremos também que a Santíssima Virgem Maria prometeu que a verdadeira paz mundial se estabeleceria caso a Rússia fosse consagrada ao seu Imaculado Coração pelo Papa em união com todos os bispos do mundo. Qual é o papel de São José em tudo isso? Eu acredito que o valor dele é inestimável.

Sem São José a protegendo, Nossa Senhora não teria talvez dado a luz a Nosso Senhor Jesus Cristo e nem teria sido capaz de viver de forma segura com Nosso Senhor. Talvez o próprio cumprimento da Missão de Nosso Senhor estivesse ameaçada. Deus preparou São José desde a eternidade para ser o Santo Esposo e pai de família, o que possibiitou à Virgem Maria e a Nosso Senhor completarem seus desígnios.

A tarefa de São José há 2000 anos continua nos dias atuais. Sem ele, não haverá consagração da Rússia e nem paz no mundo. Nós temos de recolocá-lo no lugar correto no plano de salvação que a Providência Divina reservou a ele. Da mesma maneira, devemos reestabelecer a autoridade dos pais e maridos, caso contário, as famílias não viverão de modo santo e nem percorrerão o caminho que leva ao céu.

Nós reconhecemos o Sagrado Coração de Jesus pela cruz, pelas chagas, pela coroa de espinhos que o circunda e pelas chamas de caridade. O Coração de Nossa Senhora é geralmente rodeado de flores; no entanto, em Fátima, seu coração estava com espinhos, perfurado por uma espada, e, em alguns momentos, com sete delas. Seu Coração irradiava chamas de caridade, assim como aquelas que emanam do Sagrado Coração. Este é também o caso do Coração de São José, onde aparecem chamas simbolizando sua pureza e obediente amor à Santíssima Trindade, à Sagrada Família e ao próprio gênero humano. O sinal mais peculiar e característico do coração deste Patriarca dos patriarcas é a âncora de ouro, um símbolo teológico que representa a virtude da esperança. A cruz é o símbolo da Fé (Nosso Senhor Jesus Cristo), o coração é um símbolo de caridade (a Virgem Maria) e a âncora de São José é o símbolo da esperança, que conecta fé com amor. São José é o patrono da morte. Em nossas últimas horas, a esperança na misericórdia de Deus é importante e decisiva para toda a eternidade. A âncora é dourada justamente para simbolizar a eternidade e indestrutibilidade.
Tal como é impossível separar as três pessoas da Santíssima Trindade, é também impossível separar os três corações da Sagrada Família. Nós honramos os três, recomendamos os três, consagrando-nos a eles, e seguimos seus exemplos para reparar nossos pecados e os dos outros.

São José, Pilar das familias

Os maridos e pais de família podem se consagrar a São José sob seu título de “Pilar das Famílias”, para que assim possam saber ser pilares e cabeças de numerosas, fortes e invencíveis famílias católicas, que são o fundamento da Igreja Católica e de um saudável estado católico. Nenhum lar deveria estar sem uma imagem de São José e nem deveria passar um dia sem que nos recomendássemos ao seu amparo. Junto com São Miguel Arcanjo, São José é o co-patrono universal da Igreja Católica. Assim como ele se importou com o Cabeça da Igreja Católica durante sua vida, sigamos junto com ele de modo confiante por entre estes tempos confusos, pedindo sua intercessão para o Corpo Místico, em favor da Missa Tridentina, doutrina e moral católicas.

São José, o Rei

São José era da tribo de David, a linha régia de Israel. Como marido legítimo da Virgem Maria e pai adotivo de Jesus Cristo, o Rei dos reis, assim, São José pode logicamente ser visto como o rei dos Céus e da Terra, anjos e Santos. Podemos presumir que no céu ambas as hierarquias, pessoas e autoridade, continuam com força plena, portanto, São José é ainda o cabeça da Sagrada Família, mas agora, por adoção espiritual, com mais filhos.

Quando Nosso Senhor Jesus Cristo da Cruz concedeu Sua Mãe para ser a mãe espiritual para todos que o recebessem como redentor na Igreja Católica, deixou também São José como o pai espiritual para todos aqueles que desejam se tornar ou continuar a ser filhos de Deus. A Virgem Maria disse à Jacinta que a maioria das almas vai para o inferno devido aos pecados de impureza. São José é nomeado pela Igreja como um intercessor especial para preservação da santa pureza, da vigindade e da inocência batismal.
Confiemos no Coração de São José, este que foi concedido pelo Pai do Céu para o pai adotivo e patrono de Seu Filho Unigênito. Estejamos cientes de que nunca seremos órfãos neste mundo, apesar de quaisquer circunstâncias familiares de ontem e hoje. Rezemos para que o Coração Paternal de São José seja conhecido por mais seguidores. Ninguém no mundo pode dizer que não tem necessidade dos corações infinitamente compassivos da Mãe Maria e do Pai José. Estes dois Corações que são reflexo do ilimitado amor e compaixão do Sagrado Coração da Segunda Pessoa da Trindade.

Escolhamos irrevogavelmente este bom pai para ser nosso protetor e nos ajudar a restaurar nossas famílias.

Pe. Vidko Podrzaj nasceu na Eslovênia, que é banhada pelo Mar Adriático, à leste da Itália (75km de Veneza) e à noroeste da Croácia. Nasceu em 1959 e foi ordenado em 1994.

Devoção ao paternal e justo Coração de São José

São José, que fostes na Terra pai adotivo do Filho de Deus e legítimo esposo da Virgem Maria. Assim, Deus confiou a vós os dois maiores tesouros da humanidade. No céu, vós permanecestes como a cabeça da Sagrada Família, pai adotivo de Jesus Cristo e esposo de Maria. Assim como não é possível dividir as três pessoas da Santíssima Trindade, não é também possível separar os vossos três corações na Terra por serem inseparáveis no céu. Jesus e Maria recebem nosso amor e veneração somente na proporção do amor e veneração com a qual vos honramos, São José, que age juntamente com os Corações de Jesus e Maria.

Portanto, eu irrevogavelmente me consagro ao vosso Coração paternal e vos escolho como Pai, Mestre, Protetor e guia no caminho para eternidade.

A vós, coração paternal de José, dedico todos meus pensamentos, palavras, ações, meu corpo e alma, a saúde do corpo e alma, meu passado, meu presente, meu futuro, minha vontade, minha memória, meu sentimentos, tudo que eu sou e tudo que tenho. Tudo deve ser consagrado irrevogavelmente para os corações unidos de Jesus e Maria, e a vós, Ó São José, e diante disso ao Deus Trino, Pai, Filho e Espírito Santo.

Em especial, dedico a vós, Coração Paternal, a inocência de meu batismo, minha castidade e modéstia, e com vossa ajuda manterei as virtudes angelicais até minha morte. Mas se eu as perder ou manchá-las, peço-vos obter-me a graça de me arrepender de meu egoísmo e de viver puramente deste momento em diante em meus pensamentos, atos e palavras. Guardai-me, Ó Coração Paternal de São José, da impureza de pensamentos.

A vós, amado Coração de José, dedico minha última hora de vida. Permanecei comigo com vossa poderosa mão a proteger-me contra os ataques do inferno, os quais tentarão surrupiar minha esperança e me fazer desacreditar na infinita Misericórdia de vosso Filho adotivo. Vinde naquele momento, com a vossa Imaculada Esposa e na companhia de vosso Filho adotivo, para que eu possa deixar este vale de lágrimas em paz e chegar para toda a eternidade na bem-aventurança do céu. Amém!
Ocorreu um erro neste gadget

Pesquisar: