sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Confraria do Rosário: inscreva-se!


Arqui-Confraria do Santo Rosário - Dominicanos de Avrillé, França


A Confraria do Rosário pretende responder – de acordo com a sua condição – aos pedidos da Santíssima Virgem em Fátima. Rezando afim de que o Papa consagre a Rússia ao Coração Imaculado de Maria pedindo aos bispos de todo o mundo que se unam a ele, ela não esquece o que Nossa Senhora quis nos transmitir através de irmã Lúcia, a saber, que “Deus dava os dois últimos remédios ao mundo: o santo Rosário e a devoção ao Imaculado Coração de Maria, e sendo estes os dois últimos remédios, isso significa que não haverá outros para ele¹.

Na crise sem precedentes que atravessam hoje a Igreja e o mundo, a bóia de salvação dada pelo Céu para perseverar na verdadeira fé católica e na vida cristã, é pois a devoção dos cinco primeiros sábados do mês e a meditação quotidiana do terço:

• O primeiro sábado de cada mês: trata-se, em reparação das blasfêmias contra o Imaculado Coração de Maria, de:
- Confessar-se (podendo a confissão ser feita dentro de oito dias e mesmo para além deles),
- Comungar (Na Santa Missa Tridentina) (por uma razão legítima por um padre, esta comunhão pode ter lugar no domingo a seguir),
- Meditar um terço,
- Meditar durante um quarto de hora sobre um ou sobre vários mistérios do Rosário (este exercício é distinto da meditação do terço).

Quanto a meditação do terço, queremos dar-vos agora alguns conselhos a fim de que produza o maior número de frutos possível:

- 1. O terço é mais uma meditação do que recitação da Ave-Maria:

O Rosário põe diante dos olhos 15 quadros evangélicos (os mistérios gozosos, dolorosos e gloriosos). Eles não somente resumem toda a vida cristã mas também encontramos neles a solução para todas as nossas dificuldades, por Nosso Senhor, Nossa Senhora e São José mostram-nos neles como devemos reagir em todas as circunstancias da nossa existência terrestre.

Meditar estes mistérios consiste em revivê-los com o Coração de Maria, em pedir a Nossa Senhora que nos faça penetrar a sua significação profunda, a fim de que possamos reproduzi-los na nossa própria vida.

2. O terço é uma oração de súplica

Digamos com todo o nosso coração estas Ave Marias a fim de mover à compaixão Aquela que a Igreja chama de onipotência suplicante. O terço é a oração mais eficaz depois da Santa Missa e do breviário dos padres e dos religiosos. É mais poderosa do que qualquer outra oração que possamos inventar. Quem poderia saudar a Rainha do Céu com palavras mais belas do que as empregadas pelo arcanjo Gabriel? O que é que pode com certeza tocar o Coração de Maria senão a oração que Ela própria nos deu através do Seu servidor São Domingos?

Mas não recitemos nunca as dezenas sem pedir qualquer coisa de preciso a Nossa Senhora. Sem a graça de Deus, não chegaremos nunca a seguir Nosso Senhor e Nossa Senhora no caminho do Céu, não chegaremos nunca a reunir-nos com Eles. É esta a graça de Deus que nos é preciso implorar em cada dezena a fim de obter a virtude relacionada ao mistério que meditamos. Peçamo-la para nós próprios, peçamo-la, para o nosso próximo, não esquecendo nunca que o essencial é obter a nossa santificação: “Procurai primeiro o Reino de Deus e o resto vos será dado por acréscimo” (Mt 6,33)

3. Não recitemos os nossos terços demasiado depressa:

“É um dor de alma ver como a maior parte das pessoas rezam o seu terço ou o seu rosário, diz São Luis-Maria Grignon de Montfort. Rezam-no com uma precipitação espantosa e comem até uma parte das palavras. Não se desejaria fazer um cumprimento desta ridícula maneira aos mais insignificantes dos homens, e acredita-se que Jesus e Maria serão com ele honrados! Depois disso, pode ficar-se espantado se as mais santas orações da religião cristã permanecem quase sem nenhum fruto, e se, após mil e dez mil Rosários recitados, não se é mais santo por eles? Parai, querido confrade do Rosário, com a vossa precipitação natural ao recitar o vosso Rosário. […] Uma dezena dita pausadamente ser-vos-á mais meritória do que milhares de Rosários recitados à pressa, sem refletir, nem parar” (O Segredo do Santíssimo Rosário).

4. Como tomar atenção ao mesmo tempo aos mistérios e às Ave Marias?

Sendo o Rosário essencialmente uma meditação ou contemplação, não é necessário, durante esta oração, refletir nas palavras dos Pater e Ave. Essencialmente o que é preciso é meditar ou contemplar a cena evangélica tendo bem no fundo do coração uma instante oração de pedido a fim de obter a graça de que seja Jesus Cristo aquele que nós contemplamos.

5. Uma dificuldade: as distrações.

Quando começamos bem o nosso Rosário, e em seguida o nosso espírito nos escapa contra nossa vontade, a nossa oração não perde dele todos os seus frutos. No entanto, eles teriam sido maiores se nós nos tivéssemos aplicado melhor. Afastemos pois resolutamente as distrações voluntárias que impedem o fruto da oração. Quanto às distrações involuntárias, consequência da fragilidade da humana natureza, afastemo-las docemente, pacientemente, como outras tantas moscas importunas. Elas não tiram o fruto da oração, e, se nos assediam durante todo o tempo do terço, não nos inquietemos com isso. Ofereçamos as nossas dificuldades a Nosso Senhor e a Nossa Senhora, sirvamo-nos delas para conhecermos melhor a nossa miséria, para nos humilharmos, e fiquemos em paz.

6. Rezar o terço em comum:

“As orações feitas em comum avantajam-se muito sobre as orações feitas em privado e têm um poder muito maior” diz o papa Leão XIII. Em lugar duma pobre oração que sobe para o Céu, é a forte oração de 5, 10, 20 pessoas em que o fervor de uns compensa a maior dificuldade dos outros, e em que cada um tem o benefício da oração de todos. Rezai pois o terço em família, suscitai grupos do terço ou juntai-vos aos que já existem. E pois que sois membros da Confraria do Rosário, uni os vossos terços aos dos outros membros não esquecendo nunca de rezar por eles e pelas suas intenções, assim como pelas grandes intenções da Igreja. Vós tornareis assim mais perfeita esta comunhão dos santos que vos une uns aos outros nos quatro cantos do mundo, e formareis um pequeno exército ao serviço do Imaculado Coração de Maria para avançar no dia do seu triunfo.

Os padres dominicanos.

*

I - DEVER OU REGRA DOS CONFRADES

Não existe para os confrades um dever que os obrigue sob pena de pecado. No entanto não podem gozar de todas as vantagens da confraria se não recitarem todo o Rosário em cada semana. Tal é o seu único dever. Aqueles que acidentalmente o descuidarem não deixam de pertencer à confraria, mas privam-se de preciosas vantagens.

O Confrade pode ser membro duma outra confraria (Irmandade do Santíssimo, Sagrado Coração, etc.) ou mesmo das outras associações do Rosário: Rosário Perpétuo, Rosário Vivo, Cruzada do Rosário.

O terço quotidiano e mesmo o Rosário quotidiano é o ideal para o qual se recomenda render progressivamente.

II - VANTAGENS DA CONFRARIA

1º - Proteção especial da Santíssima Virgem: são inumeráveis os testemunhos da história que nos provam as graças e os favores de toda a espécie, mesmo os milagres que os confrades obtiveram da Rainha do Santíssimo Rosário (ex. a vitória de Lepanto, em 7 de Outubro de 1571).

2º - Participação nos bens espirituais acumulados no tesauro comum por todos os confrades reunidos. Igualmente participação nos méritos da grande família dominicana acumulados desde oito séculos.

3º - Numerosas indulgências. Mais de trinta papas enriqueceram a confraria com indulgências. Exemplos de indulgências plenárias:

- No dia da admissão na confraria (mediante confissão e comunhão).
- Em 7 de Outubro (confissão, comunhão e oração pelo triunfo da Igreja).

Exemplos de indulgências parciais: por recitação do terço; todos os dias pelo fato de trazer constantemente consigo um terço "rosariado"; pela visita a um confrade doente.

Um esclarecimento a respeito dos terços bentos: qualquer padre pode benzer o seu terço utilizando a fórmula própria dos Frades Pregadores, que se encontra no ritual romano (Benedictio coronarum sacratissimi Rosarii B.M.V)., Appendix nº35).

III - GRAUS DA CONFRARIA

1º GRAU

MEDITAÇÃO DIÁRIA DOS QUINZE MISTÉRIOS DO SANTÍSSIMO ROSÁRIO

2º GRAU

MEDITAÇÃO DIÁRIA DO SANTO TERÇO

3º GRAU

MEDITAÇÃO SEMANAL DO SANTO ROSÁRIO

__________________________________________________________________

Seja um confrade do Santo Rosário!

Frades Dominicanos de Avrillé
Convento de la Haye-aux-Bonshommes
F. - 49240 Avrillé

Envie-nos os seus dados:

Nome completo:
Data de Nascimento:
Data de Batismo:
Endereço:

Correspondente


Contato: confrariadorosario@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Infelizmente, devido ao alto grau de estupidez, hostilidade e de ignorância de tantos "comentaristas" (e nossa falta de tempo para refutar tantas imbecilidades), os comentários estão temporariamente suspensos.

Contribuições positivas com boas informações via formulário serão benvindas!

Regras para postagem de comentários:
-
1) Comentários com conteúdo e linguagem ofensivos não serão postados.
-
2) Polêmicas desnecessárias, soberba desmedida e extremos de ignorância serão solenemente ignorados.
-
3) Ataque a mensagem, não o mensageiro - utilize argumentos lógicos (observe o item 1 acima).
-
4) Aguarde a moderação quando houver (pode demorar dias ou semanas). Não espere uma resposta imediata.
-
5) Seu comentário pode ser apagado discricionariamente a qualquer momento.
-
6) Lembre-se da Caridade ao postar comentários.
-
7) Grato por sua visita!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Ocorreu um erro neste gadget

Pesquisar: