sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Legenda Perusina.

Compilação de Assis

ou “Legenda Perusina” ou “Legenda de Perusa”.

[1]

Por isso declarou que raramente se devia dar preceitos por obediência; e que não se devia lançar logo no começo o dardo, que devia ser o extremo. Dizia: "Não se deve pôr logo a mão na espada". Mas achava que aquele que não se apressava a obedecer o preceito da obediência não temia a Deus nem respeitava o homem. Não há nada mais verdadeiro do que essas coisas. Pois que é a autoridade para mandar em quem manda temerariamente se não uma espada na mão] de um furioso? E que há de mais desesperado que um religioso que despreza a obediência?

[2]

São Francisco dizia: "Tempo virá em que esta Religião amada por Deus vai ser difamada pelos maus exemplos, a ponto de ficar com vergonha de sair em público. Mas os que vierem nesse tempo para receber a ordem serão conduzidos unicamente pela ação do Espírito Santo e carne e sangue não lhes causarão mancha alguma: e serão verdadeiramente abençoados por Deus. E mesmo que não houvesse neles obras meritórias, pelo resfriamento da caridade, que faz os santos agirem com fervor, sobrevirão para eles tentações imensas; e os que nesse tempo se demonstrarem comprovados serão melhores do que seus predecessores. Mas ai daqueles que, aplaudindo-se só pela aparência de comportamento religioso, vão amolecer no ócio e não vão resistir constantemente às tentações que são permitidas para a provação dos eleitos; pois só os que forem provados receberão a coroa da vida: eles serão exercitados nesse meio tempo pela malícia dos réprobos.

[3]

Disse também: "Roguei ao Senhor que se dignasse mostrar-me quando sou seu servo e quando não sou. Pois não quero ser outra coisa, dizia, senão um servor seu. Mas então o próprio Senhor benigníssimo dignou-se responder-me: Saibas que és meu servo de verdade quando pensas, falas e pões em prática coisas santas. Foi por isso que vos chamei, irmãos, pois quero ficar com vergonha diante de vós se alguma vez não fizer nenhuma dessas três coisas".

[4]

Um dia, quando o bem-aventurado Francisco estava doente de cama no palácio do bispado de Assis, um frade espiritual e santo homem disse-lhe, brincando e rindo: ”Por quanto vendes todos os teus trapos ao Senhor? Muitos baldaquins e panos de seda vão ser colocados e vão cobrir esse teu corpo, que agora está vestido de saco”. Pois nesse tempo São Francisco, por causa da doença, tinha um gorro de pele, que estava coberto de saco, como a sua roupa de saco. O bem-aventurado Francisco respondeu - não ele mas o Espírito Santo por ele - dizendo com grande fervor de espírito e alegria: “Tu dizes a verdade, porque vai ser assim mesmo”.

[5]

Vendo o bem-aventurado Francisco que, enquanto estava naquele palácio, sua enfermidade se agravava cada dia mais, fez com que o levassem de maca para a igreja de Santa Maria da Porciúncula, pois não podia andar a cavalo pela gravidade de sua doença.

Quando os que o levavam passaram pela rua perto do hospital, disse-lhes que pusessem a maca no chão. E como quase não podia enxergar por causa da longa e grande enfermidade dos olhos, mandou virar a maca, para ficar com o rosto voltado para a cidade de Assis. Levantando-se um pouco em seu leito, abençoou a cidade de Assis dizendo: “Senhor, como creio que a cidade, no tempo antigo, foi lugar e morada de homens maus e iníquos, de má fama em todas as províncias, também vejo, por tua abundante misericórdia que, no tempo que te foi agradável, manifestaste nela a multidão das tuas bondades, para que fosse lugar e morada de pessoas que te conhecessem e dessem glória ao teu nome, com o odor da boa vida, da doutrina e da boa fama para todo o povo cristão. Por isso eu te rogo, Senhor Jesus Cristo, Pai das misericórdias, que não consideres a nossa ingratidão mas te lembres sempre da tua abundante misericórdia, que demonstraste para com ela, para que seja sempre o lugar e morada de pessoas que te conheçam e glorifiquem teu nome bendito e glorioso pelos séculos dos séculos. Amém”. E, tendo dito isso, foi levado para Santa Maria da Porciúncula.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Infelizmente, devido ao alto grau de estupidez, hostilidade e de ignorância de tantos "comentaristas" (e nossa falta de tempo para refutar tantas imbecilidades), os comentários estão temporariamente suspensos.

Contribuições positivas com boas informações via formulário serão benvindas!

Regras para postagem de comentários:
-
1) Comentários com conteúdo e linguagem ofensivos não serão postados.
-
2) Polêmicas desnecessárias, soberba desmedida e extremos de ignorância serão solenemente ignorados.
-
3) Ataque a mensagem, não o mensageiro - utilize argumentos lógicos (observe o item 1 acima).
-
4) Aguarde a moderação quando houver (pode demorar dias ou semanas). Não espere uma resposta imediata.
-
5) Seu comentário pode ser apagado discricionariamente a qualquer momento.
-
6) Lembre-se da Caridade ao postar comentários.
-
7) Grato por sua visita!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Ocorreu um erro neste gadget

Pesquisar: