quinta-feira, 26 de abril de 2012

Escassez de homens ( = faltam homens que queiram casar-se com feministas).


O medo das feministas. Carreirismo feminista é plano B:

Esqueçam a ambição, segurança financeira e qualificações superiores Um controverso estudo concluiu que o verdadeiro motivo que leva as mulheres a buscar carreiras é o medo que elas têm de não serem suficientemente atraentes para encontrar um marido.
A equipa de pesquisa, composta por 3 mulheres e 2 homens, afirmou que, quando há escassez de homens, as mulheres são mais susceptíveis de escolher a pasta em vez do bebé.

Eles alegam ainda que, quanto mais normal ela for [isto é, menos atraente], mais ela é motivada para suceder no mercado de trabalho.

Há já algum tempo que foi observado que, quanto mais feia é a mulher, mais susceptível ela é de ser uma feminista. Paralelamente, foi sempre lógico que as mulheres que não conseguiam competir com outras mulheres segundo a forma tradicional tentassem alterar as regras do jogo.


Agora, temos algum tipo de evidências científicas que suportam a observação e a lógica, e isto pode ser muito útil para neutralizar a propaganda feminista que inunda as moças mais jovens desde que elas são meninas - encorajando-as a perder a sua juventude e fertilidade em busca de carreiras e não em busca de um parceiro com quem construir uma família.
A mensagem é simples e directa: o feminismo é para as derrotadas no jogo da Vida.

* * * * * * *
O estudo aparentemente não diz (nem o autor do texto em cima diz), mas a verdade dos factos é que "não há escassez de homens" mas sim escassez de homens com vontade de casar com a mulher moderna.

Aparentemente, isto vai-se tornar num ciclo vicioso:


• 1. Feministas indoutrinam as moças mais jovens.

• 2. Isso, como era suposto, torna-as repulsivas aos olhos dos homens.

• 3. Elas, as moças, começam a acreditar que "há escassez de homens".

• 4. Como efeito, mergulham no mercado de trabalho, recebendo ainda mais indoutrinaçãoanti-homem e anti-família.

• 5. Quando chegam aos 40 anos, solteiras, sem filhos, estéreis, mais feias do que no passado e amargas com a vida, tornam-se activistas feministas.

• 6. Estas novas feministas indoutrinam a próxima geração de moças.

• 7. Assim sucessivamente.

Obviamente, há uma forma de quebrar este ciclo mas duvido muito que a maior parte das mulheres esteja interessada nela.


FONTE: http://omarxismocultural.blogspot.com.br/2012/04/o-medo-das-feministas.html
Ocorreu um erro neste gadget

Pesquisar: